notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 23/06/2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    crise do coronavírus

    Nando Rocha com a esposa Lisy e a filha Lauren e a pet Guerrera, sem i, em homenagem ao colorado Guerrero

    COVID separa família de gravataiense que está em Portugal

    por Nando Rocha | Publicada em 18/03/2021 às 16h| Atualizada em 29/03/2021 às 11h37

    Nando Rocha é de Gravataí, está morando em Portugal e, devido à pandemia, ainda não conseguiu visitar a família. Vôos vindos do Brasil estão restritos. O Seguinte: pediu um artigo e o jornalista enviou. 

     

    Sou de Gravataí. Moro em Portugal há dois anos e meio. Vim com a família para fazer um Mestrado, acabei ficando para o Doutorado, comecei a trabalhar, estabelecemos raízes. Neste período, não consegui retornar e visitar a minha família no Brasil. Quando estava prestes a ver os meus pais, veio a pandemia. E, desde então, invariavelmente, todos os dias acordo com a esperança de eles não estarem infectados. 

    O meu Facebook virou um obituário. Sinto-me vagando virtualmente por um imenso mural de despedidas a torcer para não encontrar a lápide de um familiar. E tudo isso do outro lado do oceano. Eu não posso cuidar de ninguém, puxar a orelha, alertar, conscientizar, acompanhar e, se algo acontecer, tampouco viajar. Sinto-me ilhado num arquipélago de lágrimas e perdas.

    Há um ano a pandemia chegava forte aqui. Do jeito que consegui, pelas redes sociais, alertava sobre os riscos de transmissão de um vírus traiçoeiro. Primeiro, vi gente duvidando. Depois, não havia mais como negar, passaram a questionar a sua letalidade. Passo seguinte, começaram a negar a eficácia das vacinas. Numa corrida contra o tempo, apenas oro, sofro e torço para que os meus familiares estejam imunes quando o Covid bater à porta.

    Tenho amigos retidos no Brasil sem poder retornar à sua vida normal. À sua casa, rotina, trabalho, estudos. Pelo menos até o fim deste mês, o Governo português segue com a proibição de voos diretos vindos do Brasil. Somos em torno de 150 mil brasileiros vivendo em Portugal, que acompanham de longe, atônitos e de mãos atadas, as suas famílias serem dilaceradas pela dor e pelo medo.

    O Covid saiu dos noticiários, chegou às nossas casas, transbordou os hospitais, fechou as fronteiras. Tira o sono de quem não tirou a vida. Tirou-me o direito de ver a minha família. O direito de muitos irmãos brasileiros em viajar e se despedir. Se cuidar não é um ato individual, mas coletivo. De respeito ao próximo. De amor aos seus. Você tem o direito de não zelar pela sua própria vida, mas mantenha os meus pais vivos. Eu estou com saudade e ainda quero poder abraçá-los.

     

    LEIA TAMBÉM

    Morrer de COVID, não de fome: comércio reabrirá no pior mês da pandemia; Março terá metade das mortes de 1 ano

    Não seria hora de um lockdown de verdade, de indústria, supers e ônibus em Gravataí e Cachoeirinha?; O exemplo que funcionou

    6 meses para ’vacina municipal’: no conta gotas atual, 2 anos para imunizar Gravataí e Cachoeirinha

     12.3.2021, dia do colapso na saúde de Gravataí: 500 por cento de ocupação de UTIs e leitos COVID; Enfiem o negacionismo no [email protected]&#!

    Deu na Folha de S. Paulo: Gravataí entre 50 grandes cidades do país com explosão de mortes; ’Não dá para fingir normalidade’ 

    • coronavírus
      Por que vereador de Gravataí foi vacinado contra COVID aos 31 anos
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Com ’milhares de empregos’, Lojas Americanas projeta ampliação de centro de distribuição em Gravataí
      por Redação
    • emprego
      A GM de Gravataí está contratando; Saiba como se cadastrar
      por Redação
    • saúde
      Parceria Zaffa & Marco Alba confirma ampliação da UTI de Gravataí: Prefeitura banca metade do investimento no Becker; O acerto Santa Casa
      por Rafael Martinelli | Assessoria
    • operação proximidade
      Cachoeirinha: O que intriga no ’caso SKM’ que agora apreendeu dinheiro do prefeito e de empresários
      por Rafael Martinelli
    • pedagiaço
      A Gravataí que não engole pedágio: ’Depois de 14 anos pagando a duplicação ninguém merece’; O país do faturo
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Os milhões que Gravataí já perdeu com a GM parada; Aguente firme, Dominic!
      por Rafael Martinelli
    • política
      Ação judicial pede anulação da Reforma da Previdência de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • pedagiaço
      Gravataí dos 3 pedágios: Leite confirma cobrança na 118 e 020 em Gravataí; Não era ’fake news’
      por Rafael Martinelli
    • política
      Vereadores querem mexer com 276 mil cada por ano; Cachoeirinha e o pior do Brasil
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      A ’despiora’ da COVID: platô é de 3 vidas perdidas por dia em Gravataí; São mortes com rosto, como os Denicol ou a profe Maura
      por Rafael Martinelli
    • ppp da corsan
      Falta de água e esgoto em Gravataí: Corsan anuncia meio bilhão e reservatório nas Moradas; Grito de Zaffa deu resultado
      por Rafael Martinelli | Assessoria
    • política
      O gravataiense que come a la minuta com Bolsonaro em Brasília
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.