notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 16/01/2022

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    o seguinte indica:

    Papai Noel utilizado em um anúncio de cigarro

    A maior mentira coletiva do planeta (ou: o que os pais devem dizer aos filhos sobre Papai Noel?)

    por Manuel Ansede | El País | Publicada em 24/12/2016 às 14h40

    Psicólogos debatem se é saudável permitir que as crianças acreditem em seres sobrenaturais. O Seguinte: reproduz a imperdível reportagem publicada pelo El País

     

    Papai Noel é a maior mentira coletiva do planeta.

    Centenas de milhões de pais enganam seus filhos para que acreditem que existe um velhinho gordo que os espia 24 horas por dia e vai a suas casas no Natal para entregar presentes se tiverem se comportado bem. A revista médica The Lancet Psychiatry acredita que chegou a hora de lançar um debate: Os pais devem mentir a seus filhos sobre Papai Noel?

    - A moralidade de fazer com que as crianças acreditem nesses mitos deve ser questionada - afirmam na revista a especialista em saúde mental Kathy McKay e o psicólogo Christopher Boyle.

    Os autores sustentam que a ideia de que existe uma agência de espionagem mundial no Polo Norte, da qual nenhuma criatura pode escapar, é “aterradora”, quando observada com olhos de adulto. E que descobrir a mentira pode minar a confiança entre as crianças e seus pais.

    - Se os adultos mentem sobre Papai Noel, mesmo que seja de forma bem-intencionada, o que mais é mentira? Se Papai Noel não é real, as fadas são reais? A mágica é real? Deus existe? - acrescentam os autores, entrando em um cérebro infantil.

    O artigo publicado na The Lancet Psychiatry compara uma criança que acredita em Papai Noel com um adulto que adora um deus de qualquer uma das 4.200 religiões diferentes e incompatíveis entre si que existem no planeta.

    - Se os adultos ridicularizam as crianças por terem acreditado em Papai Noel, onde colocam os adultos que creem em movimentos espirituais baseados em deuses e em outras magias terrestres? - argumentam.

    - É correto ou saudável permitir que as crianças acreditem em seres sobrenaturais?.

    O debate é um clássico quando o Natal se aproxima. Em seu livro Os Mitos que Roubaram o Natal, o filósofo norte-americano David Kyle Johnson tenta “desmentir o mito de que a mentira do Papai Noel é inofensiva”. Em um capítulo, Johnson, professor da universidade King’s College, da Pensilvânia, afirma que é um mentira injustificada, que degrada a confiança nos pais, que estimula a credulidade, que não incentiva a imaginação e que os presentes de Papai Noel funcionam como um suborno para que os filhos se comportem bem.

    Na avaliação de Johnson, a solução não é exterminar o Papai Noel, mas deixar claro que é uma tradição, uma brincadeira.

    - Se o seu filho corre pela casa com uma toalha amarrada no pescoço gritando que pode voar porque é o Superman, você acha ótimo porque sabe que ele está brincando que é. Mas, se ele sobe no telhado e grita que pode voar, deveria corrigi-lo rapidamente. Não quer que ele acredite literalmente que pode voar - ilustrou o filósofo em seu blog.

    Em seu ensaio Deus, um Delírio, o biólogo evolutivo britânico Richard Dawkins compara a fé em qualquer deus com a fé em Papai Noel, mas esclarece que descobrir a farsa natalina ajuda as crianças a entender que nem todas as histórias que os adultos contam são verdadeiras. Papai Noel ajudaria, no fim das contas, a promover um ceticismo saudável nas crianças.

    A psiquiatra finlandesa Tuula Tamminen, presidenta de honra da Associação Mundial para a Saúde Mental Infantil, publicou há mais de uma década uma reflexão sobre o personagem que supostamente mora em seu país, na região da Lapônia.

    - Um dos pilares mais importantes do desenvolvimento mental é o fato de que todos os pais, em todo o mundo, brincam com seus filhos - diz Tamminen à Materia.

    - Nos primeiros meses de vida de uma criança, seus pais podem simular que uma colher é um avião quando dão comida. Mas muito rapidamente a criança percebe que a colher é uma colher e também pode ser algo mais - afirma.

    - E muito rapidamente a criança também entende o que seus pais têm na cabeça. Esse é um passo enorme na maturidade cerebral.

    Tamminen acredita que o Papai Noel, como os contos de fadas, apoiam esse desenvolvimento mental durante a infância. Além disso, a psiquiatra aplaude o “processo de amadurecimento” que representa descobrir a verdade sobre Papai Noel.

    - Quando esse processo corre bem, a criança aprende como superar o sentimento de decepção e se orgulha de saber que tem idade suficiente para saber mais do que as crianças menores - afirma.

    McKay, da Universidade da Nova Inglaterra (Austrália), e Boyle, da Universidade de Exeter (Reino Unido), concluem seu artigo na The Lancet Psychiatry com outra perspectiva: o possível benefício que os adultos ganham com a farsa natalina.

    - Pode ser que a dureza da vida real demande criar algo melhor, algo em que acreditar, algo no que ter esperança ou que sirva para retornar a uma infância perdida há muito tempo.

    • coronavírus
      Por que a GM de Gravataí pode parar em 2022; Perdas na pandemia somaram 50 milhões
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Os números da explosão da covid em Gravataí revelam uma boa notícia; A salvação em 0,5 mL
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens Guilherme Klamt
    • política
      Advogado de Miki explica vídeo onde vereador o flagra com covid e sem máscara na rua; É Cachoeirinha 40 Graus e subindo
      por Rafael Martinelli
    • política
      Cachoeirinha 40 Graus: Advogado flagra reunião e denuncia conspiração: ’Querem cassar Miki e Maurício’; O que faziam juntos vereador-juiz da cassação e candidato derrotado à Prefeitura
      por Rafael Martinelli
    • política
      Miki tem contas invadidas; O que fizeram os hackers em nome do prefeito afastado de Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • política
      Quem vai comandar novo partido de Bolsonaro em Gravataí; ’Polarização será com Lula, Moro não é adversário’
      por Rafael Martinelli
    • bem-estar animal
      Guarda municipal de Gravataí investigado por matar cão com tiro; Dossiê na Corregedoria, Polícia e MP tem vídeos, áudios e prints
      por Rafael Martinelli
    • política
      Ex-candidato a prefeito de Gravataí deixa partido de Bolsonaro; quem ele apoia em 2022
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Gravataí e Cachoeirinha com transmissão comunitária da ômicron; É motivo para pânico? A ’ideologia da ciência’ responde
      por Rafael Martinelli
    • política
      Começa cassação do prefeito de Cachoeirinha: ’Sérgio Moro de Miki’ é do PT; os Grandes Lances dos Piores Momentos e o que pode anular o processo
      por Rafael Martinelli
    • política
      Legado de Sônia: Alan vai coordenar campanha de Patrícia e Marco Alba; A ’jóia’ não vai para o secretariado de Zaffa
      por Rafael Martinelli
    • política
      Um ano de governo, 1h com Zaffa: balanço e perspectivas; Covid, Rio, investimentos, Zaffari, pauta-bomba da Sogil e outras polêmicas
      por Rafael Martinelli e Roberto Gomes de Gomes | Edição de imagens Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.