notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 19/10/2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    eduarda luzia

    Pelo direito de estarmos cansadas

    por Eduarda Luzia | Publicada em 13/10/2021 às 16h29

    Antes de mais nada, não podemos deixar de agradecer à Rita Lee por todos os incentivos ao poder feminino e por fazer nos lembrar que mulheres "são mais machos que muito homem", mas até que ponto esse incentivo à força, que vai muito além da física, tem apenas nos beneficiado e quando também teremos o direito de dizer "estou cansada, estou frágil e estou vulnerável"?!

    As vidas, corpos e relacionamentos "perfeitos", que permeiam as redes sociais, grande parte do tempo, demonizam o descanso, uma refeição farta, uma vida não estabilizada até os 30 anos e o final de semana inteiro na cama, após um término de relacionamento.

    Consequentemente, síndromes de Burnout estão cada vez mais presentes, terapeutas estão fazendo fortunas e mulheres fortes e felizes da boca pra fora enchem seus feeds com frases de superação.

    E, racionalmente, que mal há em demonstrar suas fraquezas? De dizer me sinto vulnerável, ou assumir para as amigas, que sim as mulheres ainda sofrem com o conhecido pé na bunda e não precisam demonstrar desapego 24h por dia?

    No âmbito profissional, também estamos sendo massacradas com cobranças, que muitas vezes nos impomos, pois uma mulher em pleno século 21, tem de ter sua carreira definida, estabilizada e com muitos dígitos na conta, afinal lutamos por isso.

    Não que a ala masculina da sociedade não sofra com as cobranças por aí fora, entretanto as mulheres, depois de serem chamadas de fortes por uma vez perdem o direito de estarem cansadas por um dia na vida.

    Lutar por falas, direitos e espaços vai muito além de feminismos e diversos ismos, que topamos por aí, porém a luta de sermos e estarmos no estado ou humor determinados deve seguir pelo nosso bem estar mental e físico.

    Que possamos bater no peito e defender não apenas o direito de demonstrar força e determinação, mas também o direito de estarmos cansadas e conviver amigavelmente com isso.

    • política
      Chefe da Guarda de Gravataí não pode ser ’segurança’ de pub que deveria fiscalizar
      por Rafael Martinelli
    • política
      Dr. Levi vai doar meio milhão em alimentos com seu salário de vice-prefeito de Gravataí; O bom e o ruim
      por Rafael Martinelli
    • política
      Fernando Deadpool age como um Boca Aberta de Gravataí; Um vereador a cliques da perda do mandato
      por Rafael Martinelli
    • política
      Caso Miki: emergência para lixo nas ruas de Cachoeirinha; O povo é sempre a primeira vítima
      por Rafael Martinelli
    • política
      Viagens de ex-vereadores de Gravataí deixam R$ 150 mil para família do falecido Nadir pagar; A conta do ’CâmaraTur’
      por Rafael Martinelli
    • política
      10 anos do golpeachment: a politicagem e o dinheiro me cassaram, diz Rita, a ’Dilma de Gravataí’
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens Guilherme Klamt
    • política
      Onde Bolsonaro não pode entrar em Gravataí a partir desta segunda; O ’passaporte vacinal’
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.