notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 16/01/2022

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    jeane bordignon

    Nem toda mulher é mãe

    por Jeane Bordignon | Publicada em 16/08/2021 às 15h46

    Duas notícias chocaram o RS no início do mês. Uma mulher dopou o filho de 7 anos, e pensando estar sem vida, jogou o corpo num rio. Outra mulher, que tinha depressão grave, cometeu suicídio ateando fogo no carro onde estava com a filha, também de 7 anos. 

    Histórias assim nos chocam porque confrontam algumas ideias que são senso comum: 

    “Toda mulher nasceu para ser mãe.” 

    “Mulher nasce com instinto materno.” 

    “Ser mãe é trabalhoso, mas mulheres são muito fortes.” 

    São verdades enganosas… 

    A maternidade é uma vocação. Significa botar no mundo um ser que depende de você 24 horas por dia. Que vai mudar seu sono e sua rotina. E quando a cria cresce, não pense que fica mais fácil cuidar. Enquanto você carrega no colo, sempre sabe onde o filho está. Depois que precisa soltar pro mundo, até quem é ateu aprende a rezar. 

    É uma missão de muita entrega e de responsabilidade profunda, porque suas decisões não dizem mais respeito só a você, mas interferem em outra vida. As escolhas de uma mãe (e de um pai também) podem construir ou destruir o futuro de uma criança. 

    Concordo com quem diz que filho é uma benção. Crianças são energia florescendo, nos fazem sorrir das coisas mais simples (falou a tia boba aqui). Mas se as alegrias são muitas, as demandas são imensas. E o medo de fazer algo errado? Ser mãe e pai é tensão constante. 

    Por isso que afirmo que nem todo mundo tem estrutura psicológica para ter filho. Quem me vê com meus sobrinhos e primos diz que eu seria boa mãe, mas me conheço o suficiente para saber que privação de sono, rotina bagunçada e sobrecarga mental me tiram do eixo. Ter jeito com criança não significa dar conta 24 horas por dia, 7 dias por semana. 

    É sério, já tive crises de pânico só para dar conta da minha vida, imagina com um filho? 

    Consigo imaginar o desespero da mãe que incendiou o carro. Não quero julgar a família, que já deve estar sofrendo muito, mas não entendo como o médico liberou a moça para esse passeio. Pelo desfecho, é claro que ela não estava em condições nem de ficar sozinha, muito menos com a filha. 

    Talvez porque o pensamento padrão é “pode ser que ver a filha a faça bem…” Quando na verdade, a maternidade deixava aquela mulher desesperada. E estar com a filha foi o gatilho para o surto final. 

    Até aqui os “cidadãos de bem” entendem, afinal, ninguém escolher estar doente da cabeça. Mas quando uma mãe supostamente sã fala qualquer coisa sobre precisar de ajuda, sobram dedos apontando: 

    “Quem pariu, que embale!” 

    “Quis abrir as pernas, agora se vira!” 

    “Filho é que nem pum, cada um que lide com o seu.” 

    Até parece que a criança é uma punição que a mulher recebe por ter “cometido o pecado” do sexo. Uma visão um tanto contraditória, porque é vinda das mesmas pessoas que dizem que filho é benção. Na verdade, é uma opinião egoísta, e que sobrecarrega ainda mais as mães, que em muitíssimos casos criam sozinhas os filhos. 

    Concordo com um provérbio africano que diz “É preciso uma aldeia para se educar uma criança”. Seria muito mais leve para as mães e mais rico para as crianças, que ganham mais aprendizados. É algo a refletir: será que não involuímos, quando nos afastamos da convivência de tribo? 

    Mas voltando às notícias: a mãe que jogou o corpo do filho no rio também o obrigava a copiar frases que depreciavam a criança. Dentre outras crueldades. Pelos relatos, parece se tratar de uma mãe narcisista. São mulheres incapazes de sentir afeto. Muitas vezes, acabam tendo filhos por interesse, como conseguir uma gorda pensão alimentícia. 

    Quando não acaba fisicamente com o filho, a mãe narcisista destrói a autoestima, quase sempre até a vida adulta. Imagina ter sua pior algoz dentro de casa, e ainda ter que ouvir a sociedade repetindo a todo momento que “toda mãe é boa” e que “mãe é sagrada”? Nem imagino a dor! 

    Claro que muita gente deve estar pensando que se a mulher não tem condições ou não se sente preparada para ser mãe, que se previna… Seria ótimo se fosse tão simples. Nenhum método contraceptivo é 100% eficaz. Várias mulheres não podem tomar hormônio, outras não se adaptam ao DIU. E há homens canalhas que tiram o preservativo durante o ato. 

    Precisamos também olhar para fora da nossa bolha. Provavelmente quem lê essa coluna tem instrução, mas muita gente nem sabe direito como acontece a concepção. Nem que a pílula precisa ser tomada sempre no mesmo horário (ou bem perto) e que muita coisa pode interferir na eficácia. Também tem gente que bota fé no coito interrompido e na tabelinha. Acreditem, tem muita mulher adulta que acha que a menstruação e a urina sem pelo mesmo orifício. 

    Educação sexual é uma necessidade no nosso país, mas é tratada como algo obsceno. 

    Enquanto seguimos tratando o sexo como tabu, mais filhos não planejados vêm ao mundo. E quando se fala daquelas que os geraram, existem muito mais mulheres sobrecarregadas do que supermães. 

    • coronavírus
      Por que a GM de Gravataí pode parar em 2022; Perdas na pandemia somaram 50 milhões
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Os números da explosão da covid em Gravataí revelam uma boa notícia; A salvação em 0,5 mL
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens Guilherme Klamt
    • política
      Advogado de Miki explica vídeo onde vereador o flagra com covid e sem máscara na rua; É Cachoeirinha 40 Graus e subindo
      por Rafael Martinelli
    • política
      Cachoeirinha 40 Graus: Advogado flagra reunião e denuncia conspiração: ’Querem cassar Miki e Maurício’; O que faziam juntos vereador-juiz da cassação e candidato derrotado à Prefeitura
      por Rafael Martinelli
    • política
      Miki tem contas invadidas; O que fizeram os hackers em nome do prefeito afastado de Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • política
      Quem vai comandar novo partido de Bolsonaro em Gravataí; ’Polarização será com Lula, Moro não é adversário’
      por Rafael Martinelli
    • bem-estar animal
      Guarda municipal de Gravataí investigado por matar cão com tiro; Dossiê na Corregedoria, Polícia e MP tem vídeos, áudios e prints
      por Rafael Martinelli
    • política
      Ex-candidato a prefeito de Gravataí deixa partido de Bolsonaro; quem ele apoia em 2022
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Gravataí e Cachoeirinha com transmissão comunitária da ômicron; É motivo para pânico? A ’ideologia da ciência’ responde
      por Rafael Martinelli
    • política
      Começa cassação do prefeito de Cachoeirinha: ’Sérgio Moro de Miki’ é do PT; os Grandes Lances dos Piores Momentos e o que pode anular o processo
      por Rafael Martinelli
    • política
      Legado de Sônia: Alan vai coordenar campanha de Patrícia e Marco Alba; A ’jóia’ não vai para o secretariado de Zaffa
      por Rafael Martinelli
    • política
      Um ano de governo, 1h com Zaffa: balanço e perspectivas; Covid, Rio, investimentos, Zaffari, pauta-bomba da Sogil e outras polêmicas
      por Rafael Martinelli e Roberto Gomes de Gomes | Edição de imagens Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.