notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 26/05/2022

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    bem-estar animal

    Cão antes de ser morto e, ao lado, o canil criticado pela vereadora eleita pela causa animal

    Guarda municipal de Gravataí investigado por matar cão com tiro; Dossiê na Corregedoria, Polícia e MP tem vídeos, áudios e prints

    por Rafael Martinelli | Publicada em 12/01/2022 às 12h16| Atualizada em 20/01/2022 às 18h50

    O suposto assassinato de um cão por um guarda municipal de Gravataí será investigado pela Corregedoria da corporação. A execução com um tiro, sem autorização sanitária, revoltou a comunidade da parada 76.

    Um dossiê, com vídeos, áudios e prints de mensagens foi entregue pela vereadora da causa animal, Márcia Becker (MDB), que também registrou ocorrência policial e denunciou os maus-tratos no Ministério Público.

    – É um crime. O cão, mesmo que fosse bravio, deveria ter sido observado por 10 dias e só eutanasiado com autorização veterinária – explica a parlamentar.

    – O caso está com o corregedor, que vai ouvir o guarda e testemunhas. Se houver evidências a Prefeitura pode abrir um PAD (processo administrativo) – confirmou ao Seguinte: o chefe da Guarda Municipal, Henrique Gaus.

    A denúncia chegou à vereadora a partir de moradores da região. Conforme relatos, o guarda municipal, que estaria de folga, foi chamado pela tutora do animal, chegou em carro particular, sem uniforme, executou o cão e foi embora.

    Em vídeo anexado à denúncia a proprietária confirma ter pedido para o guarda atirar no cão após ter sido mordida e precisar de atendimento pela SAMU. O animal teria sido enterrado no pátio.

    – Como ela mesma confirma no vídeo o cão estava preso há 10 anos, desde filhote, naquele cubículo. Fomos até o local e é um canil podre, onde recebia água suja e restos de comida. Possivelmente atacou para não ser confinado novamente. A mordida foi superficial. Eu mesma vi – atesta Márcia Becker.

    A vereadora conta que o Corpo de Bombeiros foi chamado quando o cão se soltou e, sem dificuldades, os militares o prenderam novamente no canil da casa. Ao fugir novamente, a dona teria chamado o guarda para sacrificar o animal.

    – Chegaram a passar a mão nele – lamenta, revoltada, assim como outros moradores que contaram que uma criança autista entrou em pânico ao supostamente testemunhar a execução do cão.

    Conforme a Lei de Crimes Ambientais, nº 9.605/1998), as penas são de detenção de três meses a um ano e multa para quem praticar ato de abuso, maus-tratos, ferir ou mutilar animais silvestres, domésticos ou domesticados, nativos ou exóticos. A pena é aumentada de um sexto a um terço em caso de morte do animal.

    De acordo com a lei nº 14.228/2021, somente os animais com males, doenças graves ou enfermidades infectocontagiosas incuráveis que coloquem em risco a saúde humana e a de outros animais poderão passar por eutanásia.

    Nestes casos, o procedimento deverá ser justificado por laudo do responsável técnico pelo estabelecimento – precedido, quando for o caso, de exame laboratorial.

    Pela lei, as entidades de proteção animal devem ter acesso irrestrito à documentação que comprove a legalidade da eutanásia.

    Já conforme o artigo 3º da Resolução nº 1000, de 11 de maio de 2012, do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), “... a eutanásia pode ser indicada nas situações em que: I – o bem-estar do animal estiver comprometido de forma irreversível, sendo um meio de eliminar a dor ou o sofrimento dos animais, os quais não podem ser controlados por meio de analgésicos, de sedativos ou de outros tratamentos; II – o animal constituir ameaça à saúde pública […]”.

    O CFMV coloca uma série de princípios para nortear os métodos de eutanásia em cachorros. É obrigatória, por exemplo, a participação do médico veterinário na supervisão e/ou execução da eutanásia no animal.

    É dever do veterinário esclarecer ao tutor do animal sobre o ato da eutanásia. O profissional deve exigir autorização, por escrito, do proprietário legal para a realização do procedimento.

    Ao fim, se comprovada a atitude inconsequente e covarde, suja o bom trabalho que faz a Guarda Municipal de Gravataí tanto na proteção das pessoas, quanto garantindo apoio em uma série de operações pelo bem-estar animal, como resgates de cavalos e outros bichos maltratados ou em situação de risco.

    E depõe contra a excelência no treinamento que faz de Gravataí referência para outras guardas gaúchas.

    Se um guarda municipal atirou em um cão, não foi profissional e não agiu com técnica.

    Eu, civil de nascença, sempre alerto para os riscos de uma arma na mão de quem não tem preparo.

    • política
      Nova eleição Cachoeirinha: ’Tenho princípios. Não serei vice de um governo que é sequência de Miki’, diz Dr. Rubinho
      por Rafael Martinelli
    • política
      Gravataí vai ao Vale do Silício
      por Rafael Martinelli
    • política
      Patrícia Alba assina documento do Movimento RS 118 Sem Pedágio; O Velho Oeste do Billy the Kid
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Acerta o prefeito Cristian ao retomar máscaras em Cachoeirinha; O ’novo normal’ da covid
      por Rafael Martinelli
    • política
      Em Gravataí, início do fim de uma fake news de 400 milhões; O Vanucci e ’a Áfica é logo ali’
      por Rafael Martinelli
    • política
      IPTU Verde: como Zaffa quer baixar impostos; ‘Gravataí decolou’
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • política
      Nova secretária da Saúde de Cachoeirinha é Breier, mas não é Miki; A Verdadeira História do Paraíso
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Mesmo com casos em escola, Gravataí não vai obrigar máscaras; Os números da covid hoje
      por Rafael Martinelli
    • política
      Mentira sobre baixar combustíveis vai assaltar Gravataí, Cachoeirinha e Viamão em 42 milhões anuais
      por Rafael Martinelli
    • política
      Nova eleição Cachoeirinha: Delegado terá como vice Aline, filha do vereador Deoclécio; Com esposa, Marco Barbosa & tudo
      por Rafael Martinelli
    • política
      Nova eleição em Cachoeirinha: vereador revela estratégia do prefeito Cristian de atrair adversários para vice; Feola, Garrincha e os russos
      por Rafael Martinelli
    • política
      O que a prisão de ex-interventor de Gravataí ensina para o Ministério Público
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.