notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 18/09/2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    política

    Caminhões foram estacionados na altura do Hotel Radar, na ERS-118 | Foto GABRIEL SIOTA GANZER

    A foto P&B do golpe: caminhoneiros protestam na ERS-118 em Gravataí; O ’MST do bolsonarismo’

    por Rafael Martinelli | Publicada em 08/09/2021 às 21h29| Atualizada em 08/09/2021 às 21h59

    Assim como em rodovias de 14 estados, caminhoneiros fazem manifestação na ERS-118, em Gravataí, nesta quarta-feira. Sem bloqueios, mas sob atenção do Comando Rodoviário. Em Brasília, a PM negocia saída de 3 mil pessoas que permanecem na Esplanada dos Ministérios e se aproximam do Supremo. A tentativa de golpe segue em curso. No imaginário, explico neste artigo, é o MST do bolsonarismo na rua para assustar às instituições.

    Conforme contou o jornalista Gabriel Siota Ganzer, do Giro de Gravataí, mais de 20 caminhões estacionaram na altura do Posto Radar a partir das 17h. O responsável pelo policiamento rodoviário, major Leandro Arbogast da Cunha, acompanhou o manifesto no local, junto da força tática, negociando a permanência dos veículos apenas às margens da rodovia.

    Na pauta, nada de críticas ao preço do diesel ou à explosão da inflação. É apoio a Jair Bolsonaro, fechamento do STF e outros delírios golpistas, incitados pelo deprimente da república em seu Putsch da Cervejaria do 7/9, o que analisei nos artigos De Gravataí à Paulista, o bolsonarismo mostra seu tamanho; Suicídio, homicídio e um infeliz 8 de setembro e Bolsonaro lembra ’Hitler de Luciana Gimenez’; Pop It de 7 de setembro é a ’Pornochanchada da Cervejaria’.

    A convocação para o “protesto pacífico” – o que até agora é – circulou pelo WhatsApp, da mesma forma que o boato de que, nesta madrugada, a Freeway (BR-290) será bloqueada. Nas redes sociais circulam vídeos mostrando adesão, mas também ataques a caminhoneiros que furam bloqueios em estradas brasileiras.

    O G1 noticiou que o Conselho Nacional do Transporte Rodoviário de Cargas (CNTRC), a Frente Parlamentar dos Caminhoneiros e Celetistas e mais dois sindicatos que representam a categoria entraram na Justiça Federal com um pedido de indenização de R$ 50 milhões “por danos patrimoniais e extrapatrimoniais ou morais que aconteçam nas manifestações deste 7 de setembro”.

    A ação civil pública foi movida na 20ª Vara Federal Cível do Distrito Federal contra o presidente Bolsonaro e a União.

    A petição dos líderes dos caminhoneiros alerta para “atos de intolerância insuflando conscienciosamente a participação mediante exploração da dependência econômica de caminhoneiros empregados e hipossuficiência econômica de transportadores autônomos com propósito de exigir afastamento imediato de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) mediante uso das forças armadas”.

    – É movimento de patrões, não temos nada contra o STF – atropela o presidente do Sindicato dos Caminhoneiros Transportadores Autônomos de Cargas (Sinditac) de Goiás.

    Vantuir Rodrigues alega que empresários colocam celetistas no movimento e tentam associar os atos aos caminhoneiros autônomos.

    – Começou a pegar o medo entre quem depende do caminhão e teme não parar em bloqueios que ocorram nas estradas – lamenta ao Seguinte: um caminhoneiro gravataiense, sob a condição de anonimato.

    Perguntem ao deputado federal Nereu Crispim (PSL), que tem como base caminhoneiros gaúchos, que ele vai confirmar que há empresários do transporte e do agro por trás das manifestações.

    A ‘greve dos caminhoneiros’ entre junho e julho do ano eleitoral de 2018 também foi desmascarada como um locaute, que é a ‘greve de patrões’, e custou para Gravataí R$ 1,2 milhão, como tratei em Conta da greve dos caminhoneiros é igual a um mês de repasse ao hospital.

    De cada R$ 10 de ICMS, um real não chegou ao caixa da Prefeitura.

    Para efeitos de comparação, é mais do que o milhão a mais que o governo repassa mensalmente ao Dom João Becker na ampliação do contrato que levou à compra do hospital pela Santa Casa.

    Levantamento da Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) calculou perdas de pelo menos R$ 75 bilhões no Brasil, entre todos os setores, nos 10 dias de paralisação.

    Dos Grandes Lances dos Piores Momentos, à época teve até moção de parabéns na Câmara e vereadores aditivados a curtidas no Grande Tribunal das Redes Sociais.

    Em Sou contra a greve dos patrões dos caminhoneiros escrevi: “A paralisação chama demagogias e populismos ao assentar seu piquete no imaginário das pessoas, mais do que qualquer coisa, em um contra tudo que está aí”. Observei também que “nossos políticos, da esquerda à direita, passando pelo centro, por desinformação ou instinto de sobrevivência nas urnas, parecem unidos por curtidas em uma sociedade caça-cliques”.

    Era o bolsonarismo saindo do zap.

    Restaram políticos saltando para cima ou para trás do muro.

    Em Você, a vítima da greve dos caminhoneiros, acrescentei ainda que “da despolitizada pauta do contra tudo que está aí, nada estacionou na vida real. Só na contramão, como gasolina mais cara. Até porque, analisando com a cabeça, não com o coração ou o fígado, eram reivindicações que não sairiam das trincheiras da fantasia nem no País dos Soldadinhos de Chumbo”.

    Intervenção militar era a buzina de turno.

    Ao fim, é tudo um museu de grandes novidades.

    Dois anos depois, e com o candidato dos patrões dos caminhoneiros eleito, o Putsch da Cervejaria, a foto do golpe está aí, em preto e branco – talvez para surpresa apenas do Eduardo Leite e outros políticos, da aldeia inclusive, que votaram no ‘mito’.

    O convite à baderna é a recepção para uma proposta de “estado de defesa” no Conselho da República, como quem me segue no Twitter leu antes, ontem.

    Não mais do que para provocar medo – o que não demonstrou o presidente do STF Luiz Fux em seu pronunciamento de hoje ao apontar crime de responsabilidade de Bolsonaro e dizer que “ninguém fecha” o Supremo – os caminhoneiros golpistas e os acampados em Brasília são o MST do bolsonarismo.

    Se o terrorismo vai ficar só no imaginário e narrativa, saberemos nas próximas horas, ou talvez só em dia de votação de impeachment ou prisão do deprimente da república.

    Terrorismo que não fez o verdadeiro MST, nem no golpeachment contra Dilma.

    Pelo contrário, os sem-terra são exemplo na produção e distribuição de alimentos, assim como também o são os verdadeiros caminhoneiros, que querem um Brasil democrático e de retomada econômica, não de caos e guerra civil.

     

    LEIA TAMBÉM

    BM de Gravataí não será cúmplice de arruaças bolsonaristas dia 7; O Jim Jones de meio milhão de mortos

    O vereador de Gravataí Evandro Coruja comete delinquência intelectual; O Japonês da Federal

    • coronavírus
      Parabéns, Gravataí e Cachoeirinha, por vacinar adolescentes; O negacionismo homicida de Bolsonaro
      por Rafael Martinelli
    • política
      Como tirar o Centro de Gravataí dos anos 70; Uma charla farroupilha com Zaffa
      por Rafael Martinelli
    • política
      Chamou de ladrão o Miki processa; O corrupto da mesa do lado
      por Rafael Martinelli
    • política
      Gravataí pode receber ’uma nova Emergência do Becker’ após calote milionário
      por Rafael Martinelli
    • política
      Vereadores de Gravataí vão decidir sobre fim das carroças e vida melhor para carroceiros; O açoite da verdade
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Como a GM vai ajudar até a lojinha do Zaffa em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Líder da vacina, Gravataí começa a aplicar terceira dose contra covid; A noite escura dos pobres e as estrelas da noite
      por Rafael Martinelli
    • política
      Onde estarão políticos de Gravataí após fracasso do ’nem-nem’ deste domingo? O ’ex e o futuro presidiário’
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Miki acerta ao ’obrigar’ funcionalismo a vacinar contra covid em Cachoeirinha; Os 25 mil covidiotas
      por Rafael Martinelli
    • política
      Crise no transporte: Zaffa, Miki e prefeitos querem fundo estadual para subsidiar Sogil, Transcal e empresas de ônibus da da Grande Porto Alegre; Na União, Bolsonaro vetou
      por Rafael Martinelli
    • política
      Golpe do Pica-Pau-Amarelo: Bolsonaro não me faz de trouxa; O abusador sempre pede desculpas
      por Rafael Martinelli
    • política
      A foto P&B do golpe: caminhoneiros protestam na ERS-118 em Gravataí; O ’MST do bolsonarismo’
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.