notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 18/11/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    meio ambiente

    Rio Gravataí e cobrança pela água na pauta do debate

    por Eduardo Torres | Publicada em 01/11/2018 às 13h48| Atualizada em 07/11/2018 às 12h57

    No começo da próxima semana, o Rio Gravataí e o projeto piloto de cobrança pela água — já há alguns meses em pauta dentro do comitê de gerenciamento da bacia — serão o tema central no VIII Fórum Internacional de Gestão Ambiental, que acontece em Porto Alegre. O evento é organizado pela Associação Riograndense de Imprensa (ARI), e acontece entre segunda e terça-feira (dias 5 e 6) no auditório do Ministério Público.

    — Discutir a gestão da água é fundamental para o futuro. Sempre se tratou como um recurso finito, e a tendência é de que a questão fique agravada. Discutir a parcela de contribuição de cada setor para recuperar os recursos hídricos é o que se pretende destacar neste evento — diz o coordenador do setor de políticas ambientais da ARI, Mário Rocha.  

    Além o presidente do Comitê Gravataí, Sérgio Cardoso, representantes dos demais comitês de bacia do Rio Grande do Sul também participarão dos painéis. De acordo com Rocha, a intenção é ouvir relatos de como está sendo conduzida a gestão da água no Rio Grande do Sul e, principalmente, traduzir o projeto de cobrança pelo uso da água que deve ter a implantação em forma de projeto-piloto justamente no Rio Gravataí.

    — A proposta do fórum é essencialmente técnica. Justamente para compreendermos a proposta da cobrança pela água — justifica Rocha.

     

    LEIA TAMBÉM

    Ambientalistas temem recuo na proteção ao Gravataí

    O plano que vai definir a cobrança por uso da água do Gravataí

    Cobrança pela água pode baratear a sua conta

     

    Três meses atrás, foram discutidas no Comitê Gravataí propostas para serem avaliadas na revisão do plano de bacia. Havia a promessa do Departamento de Recursos Hídricos, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, de que o resultado da análise destas propostas, em um esboço inicial do plano revisado, seria entregue nesta semana a comitê, mas isto ainda não aconteceu.

    A ideia é finalizar o plano ainda neste ano, já com as diretrizes de como funcionará a cobrança pelo uso da água, em 2019.

    — O comitê é o espaço democrático para discussão de toda a gestão da água. É ali que todos os setores usuários do rio precisam encontrar soluções e definir a parcela de participação de cada um, por exemplo, na cobrança pela captação da água. Vamos demonstrar neste fórum a importância da participação no comitê — diz Sérgio Cardoso.

     

    Que cobrança é essa?

     

    Diferente da atual conta da água, que é a cobrança pelo serviço de captação e distribuição até o usuário, esta cobrança que agora é discutida trata do preço que cada tipo de usuário — agricultura, indústria ou abastecimento — deveria pagar para retirar água do rio sem degradá-lo e garantindo a sua recuperação ambiental, justamente para baratear as duas contas.

    No plano de bacia, estarão listados, e orçados, projetos para a recuperação do Gravataí. Os recursos para bancar ao menos uma parte das obras viriam da nova cobrança, que já é aplicada em outros estados brasileiros.

    De acordo com diretor do DRH, Fernando Meirelles, que será um dos palestrantes no fórum e foi o mentor do projeto para a cobrança pela água, a lógica é a do poluidor pagador, onde quem mais polui paga mais, do consumidor pagador, onde quem mais consome paga mais, e do beneficiário pagador, onde, se há uma obra que beneficie alguém diretamente, ela paga mais. Toda a lógica está na proporcionalidade da conta a ser discutida nas bacias.

    — O fato de trazermos esta discussão técnica para a ARI é uma forma de iniciarmos a discussão deste assunto na sociedade, também fora dos comitês. Esta questão da cobrança ainda não passou pela pauta da sociedade. A pessoa vai sentir na hora de pagar a conta do seu próprio consumo, e automaticamente, se levantarão outras pautas, como o desperdício de água na distribuição, por exemplo — valoriza Rocha.

    O evento é gratuito. Abrirá às 9h30min de segunda e encerrará, na terça, inevitavelmente, com a atual polêmica que envolve o futuro da gestão ambiental no Brasil a partir da fusão entre os ministérios da Agricultura e do Meio Ambiente.

     

    FIQUE ATENTO

     

    : O VIII Fórum Internacional de Gestão Ambiental acontece segunda e terça-feira no auditório da sede do Ministério Público, em Porto Alegre (Avenida Aureliano de Figueiredo Pinto, 80, Bairro Praia de Belas)

    : A entrada é franca e aberta ao público em geral

    : Inscrições podem ser feitas pelo site do evento

    • mais médicos
      Saída de médicos cubanos preocupa prefeitura
      por Rafael Martinelli
    • pequenas empresas, grandes histórias
      COM VÍDEO | Lentes que retratam vidas
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • saúde
      Frente de prefeitos reage a saída de médicos cubanos
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Hoje até vereador comemora médicos indo embora
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Todo sábado é dia para adotar um pet na Sperk
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • meio ambiente
      COM VÍDEO | A nossa lista vermelha da extinção
      por Eduardo Torres
    • trânsito
      Fim da tranqueira no trânsito está mais próximo
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Saída de médicos cubanos é desastre para Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      OPINIÃO | Não façam Bordignon ’Miss Colômbia’ outra vez
      por Rafael Martinelli
    • meio ambiente
      Cobrança pela água do Gravataí pode gerar R$ 9 mi em um ano
      por Eduardo Torres
    • desejo azul
      Gremistas entregam alegria para crianças doentes
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • seu bolso
      OPINIÃO | Silvio Santos é um velho babão
      por Rafael Martinelli
    • cachoeirinha
      Asfalto em 33 ruas é símbolo para governo Miki
      por Rafael Martinelli com assessoria
    • educação
      OPINIÃO | O big brother da escola sem partido em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • história
      A história da Cachoeirinha do primeiro pedágio
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      ‘Jardins do pesadelo’ estão perto do fim?
      por Silvestre Silva Santos
    • política
      OPINIÃO | 25 nomes para prefeitura de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • polícia
      Jovem executado por engano em hospital era de Cachoeirinha
      por Silvestre Silva Santos
    • vereadores
      Quem leva a presidência da câmara de Gravataí?
      por Rafael Martinelli
    • efeito cascata
      OPINIÃO | Vereadores, não aumentem os salários
      por Rafael Martinelli
    • 2020
      OPINIÃO | A sucessão nas mãos de Marco Alba
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.