notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 11/12/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    sem solução

    Técnico do IGP, de Porto Alegre, faz perícia na porta arrombada e pela qual os vândalos entraram no gabinete do prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier, em março do ano passado.

    EXCLUSIVO | Quem invadiu o gabinete do prefeito?

    por Silvestre Silva Santos | Publicada em 08/02/2018 às 17h45| Atualizada em 19/02/2018 às 17h15

    Não tem jeito. Os autores de três invasões praticadas no gabinete do prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier (PSB), e uma invasão às dependências do lado da sede da Prefeitura, na secretaria de Assistência Social, Cidadania e Habitação, já podem dormir tranquilos.

    Eles não foram e nem há expectativas positivas de que sejam identificados. Com isso, quem virou chá (que alguns dizem que era urina) sobre a mesa de trabalho de Miki, remexeu papéis, levou pertences públicos como um notebook e um frigobar, quebrou vidros e teve a ousadia de deixar uma carta xingando o chefe do Executivo, restará impune aos olhos da Lei.

    Foi o que disse nesta semana o titular da 1ª Delegacia de Polícia de Cachoeirinha, delegado Leonel Baldasso Pires, que está atualmente respondendo também pela 2ª DP, na Zona Norte da cidade. Ele lamentou o insucesso da investigação e disse que o resultado negativo não pode ser atribuído à sua equipe.

    --- Fizemos o que foi possível. Infelizmente uma série de fatores não nos ajudou para esclarecer a autoria destes casos --- afirmou o delegado Baldasso.

     

    Para a Justiça

     

    O delegado de Cachoeirinha lembrou que no ano passado mais de 20 inquéritos tramitaram na 1ª DP envolvendo desde casos de ameaça à integridade física de Miki Breier aos arrombamentos na Prefeitura – gabinete do prefeito e secretaria – e afirmou que todos foram concluídos e encaminhados ao Judiciário. A maioria deles com partes identificadas e processos instaurados pela Justiça.

    A explicação de Baldasso para não chegar à identificação dos invasores, embora lá no começo da investigação tenha dito que havia abundância de digitais e que chegar aos culpados era uma questão de tempo, está – justamente! – na questão das digitais. Segundo o policial, os técnicos do Instituto Geral de Perícias (IGP) não conseguiram reconhecer os donos das marcas deixadas.

    --- O que havia era muito fragmento de digitais, e isso inviabilizou a identificação de alguém. Eu li o relatório técnico e acho que é uma documentação muito bem fundamentada --- disse.

     

    LEIA TAMBÉM

    Arrombaram o gabinete do prefeito Miki Breier

    Invadiram de novo a sala do prefeito Miki Breier

    Não é 1º de abril: invadiram de novo a prefeitura

     

    QUANDO FORAM

     

    Primeira invasão: 6 de março

    Segunda invasão: 28 de março

    Terceira invasão: 1º de abril

     

    Ninguém abre a boca

     

    Outra explicação do delegado Leonel Baldasso para que a investigação tenha dado em nada diz respeito à inteligência de quem praticou estes atos. Segundo ele, o responsável – ou responsáveis – são pessoas ardilosas que possivelmente usaram de artifícios visando preservar suas identidades.

    --- Os fragmentos (de digitais) podem ter sido propositais. A pessoa pode ter usado luvas, pode ter limpado as áreas em que tocou. A verdade é que não era pessoa comum, mas sabia o que queria e como fazer --- explicou.

    A desconfiança inicial de que se tratava de alguém que conhece a rotina da Prefeitura e que teria motivação no confronto do funcionalismo com o Executivo, na época, também não levou a lugar algum. Entre os servidores, de acordo com Baldasso, ninguém ousou falar ou acusar qualquer pessoa.

    Entretanto, o chefe da 1ª Delegacia não descarta a possibilidade de os inquéritos serem reabertos, mesmo que tenham sido encerrados e já encaminhados ao Judiciário. Isso dependeria, pelo que disse, do surgimento de um novo fato, como uma denúncia apontando a autoria das invasões.

    --- Tudo pode acontecer. Se surgir algo novo o caso pode ser reaberto sim, nada impede --- concluiu o delegado.

     

    LEIA TAMBÉM

    Simca diz que não tem nada a ver com invasão no gabinete do prefeito Miki
     

     

     

     

    • investimento
      Miki fecha o ano com uma boa notícia
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      OPINIÃO | Gravataí ainda não preencheu vagas de médicos
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Shopping vai dar muitos presentes de Natal
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • seca
      Sem chuva, captação no Rio Gravataí pode parar
      por Eduardo Torres
    • redes sociais
      Vereador ganha liminar para excluir post de eleitor
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      OPINIÃO | Inocente bom é inocente vivo
      por Rafael Martinelli
    • crime na saúde
      Empresa levou R$ 500 mil supostamente desviados
      por Eduardo Torres
    • crime na saúde
      Ex-secretária de Gravataí é sócia de empresa no alvo do MP
      por Eduardo Torres
    • crime na saúde
      Empresa de Gravataí envolvida em desvio na saúde
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.