notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 18/11/2018
profissionais de sucesso

O advogado Roberto Bastiani atua há 30 anos em Gravataí no escritório que mantém em sociedade com o colega de faculdade e formatura, Antoninho Juarez.

COM VÍDEO | Bastiani, advogado por mil vidas

por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt | Publicada em 06/11/2018 às 18h09| Atualizada em 12/11/2018 às 16h31

Nascido na cidade de Passo Fundo, no Norte do Rio Grande do Sul, e trazido pelos pais para a aldeia dos anjos com apenas um ano de idade, foi por aqui que o advogado Roberto Bastiani fincou raízes. Pessoais e profissionais. Ele mora em Gravataí até hoje, constituiu família no município e mantém um escritório de advocacia na cidade, em sociedade com outro colega de turma e de formatura, cerimônia que aconteceu em 1987 na Universidade do Vale dos Sinos, a Unisinos.

Bastiani, como é mais conhecido, é casado com a professora Mari Léia Garcia Bastiani há 15 anos. Como ele mesmo diz, tem três filhas do coração, uma delas – Shaiana, que chegou a ostentar a coroa de rainha de Gravataí – atuando também no escritório que mantém no centro da cidade (Bastiani & Silva Advogados Associados) com o sócio-colega-amigo Antoninho Juarez Costa Silva.

Profissionalmente, tem as atenções voltadas para a área empresarial enquanto o sócio atua na advocacia trabalhista patronal. O próprio Roberto Bastiani assegura que ser advogado é uma realização, e que seu foco é muito mais a satisfação do cliente do que propriamente o lucro financeiro.

Parafraseando Tiradentes, o mártir da Inconfidência, afirma:

--- Mil vidas eu tivesse, em mil vidas eu seria advogado! --- garante.

 

O futuro

 

Filho de um casal de professores, Euzébio e Lilian, Bastiani foi trazido para Gravataí em 1967 – com apenas um ano de idade – quando o pai foi transferido para assumir a direção da Escola Josefina Becker. O casal ainda teve mais três filhos, um deles já falecido – em acidente de trânsito. Com o falecimento dos pais, o passo-fundense se viu na obrigação de ter que trabalhar e estudar para estabelecer seu futuro.

Formou-se cedo em Direito, com 21 anos de idade.

Na medida em que a carreira se tornava solidificada (Assessoria Empresarial e Direito Tributário), cada vez mais Roberto Bastiani começou a se dedicar e se envolver com a comunidade em que passou a viver, ao ponto de ser homenageado em sessão solene do dia 14 de outubro de 2014 com o título de Cidadão Gravataiense pela Câmara de Vereadores da cidade.

Desde 1996 foi professor-adjunto na Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), onde lecionou as disciplinas de Ética, Direito Comercial, Direito Tributário, Contratos, além de Direito Empresarial e Estágio Profissional. Para que conste: Bastiani cursou especialização em Direito Tributário, também na Unisinos, em 1990. Quando saiu, foi homenageado pela instituição.

 

Doméstico

 

Homem de poucos sorrisos, é dado - com a esposa Mari Léia – a recepcionar amigos para confraternizações em pequenos grupos, em casa. Prefere o ambiente do lar a ter que sair à rua, em função da violência e para poder degustar com prazer um bom vinho tinto - de preferência da serra Gaúcha - sem infringir a legislação do trânsito. É metido a cozinheiro, segundo ele mesmo diz.

--- Eu cozinho de tudo. Quando vejo um programa com algum prato que me atraia, já penso em fazer em casa. Mas a preferência mesmo é pelos frutos do mar --- revela.

Assegurando que é uma pessoa de hábitos simples, conta que as viagens para fora do Brasil se deram muito mais por razões profissionais, e que prefere o turismo doméstico diante da infinidade de opções que as diversas regiões do Brasil oferecem.

 

 

Na OAB

 

Tão logo pode, e incentivado por colegas de profissão, Bastiani se candidatou e presidiu a seccional de Gravataí da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), foi conselheiro e desde 2007 integra o Tribunal de Ética da entidade, sendo que há mais de três anos preside a Terceira Turma Julgadora da OAB do Rio Grande do Sul.

Nesta área, que é seu chão, Roberto Bastiani revela que as carteirinhas da OAB – que dão direito ao bacharel para atuar profissionalmente – já ultrapassam as 113 mil em todo o estado. Na ativa, entretanto, calcula que são atualmente cerca de 75 mil profissionais trabalhando nas várias áreas que o Direito envolve.

Como membro do Tribunal de Ética, e como presidente de uma Turma Julgadora da OAB, diz que hoje estão em andamento cerca de cinco mil processos administrativos em que colegas de profissão estão sendo submetidos. Deste número, a maior parte, em torno de três mil, são decorrentes da inadimplência.

São profissionais que deixaram de pagar a anuidade da Ordem. Os demais são processos disciplinares instaurados por razões as mais diversas, mas quase a metade, em torno de 40%, resultado de reclamatórias de clientes para os quais os advogados, na condição de seus procuradores, não fizeram a devida prestação de contas.

 

: Shaiana (com a filha Rafaela), Bruna, a mãe Mari Léia e Shana (com a filha Valentina)

 

Na comunidade

 

Rotariano, membro do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro), da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Gravataí (Acigra), do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes) e um dos fundadores da Loja Maçônica Cidade de Gravataí - Número 143, participou da fundação do Banco de Alimentos, a sua “menina dos olhos”, entidade que preside há 10 anos, até o final de dezembro.

--- Entrei na Loja Maçônica no momento de sua criação, junto com o atual prefeito, Marco Alba. Ele frequentou as reuniões nos primeiros 10 anos, por aí, e depois se afastou por causa dos compromissos políticos e falta de espaço na sua agenda --- destacou.

Sobre o Banco de Alimentos, faz cálculos.

--- Nestes 10 anos nós trouxemos para Gravataí através da rede Banco de Alimentos ou que foram doados pelos gravataienses uma média de 2,5 toneladas de alimentos por mês, algo em torno de R$ 1,3 milhão neste período todo. São mais de 20 entidades beneficentes cadastradas e, atendidas com regularidade, pelo menos 12 instituições que recebem alimentos mensalmente, inclusive nos meses de janeiro e fevereiro, de férias --- conta o advogado e presidente do Banco de Alimentos.

 

QUEM É

 

1

Roberto Bastiani nasceu em Passo Fundo no dia 4 de janeiro de 1966 e foi trazido pelos pais - Euzébio e Lilian - para Gravataí quando tinha um ano de idade.

 

2

É formado em Direito pela Unisinos desde 1987 (aos 21 anos) com especialização em Direito Tributário, pela mesma universidade, em 1990.

 

3

É casado há 15 anos com a professora Mari Léia Garcia Bastiani, pai – de coração – de Shana (psicóloga), Shaiana (advogada) e Bruna (odontóloga), além de avô de Valentina e Rafaela, ambas com três anos.

 

: Bastiani recebeu o Seguinte: na manhã desta terça em seu escritório

 

Na comunidade

 

: É membro do Rotary Clube Gravataí admitido em 1994, onde ocupou todos os cargos da diretoria. Foi presidente em 2003 quando deu o pontapé para a fundação do Rotary Clube Gravataí-Ulbra.

 

: Atual membro do Conselho Fiscal da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Gravataí (Acigra), onde exerceu a função de vice-presidente nas três últimas gestões.

 

: Também é integrante do Conselho Fiscal do Conselho Comunitário Pró-Segurança Pública (Consepro), entidade da qual foi vice-presidente nas duas gestões anteriores à atual.

 

: Fundador do banco de Alimentos de Gravataí, em 2008, ocupando desde então o cargo de presidente. Deixa o posto de presidente da Diretoria Executiva em 31 de dezembro próximo para assumir a presidente do Conselho de Administração.

 

: Um dos primeiros membros – por isso um dos fundadores – da Loja Maçônica Cidade de Gravataí - Número 143, em 1996, que hoje possui 82 membros ativos. Na cidade são, atualmente, sete lojas maçônicas.

 

: Membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (Codes) de Gravataí tendo sido convidado pela primeira vez em 2014 e, desde então, reconduzido ao posto.

 

: Membro do Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional de Gravataí (Consagra), onde representa o Banco de Alimentos e exerceu o cargo de vice-presidente no período de 2014 a 2017.

 

: Foi professor adjunto da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra) de 1996 até a metade deste ano quando se afastou por decisão pessoal.

 

: É Cidadão Gravataiense desde 14 de outubro de 2014, título – aprovado por unanimidade –  que recebeu em sessão Solene na Câmara de Vereadores.

 

Confira a conversa do advogado Roberto Bastiani com o Seguinte:, onde ele fala sobre vários assuntos mas, principalmente, sobre sua profissão, o Direito.

 

 

 

 

 

SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
Gráfica e Editora Vale do Gravataí
Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

redacao@seguinte.inf.br

Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.