notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 15/12/2018
pequenas empresas, grandes histórias

Iloir e Valeska Fasolo, empresários donos da Rye Patins, mostram produto em confecção na fábrica que exporta para o mundo

COM VÍDEO | Gravataí anda sobre rodinhas pelo mundo

por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt | Publicada em 08/08/2018 às 14h33| Atualizada em 17/08/2018 às 14h04

Se andar sobre patins não é muito fácil, produzir estes equipamentos para fins de lazer, apresentações artísticas ou competições também é algo que exige habilidade. Aliás, competência! Com um pequeno-grande detalhe: pouquíssimos nativos da aldeia dos anjos são sabedores que aqui mesmo – em Gravataí! – está a única fábrica, e maior fábrica, de patins de toda a América Latina.

É a Rye Patins, uma empresa nascida em Porto Alegre lá no ano de 1976 quando o empresário Iloir Fasolo, dono de posto de gasolina e de uma frota de táxi que operava na capital, hospedou em sua moradia, por cerca de um mês, um casal de patinadores argentinos que fazia parte da troupe do Holiday On Ice. O casal, fabricava patins na Argentina. Iloir viu ali a possibilidade de estabelecer um grande negócio e comprou a marca. E passou a estudar - sobre - e produzir patins

Foi o ponto de largada!

Como todo visionário do mundo dos negócios, ele resolveu montar uma fabriqueta que, de tão certo que deu, acabou mudando para a avenida Brasil, em Gravataí, onde está há 40 anos. Hoje a Rye Patins, de acordo com Vladimir Alcorte, executivo comercial e de marketing da empresa, gera 46 empregos diretos e mais de 200 indiretos com a terceirização de parte do que é produzido para a montagem dos patins.

No Brasil a Rye tem sete lojas, em véspera de oito já que deve abrir por estes dias um novo ponto de venda em Belo Horizonte, capital mineira. No exterior, comercializa sua produção em lojas parceiras estabelecidas no Paraguai, Chile, Argentina e Venezuela, sendo que a mais recente inauguração foi na cidade do Porto, em Portugal, de onde a marca é distribuída para toda a Europa.

 

Bota sobre rodas

 

São quatro modelos de patins produzidos em Gravataí: de rua (lazer), patinação artística e para as competições de hóquei e roller derby (prova de resistência em circuitos ovais surgida em 1935 nos Estados Unidos). Para cada um destes modelos, são produzidas três versões, para os patinadores iniciantes, os que estão em um nível intermediário e os que já são profissionais.

Quem entra na fábrica e vê os colaboradores produzindo, imagina que se trata de uma linha tradicional de montagem de calçados. Há um diferencial, porém! É que a bota, com diferentes estamparias e níveis de rigidez, são acopladas a uma base de metal que é mais - ou menos - sofisticada de acordo com sua destinação, e na qual são fixados os eixos e as rodinhas.

O próprio fundador e dono da Rye Patins, Iloir Fasolo, com a esposa Valeska, administra a empresa. Ele, natural de Chapecó (Santa Catarina) e, ela, de Porto Alegre. O empresário tem uma paixão antiga, pelas botas com rodinhas, tanto que foi patinador oficial do grupo Tangarás, onde chegou a alcançar destaque.

 

Por que Rye

 

O nome da empresa Rye Patins é uma homenagem que Iloir Fasolo resolveu prestar ao casal de patinadores argentinos que lhe presentearam com a primeira forma de um patim. Como ele se chamava Roman, e ela Henriete, o empresário juntou os dois nomes. Assim, Roman Y Henriquete se transformaram em Rye (ele aboliu o H), a fábrica de patins de Gravataí.

 

Centro de Treinamento.

 

A Rye Patins também mantém junto à fábrica, no andar superior, um amplo espaço para treinamento de atletas de patinação, com salas para guardar o material, vestiários e banheiros. É neste Centro de Treinamentos, construído há pouco mais de dois anos, onde acontecem competições, a testagem dos produtos e a ação social da empresa, que é ensinar para alunos de escolas de Gravataí a arte da patinação.

São cerca de 25 crianças – a maioria oriunda de famílias em situação de vulnerabilidade social – que frequentam a escola Sul Hóquei Clube de Gravataí. A Rye Patins distribui bolsas integrais para estas crianças com a finalidade de apresentar o esporte a elas e, com isso, afastá-las de uma possível marginalização.

No local também são realizados cursos, palestras, clínicas de hóquei com profissionais de outros estados que são trazidos a Gravataí pela empresa. Além disso, o espaço é cedido para que atletas, principalmente os patrocinados pela Rye, possam treinar, desenvolvendo e aprimorando suas habilidades com vistas às competições nacionais e, inclusive, internacionais.

 

Confira o vídeo produzido pelo Seguinte: sobre a Rye Patins:

 

Dia do gaúcho

 

No próximo mês de setembro vai acontecer em Gravataí, na Rye, dia 20, a Copa de La Amistad (Copa da Amizade). É um evento uruguaio em que uma delegação de Montevidéu, capital do país vizinho, vem para Gravataí para disputar um campeonato de patinação artística.

De acordo com Vladimir Alcorte são cerca de 100 atletas que vão participar da competição com representantes de clubes convidados do Brasil, alguns da capital e do interior do Rio Grande do Sul além de Londrina (Paraná) e São Paulo.

 

PARA SABER

 

Todas as terças e quintas-feiras o professor e treinador Léo Bencochêa vem de Novo Hamburgo, no Vale dos Sinos, para ministrar aulas de patinação artística no Centro de Treinamentos da Rye Patins.

Bencochêa é considerado o melhor técnico da patinação em atividade atualmente, no Rio Grande do Sul, recentemente premiado nas duas últimas competições de abtangência nacional..

Além disso, foi técnico do atleta Marcel Stürmer, gaúcho nascido em Lajeado, o mais premiado patinador em competições artísticas que o Brasil já teve. Por exemplo, foi quatro vezes medalhista de ouro nos Jogos Pan-Americanos.

--- O Marcel, às vésperas das competições, vinha com o técnico dele, o Léo Bencochêa, vinha para cá para fazer treinamentos, testar produtos.. Ele usou bastante o nosso espaço para buscar a execelência que acabou alcançado na patinação artística  - fala Vladimir

 

IMPORTANTE

 

Segundo Vladimir Alcorte, executivo que está na empresa há seis anos, a patinação é uma atividade em crescimento no Brasil. É um mercado que tem se expandido, na média, cerca de 15% ao ano, segundo ele.

--- Mesmo no período de crise que o país tem enfrentado ao longo dos últimos anos, a indústria não deixou de crescer. Temos registrado uma evolução bem expressiva. Está muito bom de trabalhar neste mercado --- comemora.

 

: Com Arthur Alcorte, atleta Rye Patins de apenas 15 anos

 

O que ele conta

 

Por Iloir Fasolo, fundador e dono da Rye Patins:

 

--- No final dos anos 70, ali por 1978, deu aquele boom no mercado de patins. Foi uma onda de patinação! Eu fabricava horrores de patins e vendia tudo!

 

--- Para se ter uma ideia do que era a procura pelos nossos patins, os pilotos da Varig que vinham do Rio de Janeiro desciam no aeroporto (Salgado Filho), iam na fábrica que ainda era em Porto Alegre, compravam tudo que tinha e levavam para vender no Rio.

 

--- Desde o começo até agora houve uma evolução tecnológica muito grande, principalmente no que se refere a peso, qualidade e tecnologia. Eu olho hoje um patins que fabricava em 1977 e me pergunto: como é que eu vendia isso?

 

--- O processo de criação de um modelo não é um bicho de sete cabeças. Eu penso, minha mulher aprova e o técnico executa. Em um dia, no máximo dois dias, o patins está pronto para ser usado.

 

--- Nós temos patins espalhados pelo mundo. Onde tem competição tem patins nosso. Eu costumo dizer que, justamente por isso, a Rye tem uma responsabilidade social muito grande. Temos muitos e bons projetos para serem executados ainda, aqui em Gravataí.

 

--- O nosso próximo projeto é construir um ginásio para trazer todos os eventos Pan-Americano e Sul-Americano para Gravataí. Já temos o até o terreno. Não pensamos em trazer campeonatos mundiais porque tem outro nível de exigências e é muito difícil estas competições saírem da Europa.

 

--- Como patinador nunca cheguei a ser campeão, porque eram muitas duplas que disputavam esse título e todas com alto nível. Mas fui várias vezes terceiro lugar no estado e uma vez quarto lugar brasleiro.

 

Atletas Rye Patins

(Fonte: patinsrye.com.br)

 

TALITHA HAAS

MODALIDADES: Quarteto de Shows
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã Brasileira Quarteto Internacional (2017 e 2018)
- Campeã Gaúcha Quarteto Internacional (2017)
- Medalha de Prata e Bronze nos Jogos Pan-Americanos (Toronto 2015 e Guadalajara 2011)
- Campeã Brasileira (2013, 2014 e 2015)
- Bi-Campeã Sul-Americana (2011 e 2012)
- Medalha de Bronze no Mundial Mini Grupo de Show (China 2010)
- Vice-Campeã Sul-Americana de Mini Grupo de Show (2011)
- Medalha de Bronze no Campeonato Mundial em Freiburg (Alemanha 2009)

 

ARTHUR ALCORTE

MODALIDADES: Livre Internacional

PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Vice-Campeão Brasileiro (2018);
- Campeão Pan-Americano (São Leopoldo 2016)
- Campeão Sul-Americano (Encarnación 2015 e Santiago 2013)
- Campeão Copa Interamericana de Clubes (Santos 2014)
- Campeão Brasileiro (2013, 2014, 2015, 2016 e 2017)
- Campeão Gaúcho (2012, 2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e 2018)
- Campeão do Torneio Nacional Inter-Seleções (2011 e 2012)

 

BEATRIZ RAMOS

MODALIDADES: Hóquei Tradicional
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã Brasileira de Hóquei 2017
- 3° lugar no Campeonato Pan-Americano de Clubes (Recife 2017)

 

GABRIELA BERTOLAZZI

MODALIDADES: Livre Internacional
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- 3º Lugar no Campeonato Brasileiro (2017)
- 3º Lugar no Campeonato Sul-Americano - Quarteto Juvenil (Mar Del Plata 2017)
- Campeã Gaúcha (2013, 2014, 2015, 2016 e 2017)
- Campeã Brasileira (2013, 2014 e 2016)
- Campeã da V Copa Internacional de Patinação Artística (Santos 2016)
- Vice-campeã do III Campeonato Pan-Americano (Orlando 2015)

 

JULIANA ALMEIDA

MODALIDADES: Mini-Grupo de Shows
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Medalha de Bronze no Mundial (Novara 2016)
- Campeã Brasileira (2013, 2016, 2017 e 2018)
- Bi-Campeã Sul-Americana (Santa Cruz do Sul 2011 e La Serena 2012)
- Prêmio Brasil Olímpico (2007/2010)
- Medalha de Bronze no Panamericano (Rio 2007)
- 5º lugar no Mundial (Austrália 2007)

 

HANNELE NEDEL

MODALIDADES: Free Dance
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Vice-campeã Pan-Americana (São Leopoldo 2016)
- Vice-campeã do Campeonato Brasileiro e Torneio Nacional (2016)
- Campeã da Copa Mercosul (2014 e 2015)
- Campeã Gaúcha (2011, 2012, 2016 e 2018)
- 3º Lugar do Torneio Nacional Interclubes (2014)

 

RAFAELLA TOMASI

MODALIDADES: Livre
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã da Copa Mercosul (2015 e 2017)
- Campeã da Copa André Kasper (2014, 2016 e 2017)
- Campeã da Copa Wirbel (2015, 2016 e 2017)
- Campeã da Copa Internacional de Capão da Canoa (2016)
- Campeã da Copa Art Rodas (2015 e 2017)

 

ROBERTA ETGES

MODALIDADES: Livre e Free Dance
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã do Torneio Nacional Interclubes até 16 anos (2017)
- Campeã Gaúcha até 16 anos (2017)
- Campeã Pan-Americana Promocional nas modalidades Free Dance e livre (São Leopoldo 2016)
- Vice-campeã Sul-Americana Promocional na modalidade Dança Internacional (Encarnación 2015)

 

PYETRA SCHREINER

MODALIDADES: Livre, Solo Dance e Free Dance
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã Brasileira Mini Grupo Shows (2018)
- Vice-Campeã do Torneio Nacional (2018)
- Campeã Gaúcha Livre (2018)
- Campeã da Copa Mercosul (2017)
- Campeã Gaúcha Solo Dance (2017 e 2018)
- Bronze no Campeonato Sul-Americano Quarteto Internacional (Mar Del Plata, 2017)

 

FRANCINE PAIVA

MODALIDADES: Hóquei Tradicional
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã Brasileira de Hóquei - Artilheira (2017)
- 3° lugar no Campeonato Panamericano de Clubes (Recife 2017)

 

GABRIELA GRECO

MODALIDADES: Mini Grupo de Shows
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã Gaúcha Quarteto Internacional (2017)
- Campeã da Copa Mercosul (2014, 2015, 2016 e 2017)
- Campeã Gaúcha (2016)
- 5º Lugar no Campeonato Brasileiro Quarteto Internacional (2017)
- Bronze no Torneio Nacional Interclubes Livre até 14 anos (2017)
- Vice-Campeã Gaúcha Livre até 14 anos (2017)
- Campeã do Torneio Nacional Interclubes Livre até 12 anos (2016)

 

JÚLIA KAYSER

MODALIDADES: Livre e Free Dance
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã do Torneio Nacional Livre e Free Dance (2018)
- Campeã do Torneio Estadual (2016, 2017 e 2018)
- Campeão da Copa Mercosul (2016 e 2017)

 

VITÓRIA FRAGA

MODALIDADES: Livre
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Terceiro Lugar Copa André Kasper (2017)
- Campeã da Copa Wirbel (2017)
- Terceiro Lugar no Open Internacional Capão da Canoa (2017)

 

MAURÍCIO SIQUEIRA

MODALIDADES: Livre, Free Dance, Solo Dance
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeão do Torneio Nacional (Brasília, 2017)
- 2º Lugar no Campeonato Brasileiro (Brasília, 2017)
- 4º Lugar no Campeonato Sulamericano (Mar Del Plata, 2017)
- 5º Lugar na Copa Brasil (Brisque, 2017)
- Campeão da Copa Mercosul (São Leopoldo, 2015)
- Campeão Brasiliense (2014, 2015 e 2016)

 

MARIANA STEFANIA LÓPEZ

MODALIDADES: Livre, Free Dance, Figuras Obrigatórias
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Campeã Venezuelana (2013, 2014, 2015 e 2016)
- Campeã da Copa SBS Trophy (Bélgica 2014)
- Campeã do Open Sul-Americano de Clubes (Equador 2014)
- 4º Lugar no Campeonato Sul-Americano (Santiago 2013)

 

LÚCIA MARICHAL

MODALIDADES: Livre Feminino
PRINCIPAIS TÍTULOS:
- Vice-Campeã Uruguaia (2015 e 2016)
- Tri-Campeã do Torneo Del Plata (2012, 2013 e 2014)
- 3ª Colocada no Campeonato Uruguaio 2014
- Campeã Sul-Americana (Santiago 2013)

 

O astro

 

: O patinador Marcel Stürmer também foi atleta patrocinado pela Rye Patins. 

 

Marcel Ruschel Stürmer é considerado o mais importante patinador da história do país, dado o número de títulos acumulados durante a carreira. É conhecido também por ser o primeiro campeão do reality show Exathlon Brasil.

Marcel começou a patinar aos seis anos de idade, em Lajeado mesmo. O sucesso veio cedo já que aos 11 anos Marcel tornou-se campeão Sul-Americano. A dedicação chamou a atenção de técnicos estrangeiros e, com 16 anos, Marcel foi convidado por uma treinadora dos Estados Unidos para morar na cidade de San Antonio no Texas.

Em 2013, fez história ao ganhar a medalha de ouro nos Jogos Mundiais de 2013 quando venceu a prova apresentando uma nova coreografia, baseada no filme Rio.

--- Finalmente chegou o meu dia. Quando eu tinha sete anos de idade, depois da primeira competição que disputei, fiz uma promessa que venceria um título mundial. Depois de muita luta, treinamento, entrega, eu consegui. É a realização de um sonho e bem no dia do meu aniversário. Poder dizer que sou o melhor do mundo atualmente é extremamente gratificante e um orgulho para o Brasil --- declaro, após a vitória.

 

Títulos de Marcel Stürmer

 

JOGOS MUNDIAIS

Ouro em Cáli, na Colômbia, em 2013 – Individual

Bronze em Kaohsiung, na China, em 2009  – Individual

 

CAMPEONATOS MUNDIAS

Prata em Brasília, no Brasil, em 2011 – Individual

Prata em Auckland, na Nova Zelândia, em 2012 – Individual

Bronze em Kaohsiung, na China, em 2008 – Individual

Bronze em Portimão, em Portugal, em 2010 – Individual

 

JOGOS PAN-AMERICANOS

Ouro em Santo Domingo, na República Dominicana, em 2003 – Individual

Ouro no Rio de Janeiro, Brasil, em 2007 – Individual

Ouro em Guadalajara, no México, em 2011 – Individual

Ouro em Toronto, no Canadá, em 2015 – Individual

 

JOGOS SUL-AMERICANOS

Ouro em Buenos Aires, Argentina, em 2006, - Individual

Prata em Medelín, na Colômbia, em 2010 – Individual

 

CAMPEONATO MUNDIAL JÚNIOR

Bronze em Wuppertal, cidade independente da Alemanha, em 2002 – Individual

Bronze em Buenos Aires, Argentina, em 2003 – Individual

 

 

 

 

 

SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
Gráfica e Editora Vale do Gravataí
Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

redacao@seguinte.inf.br

Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.