notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 19/06/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    luto

    Velório da Vó Maria foi nesta quarta-feira em Gravataí

    O que diria Vó Maria?; uma comunidade em luto

    por Claudio Wurlitzer | Publicada em 07/06/2018 às 14h28| Atualizada em 11/06/2018 às 16h40

    Claudio Wurlitzer é o jornalista que mais conhece a vida comunitária de Gravataí nas últimas quatro décadas. Ele escreveu um artigo especial para o Seguinte: sobre a emocionante despedida da unanimidade conhecida por Vó Maria, grande amiga de sua mãe, Iolanda, também frequentadora do Grupo da Terceira Idade.

     

    Velório com bolo para festa de aniversariantes? Salão decorado com fotos e homenagens, gravação de vídeo indo parar no facebook? Sim, foi um velório muito diferente dos habituais. Foi singular, porque no centro das atenções estava uma pessoa especial para quem a conhecia na comunidade gravataiense. O encontro, na sede do Clube Esportivo Alvi-Rubro marcava a despedida de Maria Amélia de Fraga Vieira, a Vó Maria, que no mesmo dia 6 de junho estaria animando mais uma reunião do Grupo da Terceira Idade, criado por ela com o propósito de congregar idosos.

    Como de costume, a primeira quarta-feira de cada mês era reservada para um encontro com brincadeiras, dança, bolo e muita alegria. Assim, mesmo com pesar, familiares e amigos fizeram exatamente o que a Vó Maria gostaria de ver naquele salão: alegria e confraternização para celebrar o 22° aniversário do grupo. Na véspera, com a festa organizada e amigos convidados, Vó Maria sentiu-se mal, em casa, e minutos depois viria a falecer no hospital.

    Ao deixar este plano espiritual, a Vó Maria, aos 89 anos, parte tendo deixado para trás um legado de iniciativas sempre focado no amor ao próximo. Quem a conheceu sabe o quanto ela procurou semear bondade, sem a busca de promoção pessoal, uma recompensa ou elogio. Não se manifestava sobre política, mas gostava de quem fazia o bem, agia de modo correto, e não promovia a discórdia. Respeitando os tricolores, não escondia, entretanto, sua paixão pelo Internacional. Lembrando isso, familiares colocaram uma bandeira do Colorado nas proximidades do caixão. Neste mesmo cenário estavam banners contendo fotos e reportagens publicadas sobre os eventos que organizou.

    Natural de Viamão, para onde o corpo foi levado no início da tarde, Vó Maria dedicou grande parte da vida a trabalhos voluntários. Conciliava as horas que cumpria pela Prefeitura, com aulas ensinando pessoas de comunidades carentes a técnica de costurar. Ao aposentar-se, aos 63 anos, não quis saber de ficar parada. Resolveu criar um grupo com amigas da Terceira Idade. A turma logo compreendeu o seu propósito altruísta. Os primeiros encontros foram realizados na própria casa. Com o crescimento do grupo, e com a oferta da diretoria do Alvi-Rubro, os encontros mensais tomaram outra dimensão, a ponto de reunir até duas centenas de “gurias e rapazes”, como chamava os participantes do grupo.

    Sempre aguardado com ansiedade, o encontro mensal também passou a receber grupos visitantes, de diferentes comunidades e até de outros municípios, que não perdiam a oportunidade de confraternizar em um bailinho na tarde.

    Além do espírito de liderança, a Vó Maria também era criativa. Sempre inovava nas brincadeiras, na decoração de uma mesa, frases para as homenagens e o que mais pudesse fazer para agradar. A “galera” esperava pelas novidades. Era eleição de Rei e Rainha, bolo para saudar os aniversariantes do mês, atividades especiais em datas comemorativas, um passeio por ano, e o próprio aniversário, em dezembro, que nunca foi para receber presente: pedia algo para servir de donativo para asilo, creche e famílias carentes.

    Nessa trajetória de 22 anos do grupo, a Vó Maria sofreu perdas na família, mas nem por isso desanimou. Marido, filha e genro faleceram. “Não sei de onde dona Maria encontra tanta força para seguir em frente e levar o grupo com essa animação?”. O questionamento era respondido ao natural, a cada novo encontro do grupo. Doava-se, irradiando alegria e servindo de exemplo e inspiração para muitas pessoas.

    Durante o velório, diversas manifestações enalteciam as virtudes de Vó Maria, em especial a forma carinhosa como tratava a todos, sem fazer qualquer distinção.

    O que diria a Maria?

    A despedida teve muita emoção. E, apesar das lágrimas, no ar pairava um sentimento que poderia ser avaliado como unânime: o de agradecimento pela convivência agradável que ela soube cultivar.

    Muito obrigado, Vó Maria!

    • coluna do silvestre
      Souza Cruz volta e Herbalife chega à cidade
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • atenção
      O que muda no trânsito da parada 72
      por Redação
    • a venda do hospital
      OPINIÃO | Marco Alba fez bem em bancar a Santa Casa
      por Rafael Martinelli
    • na copa
      Deu sono na estreia brasileira
      por Eduardo Torres
    • na copa
      OPINIÃO | Estreia com a cara do Brasil do golpeachment
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      No escurinho do cinema...
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      É bom sinal os vereadores congelarem os próprios salários
      por Rafael Martinelli
    • nosso hospital
      COM VÍDEO | Hospital de Gravataí é da Santa Casa
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • saneamento
      Gravataí e Cachoeirinha no ranking do saneamento
      por Eduardo Torres
    • eleições 2018
      Miki e Stédile, unidos por Sartori
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      20 dias para o pedágio não ser cobrado ou...
      por Silvestre Silva Santos
    • meio ambiente
      EXCLUSIVO | Gravataí pode ter um dique contra enchentes
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.