notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 18/10/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    em busca do mundo

    Futurologia tricolor

    por Mário Rocha | Publicada em 15/12/2017 às 16h18

    (Kit para abertura de notícia. Jornalista: recorte e cole depois do jogo)

     

    I – O HORROR

    Renato perdeu o respeito do torcedor gremista quando optou por uma formação 5-4-1. Estava morto de medo do poderoso Real Madri e preocupado apenas com a possibilidade de ser um bicampeão inédito como jogador e técnico. Perdeu, ainda, a chance de ganhar estátua na Arena. E ganhou. Ganhou o quê? Vaias de quem atravessou o mundo para ver o Imortal Tricolor encolhido. E vaias no retorno a Porto Alegre (Atenção, editor: conferir se o balaquero volta mesmo ao Brasil ou fica lá nos tais emirados, envolvido em uma burka. Consta que vai permanecer disfarçado por todo o sempre). Renovação do Renato para 2018? Nem a pau, Nicolau!

     

    II – O DESCONTROLE

    Presidente Bolzan e paparicadores, assessores competentes, aspones e asmenes diversos, o técnico, parece que ninguém viu como age um grande time europeu quando tem golo anulado em campeonato onde juiz e normas gerais não permitem pressões emocionais por parte dos jogadores. Aconteceu com o Real Madri contra o Al Jazira, na quarta-feira, mas Cristiano Ronaldo e companhia aguentaram no osso. Assim, as expulsões de Kannemann e Ramiro neste sábado trágico não constituem surpresa. O “penso” deles desaparece nas hemorragias da indignação  Surpreendente é que a voz de alerta no vestiário não se fez ouvir. Fomos derrotados, mas pelo menos o adversário não nos colocou na roda.

     

    III – O AZARÃO

    Boa parte da Imprensa local e nacional comentou, logo depois da dramática vitória contra o Pachuca, que o Grêmio tinha chegado lá. Isto é, que o mérito era estar na final e o resultado não importava mais. Os onze em campo assumiram esta condição de “azarão” ante o Real Madri. O Al Jazira ia ser um passeio, não ia? Só que terminou o primeiro tempo na frente e iniciou o segundo tempo perdendo um golo mais do que feito, por detalhe de impedimento, dois atacantes contra o goleiro. A história poderia ter sido outra. Perdemos porque não acreditamos. Perdemos por não confiar. Arthur fez falta, muita falta.

     

    IV – A DIGNIDADE...

    O sonho terminou. Segundo lugar é sempre segundo lugar e não se comemora. O que é preciso destacar é que caímos peleando. Mais do que jogadores, tivemos heróis disputando cada bola como questão de honra, de vida e de morte. O Grêmio fechou-se, mas não se encolheu. Foi muito arriscada a decisão inicial de Renato mandando Geromel colar no portuga Cristiano Ronaldo dos Santos Aveiro. O fenômeno atraiu Geromel para fora da área, abrindo um vazio por onde o Real Madri entrou como quis. A marcação individual feita por quem estava mais perto rendeu mais resultados e bloqueou o craque nascido em Funchal em 5 de fevereiro de 1985. Só que o estrago já estava feito e o Real Madri apenas administrou o escore. Sem mágoas, sem choro, vamos para a Libertadores 2018! (Pena que não haverá GreNal...)

     

    V – A EUFORIA!

    A Terra é azul! A Terra é azul! Yuri Gagarin, o primeiro cosmonauta, estava mais do que certo em 12 de abril de 1961. A questão, agora, não é mais SE Renato merece uma estátua na Arena Tricolor, mas ONDE será colocada. (O melhor lugar é o círculo central do gramado, mas ia atrapalhar os jogos...). É, tem dias memoráveis em que tudo dá certo. E o sábado, 16 de dezembro de 2017, é um destes dias para quem é gremista. Escore apertado, dramático até o último segundo da prorrogação. Everton, o talismã Everton Cebolinha! De novo ele! Gente chorando em campo, nas arquibancadas, na frente das tevês por todo o mundo, porque há gremistas em qualquer lugar do mundo, um mundo que é e sempre será azul. Colorados emocionados, também eles, disfarçando a lágrima gaúcha e brasileira com a desculpa do cisco no olho. Vencemos! (Agora só falta a Arena Tricolor ser do Grêmio, não é presidente Bolzan?)

     

    Mário Rocha é jornalista, professor e gremistão.

     

    • coluna do silvestre
      Outubro Rosa: prevenção para os pets
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Gravataí virou ’cidade-dormitório de votos’
      por Rafael Martinelli
    • habitação
      Feirão de casas da Granja será na Praça da Juventude
      por Eduardo Torres
    • segurança
      Educação para o trânsito também fora da aula
      por Eduardo Torres
    • obras
      Plano de Marco prevê pontes e mais de 30 ruas até 2020
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • energia
      Fusão da RGE pode pesar no bolso
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      Fábrica de asfalto daqui opera nos EUA
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • habitação
      Impasse na Granja: tem feirão e tem ação judicial
      por Eduardo Torres
    • 7 anos do impeachment
      Sofri um golpe, diz Rita Sanco
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Justiça devolve Freeway à Concepa.
      por Silvestre Silva Santos
    • tráfico
      LSD e ecstasy saíam de Glorinha para o Brasil
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.