notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 22/11/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna da teresa

    Os chinelinhos nos pés daquele menino que corria na rua

    por Teresa Azambuya | Publicada em 30/01/2019 às 12h11| Atualizada em 30/01/2019 às 12h13

    Estando no pé de uma jovem moça, na praia de Copacabana, eles seriam de marca, com estilo e muito caros.

    No outdoor à beira da avenida movimentada, seriam estímulo à compra ou anúncio de tendência para o verão.

    Na porta da casa, à espera dos pés de seu dono, transformar-se-iam em convite ao aconchego.

    Sob a cama, ao lado de outro par, uma confissão de cumplicidade.

    Mas não foi em nenhum desses lugares que os vi.

    Os chinelinhos de tiras pretas estavam sustentando os pés de um menino magrinho, de bermuda, que corria pelo meio da rua. Era um dia de inverno, frio. Fora do ônibus onde eu estava, fazia uns cinco graus.

    Eu senti vergonha das minhas meias. Foi o único que pude fazer, pelo menos naquele momento.

     

    Recuperei esse texto que escrevi há muito tempo para tentar traduzir o engasgo que tenho sentido diante de tantas notícias avassaladoras a que assisti. 

    Tudo isso tem apenas uma causa: aquela criança que vi andando de chinelinho da rua em pleno inverno. Tantas diferenças sociais só podem terminar assim, mal. Esse é o sistema falido em que vivemos e que não podemos mais aceitar. Não podemos!

    Para mudar isso, há apenas uma solução (é preciso dizer, é preciso gritar, é preciso que as pessoas entendam): cuidar das crianças.

    Não haverá mudança, nem redução da criminalidade, da corrupção, das tragédias e das diferenças enquanto ainda houver crianças que não têm oportunidade, que não têm acesso ao básico, que não têm uma meia para colocar no pé num dia de frio, que não têm família, que não têm amor.

    Somos responsáveis por todas elas, não só pelos nossos filhos. O sentimento de comunidade e de coletividade deve nos acompanhar, não somente quando somos atingidos pelo crime ou pela roubalheira institucionalizada. Não há outro caminho. 

     

    • opinião
      Conselheira tutelar livre de cassação; outra também será
      por Rafael Martinelli
    • imóveis e moradias
      Gravataí: cidade-dormitório nunca mais
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Bombeiro, Dilamar e Dimas livres; TSE inocenta
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      O dia em que a Câmara foi o STF; e deu empate!
      por Rafael Martinelli
    • personagens
      COM VÍDEO | A ’ponte aérea’ de Sirmar do ônibus Norte à Rede Globo
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Vereadores do partido do prefeito pedem desfiliação
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Cassação ameaça outra conselheira tutelar eleita
      por Rafael Martinelli
    • educação
      Maior escola estadual de Gravataí ameaçada de extinção
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Aniversário do prefeito foi convite à reeleição
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.