notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 18/10/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    oi, filho

    Não se fazem mais avós como antigamente

    por Vinicius Ferrari | Publicada em 26/07/2018 às 18h20

    Sabe aquela senhorinha meio corcunda, que senta ao lado de um cachorro na sombra do abacateiro para fazer crochê? Ela está em extinção, meus amigos. Com a expectativa de vida do brasileiro subindo e os avós se aposentando cada vez menos idosos, exemplos não faltam de quem começa uma atividade física, um grupo de dança, teatro ou música. Fora quando os netos chegam cedo demais, como no caso do Beni.

    Assim, do dia para a noite, transformamos quarentões com tudo em cima em vovós, tios ainda mais jovens em tios-avós. Nossos avós viraram bisa e pasmem, até uma tataravó o Beni tem.  Ao todo são cinco avós, oito bisas e uma tata. Todos depositando muito amor no Beni e quebrando altos galhos para a gente. Avós são pais com muito açúcar, ensinam a bater na mesa enquanto a comida não chega, a escalar as grades... dá aquela mãozinha para começar a caminhar e sabe exatamente o que fazer para comer.

    E tem coisa melhor que comida de vó? Claro que não! Sabor de amor e cheirinho de carinho. Os ensinamentos dos avós e suas histórias são sempre uma boa pedida para uma tarde chuvosa.

    Os meus avós tem cheirinho de Alma de Flores, a oficina onde o vô conserta violões tem cheiro de verniz fresquinho e a cozinha da vó tem sempre uma gostosura saindo do fogo. A carne de panela da vó é de lamber os beiços.

    O Beni tem  avós que vão no cinema, que jogam futebol, que vão a praia e tomam cerveja nos dias quentes. Os avós mudaram, mas o amor pelos netos nunca vai mudar. Não quero nem pensar no quanto de amor deve ter dentro de mim, pronto para explodir quando o Beni me der netos, mas consigo ter uma ideia ao ver o carinho de nossos pais com ele.

    Por isso, essa coluna de hoje é para dizer muito obrigado. Pela ajuda e suporte de todas as formas possíveis. Pelas vezes que ligamos tarde da noite perguntando se era normal uma bolinha embaixo do pescoço, ou como se fazia uma boa sopinha. Criar um filho não é nada fácil, mas vocês conseguem deixar muito menos difícil. Obrigado, obrigado e obrigado por tudo!

    Feliz dia dos avós.

     

    • saúde pública
      A luta contra o câncer subiu na passarela
      por Da redação
    • solidariedade
      COM VÍDEO | Diogo luta contra síndrome rara
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Como entendi nota das Irmãs do Dom Feliciano sobre eleições
      por Rafael Martinelli
    • crime
      Mercado, padaria e salão de beleza faziam gato na luz em Gravataí
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      Como ficou a duplicação da Centenário
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • coluna do silvestre
      Outubro Rosa: prevenção para os pets
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Gravataí virou ’cidade-dormitório de votos’
      por Rafael Martinelli
    • habitação
      Feirão de casas da Granja será na Praça da Juventude
      por Eduardo Torres
    • segurança
      Educação para o trânsito também fora da aula
      por Eduardo Torres
    • obras
      Plano de Marco prevê pontes e mais de 30 ruas até 2020
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • energia
      Fusão da RGE pode pesar no bolso
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      Fábrica de asfalto daqui opera nos EUA
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • habitação
      Impasse na Granja: tem feirão e tem ação judicial
      por Eduardo Torres
    • 7 anos do impeachment
      Sofri um golpe, diz Rita Sanco
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Justiça devolve Freeway à Concepa.
      por Silvestre Silva Santos
    • tráfico
      LSD e ecstasy saíam de Glorinha para o Brasil
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.