notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 16/01/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna da teresa

    Delfina Benigna da Cunha nasceu em 1791, na Estância do Pontal, município de São José do Norte

    Poesias oferecidas às senhoras rio-grandenses

    por Teresa Azambuya | Publicada em 16/05/2018 às 10h39| Atualizada em 16/05/2018 às 10h39

    “Se amorosa simpatia

    Só por ti minh’alma sente,

    Não me negues cruelmente

    Tua doce companhia:

    Suaviza a mágoa ímpia,

    Que tu mesmo tens causado;

    Já que por lei de meu fado

    Outra glória não consigo,

    Deixa-me viver contigo,

    Embora pene ao teu lado.

    (Delfina Benigna da Cunha, Poesias, 1834)

     

    Já que um dos grandes debates atuais é o protagonismo feminino, resolvi trazer, hoje, a história da poetisa gaúcha Delfina Benigna da Cunha, pouco conhecida por nós, mas precursora em seu tempo.

    Delfina nasceu em 1791, na Estância do Pontal, município de São José do Norte. Escreveu o livro Poesias oferecidas às senhoras rio-grandenses, originalmente publicado em 1834. Sua obra é tida como o primeiro livro impresso do Rio Grande do Sul, e esse é um dos elementos que evidenciam a importância da autora.

    O Instituto Estadual do Livro reeditou, em 2001, seus poemas. Resgatar sua produção é, então, valorizar sua criação literária e seu papel fundador na História da Literatura rio-grandense.

    Mas por que a desconhecemos? Várias podem ser as razões. Delfina, além de ser mulher, era cega, condições essas que podem tê-la colocado numa posição periférica na História, segundo o pensamento da época. Também seu posicionamento político (ela não escondia o apoio a D. Pedro, tendo feito, inclusive, inúmeros poemas em sua homenagem) pode tê-la inscrito numa zona de silêncio, que nos privou de conhecermos amplamente sua produção.

    Essas motivações servem para nos fazer refletir acerca das avaliações que fazemos. Menosprezar um artista por suas escolhas políticas, ou por seu gênero, ou por qualquer outra condição é, sem dúvida, perder conhecimento; é deixar de usufruir de sua criação estética. Ainda hoje vemos situações como essas, lamentavelmente, e isso precisa ser discutido.

    Por essa razão é que divido com vocês a descoberta dessa autora: para que sua importância histórica seja retomada, para que o protagonismo feminino seja reforçado e para que a arte seja arte, acima de tudo, valorizada independentemente das condições de quem a produzir.

     

               

                   

    • rs
      Ninguém de Gravataí no governo Leite
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Um mês para APPs dizerem como cuidam seus motoristas
      por Eduardo Torres
    • segurança
      O debate fetichista sobre a redução da maioridade
      por Rafael Martinelli
    • educação
      Ulbra Gravataí demite um quinto dos professores
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      App leva profissionais da beleza até você
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • habitação
      Moradores querem financiar casas da Granja em 35 anos
      por Eduardo Torres
    • educação
      Kit escolar da Prefeitura tem data para ser entregue
      por Silvestre Silva Santos
    • polêmica
      Gravataí e Cachoeirinha podem ter armas liberadas
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Outro baleado, mas poucos motoristas param na região
      por Eduardo Torres
    • opinião
      Farda não garante santidade; promoção, talvez
      por Rafael Martinelli
    • crime na saúde
      MP detalha repasses do Gamp e empresa de Gravataí
      por Eduardo Torres
    • freeway
      Marco Alba comemora troca de praça do pedágio
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Stédile, irmão de líder do MST é secretário de Leite; a verdade
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      CCR confirma mudança do pedágio
      por Silvestre Silva Santos
    • segurança
      Contra violência, motoristas de aplicativos prometem parar
      por Eduardo Torres
    • parceria público-privada
      RS-020 será concedida com pedágios
      por Rafael Martinelli
    • investigação
      MP faz conexão da investigação no Inter com Gravataí
      por Eduardo Torres
    • luto
      Não podemos ser como o Vilmar?
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Conheça os números da criminalidade em Gravataí
      por Silvestre Silva Santos
    • cultura
      Em Cachoeirinha, a leitura tem parada obrigatória
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.