notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 25/03/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna da Sônia

    Mercado Artesanal de La Mariscal: 200 postos com artesanato de todas as regiões do País

    Diário de viagem – La Mitad del Mundo – 16º dia

    por Sônia Zanchetta | Publicada em 14/02/2018 às 12h15| Atualizada em 15/02/2018 às 10h32

    A surpresa (sempre há uma) do café da manhã de ontem, na casa das minhas filhas, aqui em Quito, foram arepas de “tiesto” recheadas de queijo.

    Trata-se de uma receita típica do Equador. Ao contrário das arepas colombianas, feitas com farinha de milho, essas são preparadas com farinha de trigo integral e assadas em pratos de “tiesto” (barro).

    O tema do café não poderia ter sido outro: a participação da Paraíso do Tuiuti no desfile de Carnaval do Rio, na noite anterior. Viva o povo brasileiro!

    Logo depois, Bruno, Nanda e eu fomos ao Mercado Artesanal La Mariscal, onde compramos alguns presentinhos, para eu levar ao Brasil, pois minhas férias estão acabando.

    Aquele mercado é, realmente, espetacular. São 200 postos com artesanato de todas as regiões do País. Cada vez que vou lá, dou-me conta de tudo o que falta ver.

    Ontem, comprei, entre outras coisinhas, um “cuy” (preá) de brinquedo para minha afilhada. A carne do cuy é muito consumida por aqui, tanto que cerca de 710 mil famílias equatorianas se dedicam a sua produção.

    Mas, nos 17 anos em que vivi no Equador, nunca consegui prová-la, por mais que me afirmassem que era uma delícia, porque não a servem em cubinhos, mas o "cuy" inteiro, e me dava uma pena danada do bichinho.

    Em uma ocasião, fomos a um batizado em que meu ex-marido e eu éramos padrinhos, na Paróquia de Totoras, na província de Tungurahua, e antes de que eu pudesse dizer que era vegetariana (o que não sou), serviram-me um prato com batatas e um “cuy”.

    A solução foi me sentar bem ao fundo, enquanto todos prestavam atenção a um carinha que cantava “pasillos” (canções folclóricas equatorianas cujas letras sempre são dramáticas), e dar o “cuy” ao primeiro cão que passou, que, por sorte, meteu-se no mato e não ente os convidados, o que teria me matado de vergonha.

    Do Mercado Artesanal seguimos para um supermercado, pois o Bruno queria fazer compras para meu almoço de despedida, que teve estrogonofe de filé mignon, estrogonofe vegetariano (para as gurias), saladas e uma coisa que amo aqui no Equador: “papas cholas” fritas.

    Só quem andou por aqui sabe o que é a delícia dessa batata. Aliás, existem, no Equador, cerca de 350 tipos de batatas nativas, cultivadas por pequenos agricultores em alturas que chegam a 3.200 metros.

    A batata é um dos principais alimentos dos indígenas andinos, porque suportam o clima frio e as secas intermitentes. Nas ocasiões em que estivemos nos “páramos” (encostas das montanhas), quando vivia aqui, encontramos cultivos de batatas onde não era possível plantar mais nada.

    Depois do almoço, saímos todos, com a cachorrada da casa, a caminhar pela cidade, e, na volta, ficamos até tarde assistindo ao desfile de Carnaval do Rio.

    Amanhã tem o último capítulo da minha viagem a La Mitad del Mundo, que, como devem ter percebido, não foi a típica viagem turística, pois o que vim fazer no Equador foi passar uns dias com meus filhos, que voltaram a viver aqui há algum tempo, e rever amigos queridos.

    Quem vem a esta cidade pela primeira vez não pode deixar de visitar seus inúmeros museus e as igrejas e os monastérios do Centro Histórico, o que não fiz, agora, porque já conheço quase tudo e também por falta de tempo.

    Para quem curte artes visuais, sobretudo, o Equador é um prato cheio. Vocês não têm ideia da riqueza deste país no que se refere às artes pré-colombiana, colonial, contemporânea e popular.

    Este é, realmente, um lugar apaixonante!

     

    E o álbum de fotos:

     

    : Encontrei, no Supermaxi, uma fruta que nunca provei: mamey

     

    : Mercado Artesanal de La Mariscal

     

    : Mercado Artesanal de La Mariscal

     

    : Mercado Artesanal de La Mariscal

     

    : Praça Miravalle

     

    : Praça Miravalle

     

    : Praça Miravalle

     

    : Praça Miravalle

     

    : Praça Miravalle

     

    : Praça Miravalle

     

    : Praça Miravalle

     

    : Pelos caminhos de Quito

     

    : Pelos caminhos de Quito

     

    : Pelos caminhos de Quito

     

    : Pelos caminhos de Quito

     

    : Pelos caminhos de Quito

     

    : Pelos caminhos de Quito

     

    : Pelos caminhos de Quito

     

     

     

     

    • greve segunda
      Guia De Abordagem de Sindicalistas e Governo
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Temer Livre!
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      PT, o caçador de ’traidores’
      por Rafael Martinelli
    • cachoeirinha
      UPA 24 Horas pode atender até 5 mil pessoas por mês
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Como vereadores devem votar extinção do Ipag Saúde
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      A greve que pode beneficiar Marco Alba
      por Rafael Martinelli
    • extinção do ipag
      Nota do governo alerta que greve penaliza famílias e alunos
      por Rafael Martinelli
    • por onde anda
      Nós descobrimos onde está e o que faz a Tia Ivonete
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • última hora
      Greve contra extinção do Ipag Saúde começa segunda
      por Rafael Martinelli
    • extinção do ipag
      As propostas de planos privados para substituir Ipag Saúde
      por Rafael Martinelli
    • gravataí
      No que Gravataí vai usar 20 milhões de financiamento
      por Redação
    • opinião
      A estratégia por trás do projeto para manter Ipag Saúde
      por Rafael Martinelli
    • cachoeirinha
      Como vai funcionar estacionamento rotativo de Cachoeirinha
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • trânsito
      O balanço de um mês da nova ’dona da Freeway’
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • entrevista
      Dr. Levi é candidato a prefeito em 2020
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Depois do temporal, GM diz que vai investir
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Prefeitura envia extinção do Ipag Saúde à Câmara
      por Rafael Martinelli
    • rede sim
      Posto de R$ 15 milhões e 200 empregos abre neste ano
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Supremo colhe o sal que jogou na terra
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Meu Face é um Dogolachan Nutella; teste o seu
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.