notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 23/10/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do dienstmann

    Os políticos, esses gênios da astúcia

    por Cláudio Dienstmann | Publicada em 20/01/2018 às 16h43| Atualizada em 21/01/2018 às 16h16

    “Com o futebol pode-se alcançar melhores resultados do que com a política” (Guus Hiddink, técnico holandês).

    “Jogos de futebol também são decididos por falta de caráter – não se faz literatura, política e futebol com bons sentimentos” (Nélson Rodrigues, jornalista e dramaturgo).

     

    Na semana do julgamento aqui em Porto Alegre do Lula, num evento que pode mudar o futuro do Brasil ou no mínimo os rumos da eleição à presidência da república no final do ano, vamos dessa vez falar de política. Especificamente de políticos, esses gênios do improviso e da astúcia, no caso brasileiro.

    O velho Maluf é um dos grandes. Visitando uma cidade do interior, perguntou a um jovem como ia o seu pai. O rapaz respondeu que o pai estava morto. Maluf demonstrou indignaçao:

    – MORTO para você, filho ingrato: para mim ele é eterno.

    Getulio Vargas certamente nunca teria nomeado para o ministério do trabalho alguém que não paga os direitos dos SEUS empregados, como está acontecendo agora. Olha aí o Gegê:

    – No ministério tem gente capaz, o problema é que a maioria é capaz de qualquer coisa.

    Nelson Marchezan pai foi outro dos grandes. Ele era um mestre na arte do discurso e na organização dos discursos, que em muitos casos são acompanhados de churrasco. E aí é que vinha o truque:

    – O churra tem que ser sempre DEPOIS do discurso, e nunca antes, porque senão a turma come e vai embora, e você ficando falando sozinho.

    Ibsen Pinheiro também sempre foi ligeiro. Candidato a reeleição a deputado, ele apareceu depois de muito tempo na redação de um jornal. Sabia que algum dos ex-colegas ali poderia ironizar que ele só aparecia de hora de pedir voto, e largou na frente:

    – VOCÊS só falam comigo em tempo de eleição, eleitores volúveis.

    A falta de conhecimento das palavras pode ser um grande problema para as pessoas, especialmente políticos submetidos a discursos. Um sub-prefeito distrital de Estrela, por exemplo, tinha ouvido uma que era nova e estranha, e que para ele era sinônimo de merecimento, merecedora, digna. Ficou só esperando uma chance para usá-la, que veio logo, num encontro público. Quando alguém levantou dúvidas sobre a mulher do sub, envolvida numa maracutaia cavernosa, o homem viu a chance de bradar a nova palavra:

    – Saibam todos que minha mulher é MERETRIZ de muito respeito.  

    O general Flores da Cunha, governador do Rio Grande do Sul, era viciado em jogos de cartas, no pôquer, e usava a sua autoridade para resolver alguma dúvida – a seu favor. Certa vez, bateu com as cinco cartas bêbadas, sem qualquer conexão, e anunciou uma novidade maluca na regra – que tinha feito a maior combinação, um “farroupilha” – e raspou a mesa. Daí a pouco outro jogador também fez o tal “farroupilha”, e quando ia fazer a limpa ouviu o decreto do governador:

    – Só vale um por noite.

    Governador, advogado, militar e fazendeiro, Flores da Cunha torrou todo o seu dinheiro no carteado e em dois outros vícios: turfe e mulheres. No fim da vida, as pessoas iam visitá-lo no modesto apartamento onde vivia em Porto Alegre, e ele explicava resignado a sua falência num resumo:

    – Mulheres ligeiras, cavalos lerdos.

    O pai da sutileza foi Tancredo Neves, quase-presidente da república. Eleito, começou a receber visitas de pretendentes a cargos. Um desses auto-candidatos veio dizer que seus apoiadores exigiam que fosse nomeado ministro, e Tancredo nem piscou:

    – Pois pode dizer que eu realmente te convidei, e aí, para não ficar mal, só acrescente que VOCÊ não aceitou.

     

    Agenda histórica do futebol gaúcho na semana

     

    21.1, domingo

    1937 – Rio Grande, mais antigo clube do futebol brasileiro, campeão gaúcho, 2x0 Inter, Timbaúva

     

    22.1, segunda-feira

    1951 – Cruzeiro contrata do Rio de Janeiro o técnico Gentil Cardoso

     

    23.1, terça-feira

    1958 – Aneron Corrêa de Oliveira presidente da FRGF, oitavo mandato seguido

     

    24.1, quarta-feira

    1939 – Guarany de Bagé é bi estadual e único clube do interior duas vezes campeão gaúcho, 1x0 contra o Rio Grandense de Rio Grande, em Pelotas

     

    25.1, quinta-feira

    2014 – reabertura do Beira-Rio para a Copa do Mundo, jogo-treino Inter 3x0 Cerâmica de Gravataí

     

    26.1, sexta-feira

    1998 – Fundação do Sport Club Ulbra, de Canoas

     

    27.1, sábado

    1931 – Fundação do Grêmio Esportivo Renner, de Porto Alegre, campeão gaúcho de 1954

     

    • eleições 2018
      OPINIÃO | Gravataí ’endireitou’ entre 2014 e 2018
      por Rafael Martinelli
    • caso eduarda
      Divulgado retrato falado de suspeito da morte de menina
      por Eduardo Torres
    • cultura & arte
      Festival de Folclore teve nove grupos
      por Da redação
    • violência
      Quem matou a pequena Eduarda?
      por Eduardo Torres
    • opinião
      OPINIÃO | Em Gravataí, todos arriscam perder, menos um
      por Rafael Martinelli
    • pequenas empresas, grandes histórias
      Hangar, a pioneira do som
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • operação solidária
      TRF4 absolve Marco Alba por unanimidade
      por Rafael Martinelli com TRF4
    • solidariedade
      COM VÍDEO | Diogo luta contra síndrome rara
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Como entendi nota das Irmãs do Dom Feliciano sobre eleições
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Como ficou a duplicação da Centenário
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Gravataí virou ’cidade-dormitório de votos’
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Educação para o trânsito também fora da aula
      por Eduardo Torres
    • obras
      Plano de Marco prevê pontes e mais de 30 ruas até 2020
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.