notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 31/05/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do sommelier

    Cuidados importante antes de consumir sua cerveja

    por Rafael Santos | Publicada em 29/12/2017 às 13h10| Atualizada em 29/12/2017 às 13h11

    Todo o trabalho e os cuidados na fabricação e na preparação da cerveja podem ser perdidos caso não sejam observados detalhes importantes, que vão desde acondicionamento, transporte, estocagem, até o momento de, finalmente, verter a bebida no copo e apreciá-la.

    Luz, calor e agitação afetam negativamente a cerveja. Mesmo pequenas exposições a esses fatores podem causar oxidação, o que prejudica fortemente o sabor e o aroma. Por essa razão, é fundamental que o local de estocagem no mercado ou em casa esteja abrigado da luz - seja ela solar ou artificial. As garrafas marrons são mais indicadas do que as verdes para proteger o líquido de luzes indesejadas: garrafas transparentes não oferecem qualquer proteção.

    Alguns fabricantes mais preocupados com a qualidade final transportam seus produtos sob refrigeração e em contêineres totalmente escuros. Infelizmente esse cuidado não é muito comum. No Brasil, por exemplo, o manuseio dos barris de chope e dos engradados de cerveja chega a ser brutal. Em virtude do clima tropical, a temperatura nas carrocerias dos caminhões de transporte pode chegar a 60°C, o que é péssimo para a integridade da bebida.

    Também, nos países de clima quente, é comum o hábito de consumir a cerveja "estupidamente gelada", quando, na verdade, uma cerveja fria a ponto de quase congelar é uma cerveja sem gosto, porque a temperatura excessivamente baixa dificulta a exalação do dióxido de carbono, a formação de espuma e, consequentemente, a dispersão dos aromas. Além disso, uma bebida muito fria neutraliza as papilas gustativas, dificultando a percepção dos sabores, o que pode ainda esconder uma eventual deterioração do produto.

    De modo geral, não se recomenda o consumo de uma cerveja que seja a temperatura inferior a 7°C ou superior a 10°C: as amarelas (Pilsen, Kölsch)masi frias e as escuras (Stout e Porter) no limite superior.

    A espuma é uma boa referência, porque sua ausência pode denunciar uma cerveja fria demais.

    As cervejas devem ser guardadas na geladeira, preferencialmente em pé, de modo que a superfície de contato da bebida com o ar interno da garrafa ou da lata seja a menor possível. Deve-se evitar colocá-las na porta da geladeira, a fim de minimizar a agitação da bebida, bem como mantê-las próximas do congelador, para que a bebida não corra risco de congelamento. A cerveja congela a -2,5°C.

    A cerveja que sofreu congelamento é imprópria para o consumo e deve ser desprezada. É a chamada cerveja "choca", que perdeu o sabor, o gás e a identidade. Entretanto, não haverá problema se a temperatura do produto variar entre muito fria e temperatura ambiente, desde que não congele.

    Como se vê, a cerveja é uma bebida muito delicada e sensível. Quanto mais jovem, melhor; portanto muita atenção deve ser dada ao prazo de validade. O chope pode ser consumido até três dias depois de aberto o barril; a cerveja, até três meses após o engarrafamento ou três meses antes do vencimento do prazo de validade. Existem, porém, cervejas bem longevas e que até melhoram com o envelhecimento (ver quadro ao lado).

    Antes de servir uma cerveja deve-se observar, dentro da garrafa, o espaço vazio entre a tampa e o líquido, que não deve ser maior que três ou quatro centímentros: o excesso de ar causa oxidação, que deteriora o aroma e o sabor da bebida. É importante também atentar para a presença de algo semelhante a grãos de areia no interior da garrafa, pois isso pode ser sinal de contaminação por bactérias. em se tratando de latinhas, para evitar o risco de contaminação, é recomendável lava-lás antes de abrir, ainda que se pretenda servir a bebida em copos.

    Cheers!

     

    • crise do coronavírus
      O ‘urubu da imprensa’ errou, para menos; contágio em Gravataí cresceu 245 por cento
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Ele grita a sua impotência. Ou: Vamos ver como seria o ’gorpe do Parmito’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      As mortes sem rosto da COVID 19 em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • política
      ’Político alvo’ desafia abertura de ’CPI das fake news’ na Câmara de Gravataí; as bravatas e verdades múltiplas
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí receberá 36 milhões de socorro federal; funcionalismo com salários congelados até 2022
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Metade de Gravataí é ’grupo de risco’ para COVID 19; alerta aos ’covidiotas’
      por Rafael Martinelli
    • política
      Zaffa saiu da Havan como candidato a prefeito de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Luciano Hang e Marco Alba na ’inauguração surpresa’ da Havan Gravataí; assista
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      ’Gripezinha’, ’carreatas da morte’, Páscoa, reabertura e Dia das Mães; a progressão da COVID 19 em Gravataí e Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Por que hospital de campanha de Gravataí atrasou 30 dias; sem tirolesa ou ’Covidão’
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Cristiano Abreu | EDITOR | cristiano@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.