notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 20/11/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do silvestre

    Cruz Missioneira inaugurada em abril passado é homenagem à colonização de Gravataí, feita de modo pioneiro pelos índios Guaranis, e tem a finalidade de colocar o município no roteiro turístico das missões

    A Cruz Missioneira está coberta pela ferrugem. É assim mesmo?

    por Silvestre Silva Santos | Publicada em 17/10/2019 às 17h25| Atualizada em 29/10/2019 às 13h59

    Sim.

    A Cruz Missioneira, também conhecida como Cruz de Lorena ou Cruz de Caravaca, de origem espanhola e trazida às américas pelos padres jesuítas, cuja réplica, ou similar, inaugurada na entrada de Gravataí pela avenida Centenário no dia 12 de abril passado, está coberta pela ferrugem.

    Sim.

    Passados seis meses desde a sua inauguração, a ferrugem toma conta da cruz que tem cerca de quatro metros de altura e foi confeccionada pelo artista plástico Hermes José Vega Costa, o Ferreiro Veja, com cerca de 120 quilos de ferro.

    O fato foi motivo de críticas no Facebook – o grande tribunal das redes sociais como diz o jornalista Rafael Martinelli, aqui do Seguinte: - na semana passada, feitas por internautas que “condenaram” a administração municipal por, supostamente, ter jogado dinheiro fora ao não dar manutenção adequada ao monumento. E que, por isso, estaria se deteriorando por causa da ação do sol, da chuva, do vento...

    Mas, calma!

    É assim mesmo. Eu, o colunista que escreve, também desconhecia que a ferrugem é algo normal, esperado até.

    Procurei nesta semana o artista Ferreiro Vega para questioná-lo sobre o que, até então e também sob o meu ponto de vista, seria o começo do fim do monumento.

    --- Se revestir com algum produto para proteger da ferrugem, ou pintar, ela simplesmente apodrece --- explicou o artista e autor da Cruz Missioneira de Gravataí.

     

    : Ferreiro Vega e a cruz de sua autoria, em foto de abil, no dia da inauguração

     

    LEIA TAMBÉM

    COM VÍDEO | Gravataí entra na Rota das Missões de olho no potencial turístico

    O ferreiro global de Gravataí

    Cruz Missioneira resgata a importância dos guaranis na formação de Gravataí

     

    Exemplo prático

     

    Ferreiro Vega ainda exemplifica citando o monumento aos Açorianos, em Porto Alegre, estrutura toda concebida em aço e que nunca ganhou uma pintura ou qualquer tipo de revestimento. Ao contrário, também está coberto pela ferrugem que ganhou com o passar dos anos.

     

    Seguinte: - Veja, qual a durabilidade de uma peça como esta, feita em ferro, exposta ao tempo?

    Ferreiro Vega – Trabalho na artesania há 16 anos e tenho obras de arte externas que ainda não apodreceram. Para garantir mais do que isso eu preciso esperar o resultado delas...

     

    Seguinte: - Por que a ferrugem, ou deixar que enferruje, ao invés de pintar ou aplicar algum tipo de proteção?

    Ferreiro Vega – A ferrugem, depois que cobre o ferro, se torna uma proteção bem mais eficaz que a pintura. Use como exemplo o monumento dos Açorianos, em Porto Alegre. Nunca foi pintado. E se ela (a Cruz Missioneira) enferrujou em pouco tempo, isso faz parte do processo.

     

    MONUMENTO AOS AÇORIANOS

     

    1

    Homenagem à chegada, em 1752, dos primeiros 60 casais açorianos que deram início ao povoamento do que, hoje,  é Porto Alegre.

     

    2

    Tem 17 metros de altura e 24 metros de comprimento. Foi inaugurado há mais de 45 anos, em 26 de março de 1974, data de aniversário da cidade.

     

    3

    Foi concebido em aço, com linhas futuristas e instalado no Largo dos Açorianos, obra de autoria do artista Carlos Tenius, escultor.

     

    4

    A intenção é lembrar uma caravela, composta por corpos entrelaçados tendo à frente uma figura alada, referência ao ser mitológico Ícaro.

     

    Monumento aos Açorianos, em Porto Alegre, mais de 45 anos sem pintura ou proteção.

     

     

     

     

     

    • 3º Neurônio | comportamento
      Terapia de casal, mas de casal de amigos
      por Ana Bulnes Fraga | El País
    • 20 de novembro
      Gravataí abre a Semana da Consciência Negra
      por Redação
    • opinião
      O dia em que a Câmara foi o STF; e deu empate!
      por Rafael Martinelli
    • personagens
      Quem é Sirmar Antunes, o ator que respira arte, negritude e Gravataí
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      A reeleição de Miki e a desfiliação de Ibarú e Marco
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Cassação ameaça outra conselheira tutelar eleita
      por Rafael Martinelli
    • educação
      Escola Tuiuti está mais perto do fim
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Aniversário de Miki mostra força para reeleição
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Repercussão política foi instantânea do ’reajuste zero’
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      LDO prevê ’reajuste zero’ para funcionalismo
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.