notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 20/02/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do silvestre

    Obra que nunca sai: rotatória na parada 103 da RS-030, de acesso à estrada Artur José Soares, foi autorizada dia 2 de julho do ano passado com prazo de 180 dias para ficar pronta. Não ficou!

    Rotatória da 103: Gravataí vai fazer obra que Estado não conclui

    por Silvestre Silva Santos | Publicada em 03/09/2019 às 19h38| Atualizada em 10/09/2019 às 16h33

    Prefeito Marco Alba (MDB) “quebrou os canecos” – no jargão popular – com o governo do estado no começo desta semana, ao reclamar de várias obras que deveriam ter sido executadas em Gravataí e que não passaram de promessas. Sem contar a demora na definição de postulações que, segundo Alba, emperram a realização de outras e, por consequência, prejudicam ações que têm objetivo de melhorar a qualidade de vida das pessoas.

    A gota d’água foi a construção da rotatória na parada 103 da RS-030, de acesso à estrada Artur José Soares e por ela ao maior condomínio popular do Sul do Brasil, o Breno Jardim Garcia. Com ordem de serviço assinada em 2 de julho do ano passado, com prazo de seis meses para execução do serviço que previa também o asfaltamento de trecho de cerca de um quilômetro da Artur José Soares, está tudo parado.

    Parou mesmo em dezembro do ano passado.

    Neste ano, há cerca de 60 dias, final de junho e primeira quinzena de julho, por aí, a empreiteira RGS Engenharia, até ensaiou continuar os trabalhos e botou uns poucos funcionários a fazer o que não exigisse dinheiro. Afinal, desde outubro do ano passado não recebeu o dinheiro prometido e que deveria ter sido repassado pelo governo do estado.

    A boa vontade da RGS se devia ao fato de o prefeito Alba ter protocolado e insistido que pagaria pela obra, mediante posterior ressarcimento do estado aos cofres municipais. Depois de aproximadamente cinco meses de total indefinição e com o contrato com a RGS Engenharia já totalmente vencido, tempo normal de jogo mais a prorrogação, não restou outra alternativa.

    Contrato rescindido.

    Na melhor das traduções, agora a Prefeitura terá que abrir nova licitação para contratar uma empresa que se encarregue de terminar o que já está começado (e até o que está começando vai ter que ser parcialmente refeito porque está se deteriorando pela ação do tempo e trânsito de veículos além de furto de material e depredações).

    Isso demanda tempo. E dinheiro.

    --- Em fevereiro pedimos a prorrogação do contrato que havia sido firmado com o estado, algo natural já que aconteceu uma troca de governo, para que o contrato que firmamos com a empresa que venceu a licitação não perdesse a validade --- contou Alba.

    Que continuou:

    --- O governo do estado não nos respondeu nada, não nos deu qualquer indicativo, e depois disso pedimos para antecipar o pagamento com recursos da Prefeitura. Já se passaram cinco meses desde que fizemos este pedido para a obra da rótula não parar. O governo do estado desconsiderou, desconheceu as nossas tentativas --- acusa o prefeito.

     

    LEIA TAMBÉM

    Trevo na 103 e acesso ao distrito: por que obras não andam

    Começa obra de acesso ao Breno Garcia

    Prefeito vai adiantar verba para concluir acesso ao Breno Garcia, na RS-030

    Prefeito confirma o Seguinte: e diz que vai adiantar dinheiro para acabar obra na 103

     

    Quanto falta

     

    Em razão da situação criada, o prefeito disse com exclusividade para o Seguinte: que vai assumir o asfaltamento do trecho de aproximadamente 1.400 metros da estrada Artur José Soares. Alba não falou quanto dinheiro falta para concluir o trabalho – rótula e asfaltamento da estrada – mas o contrato inicial era de pouco mais de R$ 2 milhões e em abril o que o prefeito propunha era bancar os cerca de R$ 1,5 milhão que faltavam, para acabar com a novela.

    --- Esta é uma obra que já deveria estar pronta mas, infelizmente, desde outubro a empresa não recebe do estado, embora a contrapartida que é de responsabilidade do município já tenha sido cumprida. A nossa parte está rigorosamente em dia --- disse em julho passado o então secretário de Mobilidade Urbana e agora vereador, Alison Silva.

     

    O berro do prefeito

     

    --- Nós vamos fazer já que o estado não cumpre a sua parte (o asfaltamento da estrada), e não vai fazer a escola do Breno (Jardim Garcia) que tem a obrigação de fazer porque está contratualizado, está num convênio e eu duvido que o estado vá fazer. E ainda vem aqui posar de bom moço em algumas áreas.

     

    --- Vamos firmar um convênio, agora, de cooperação técnica, também para executarmos a rótula. Só achamos que para executar a rótula precisamos ter uma cláusula comprometendo o estado para que pague a sua parte. Porque, caso contrário, é deboche demais do estado do Rio Grande do Sul que, além de não fazer a obra, não vai pagar depois de ter contratado o convênio que, agora, a gente tem que assumir tudo.

     

    --- O que o governo do estado tem feito com Gravataí é piada! Estou falando do trevo (parada 103 da RS-030) podendo falar em saúde que nos devem R$ 20 ou R$ 24 milhões, que se arrastam por anos empurrando com a barriga e a gente tendo que pagar conta do governo do estado.

     

    --- Não podemos ficar chorando a vida toda... O pior é que é um choro com razão, porque a conta é deles (do governo gaúcho), não é conta nossa. Já pegamos a (RS-) 30 e estamos fazendo as pontes, já pegamos a (RS-) 20 e estamos duplicando... Tudo isso era conta do governo do estado. Mas o estado está quebrado, não sei para o quê que serve, e enquanto isso vamos tentar dar a resposta que a população precisa.

     

    A pergunta

     

    Seguinte: - Isso significa literalmente que o prefeito está quebrando os pratos com o governo do estado?

    Marco Alba – Não, não... É romper institucionalmente com estes contratos que não funcionam. Politicamente tenho o maior respeito pelo governador Eduardo Leite (PSDB), sei que ele não tem culpa disso porque pegou a bomba com a mão assim como eu peguei. Não é culpa do governador e não faço qualquer referência pejorativa em relação a ele. A insatisfação não é com relação ao governador, é com o governo do estado que há mais de 30 anos não consegue atender de forma razoável a comunidade gaúcha.

     

    Confira na íntegra o desabafo feito pelo prefeito Marco Alba clicando na imagem abaixo.

     

     

     

     

     

     

    • 3º Neurônio | opinião
      Cronofagia: o roubo do tempo, sono e ideias
      por Giuseppe Luca Scaffidi, em Dinamopress | Tradução: Antonio Martins | Outras Palavras
    • 3º Neurônio | ciência
      Por que é preciso proibir que manipulem nosso cérebro antes que isso seja possível
      por Javier Salas | El País
    • opinião
      As CPIs ’napoleão de hospício’ de Cachoeirinha; entendo Groucho
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Não tem Jesus para crise dos médicos em Gravataí; nem arminha
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Nada no Mato do Júlio será feito ao arrepio da lei ambiental; herdeiros escrevem
      por Rafael Martinelli
    • volta às aulas
      30 mil voltam às aulas na rede municipal nesta quarta
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • 3º Neurônio | opinião
      Nunca um presidente foi tão vulgar com uma mulher. Espere o efeito bumerangue
      por Carla Jimémez | El País
    • opinião
      ’Trolador da Globo’ faz vídeos para Anabel em Gravataí; a esquerda vive
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      GM não faz festa na produção do carro 4 milhões
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Acordo do Mato do Júlio é bom negócio; Greta Thunberg fica para amanhã
      por Rafael Martinelli
    • volta às aulas
      Tuiuti perde 400 alunos por causa dos prédios interditados
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • opinião
      Justiça cassa liminar que suspendia licitação do lixo em Cachoeirinha; o Dr. Golpeachment
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      CPI pode levar a rombo milionário em Cachoeirinha; não é ’jeitinho’, e sim alerta a quem paga
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      O custo do pórtico de Gravataí é fake news!
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Câmara de Viamão vota abertura de impeachment do prefeito
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Gravataí perde com sapos na frigideira; governo e oposição
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Todos contra o pedágio de Marchezan!; sorriam empresas de ônibus, vocês terão seu aumento
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Dimas não se escondeu após escândalo que envolveu aliado; a I Eleição das Fake News
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Silêncio é pena capital para prefeito afastado em Viamão; o herói incômodo
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Zaffalon, cada vez mais o prefeiturável de Marco Alba
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Pablo Hernandez agora é E-E-Eymael; a tara e o assombro dos ’petralhas’
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Político de Gravataí envolvido em suspeita de corrupção em Viamão
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Questões sobre a CPI do Lixo; do Fantástico ao Zorra Total
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Por que Gravataí ainda não abriu a ’creche de Jornal Nacional’
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.