notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 18/11/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do silvestre

    Retirada dos cones pelo prefeito Marco Alba e lideranças da comunidade marcou entrega simbólica da duplicação da avenida Centenário à comunidade no final de tarde-começo de noite desta quarta-feira

    COM VÍDEO | Como ficou a duplicação da Centenário depois de pronta

    por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt | Publicada em 18/10/2018 às 15h19| Atualizada em 05/11/2018 às 10h47

    Prometida para 21 de abril passado, a duplicação da avenida Centenário finalmente foi dada como oficialmente concluída no final da tarde de ontem (17/10). A obra, com prazo de duração de cinco meses, teve ordem de serviço assinada em 21 de novembro do ano passado. Na ocasião o diretor da empreiteira que executou o serviço, a Pedraccon Mineração e Pavimentação, Adriano Canal, chegou a falar em quatro meses “se tudo der certo”.

    Quase seis meses depois do prazo expirado o prefeito Marco Alba (PMDB) pode entregar a duplicação à comunidade. O ato, totalmente informal, reuniu algumas lideranças da comunidade, representantes da Câmara de Vereadores e os secretários diretamente envolvidos, Alison Silva (Mobilidade Urbana) e Paulo Ricardo Martins, o Paulão (da secretaria municipal de Obras Públicas).

    O ato se deu na frente do Gravataí Shopping Center, e o por do sol contribuiu para que o visual do final de tarde ficasse ainda mais bonito, contrastando com os faróis dos veículos e a iluminação especial com lâmpadas de LED, instalada pela Prefeitura com recursos próprios, extra contrato firmado com a Pedraccon.

    Que a obra ficou bonita, é inegável, mas pequenos problemas persistem. Por exemplo, o piso com asfalto irregular em alguns trechos, a proximidade das pistas com postes de sustentação da rede de distribuição de energia e a falta de calçadas para os pedestres em vários pontos.

    O secretário Paulão, das obras Públicas, e Alison, da Mobilidade, sustentam que o asfaltamento está dentro da normalidade e que eventuais irregularidades é do piso remanescente, da pista velha que não foi mexida. Sobre os postes, explicaram que mexer custa cerca de R$ 10 mil, cada um, e por isso foram recolocados apenas quatro, que apresentavam maior fator de risco.

    --- Todos os demais estão no mínimo a 30 centímetros do meio fio, distância regulamentar que permite a passagem de caminhões com segurança, com folga para os retrovisores --- disse Alison.

    Quanto à inexistência de passeios em vários trechos, os secretários argumentaram que a construção de calçadas é de responsabilidade dos proprietários dos imóveis. Tanto Alison quanto Paulão disseram que já há empresários que se adiantaram e adequaram as calçadas na frente de seus estabelecimentos.

    --- A gente espera que os demais tomem a iniciativa e ajeitem. Com os donos de imóveis mais reticentes, que não fizerem isso, daí sim a Prefeitura vai ter que intervir --- garantiu Paulão.

     

    O VALOR

     

    O contrato firmado com a Pedraccon Mineração e Pavimentação para duplicação da avenida Centenário, segundo foi revelado em novembro do ano passado, é de cerca de R$ 1,3 milhão.

     

    Custos extras

     

    Em fevereiro passado o encarregado de obras Juliano Silva Rodrigues, da empreiteira, disse que a obra estava atrasada por conta de intervenções que não estavam previstas e que isso acarretou em aditivos financeiros junto ao governo municipal. Ontem o secretário Paulo Martins, de Obras Públicas, disse que não houve acréscimo de valores ao contrato firmado e que os custos extras bancados pela Prefeitura dizem respeito à iluminação e sinalização especiais.

    --- Não tinha como deixar com a iluminação que tinha antes, e a sinalização que implantamos é para durar por uns três ou quatro anos, por aí --- afirmou o secretário.

     

    O atraso

     

    A obra demorou mais por diversos fatores. O que disse o secretário Paulo Martins, das Obras Públicas:

     

    --- Em alguns locais foi necessária uma intervenção maior do que estava previsto para que o piso ficasse em condições de receber o asfalto e o intenso e pesado trânsito da avenida.

    --- Na frente do shopping tivemos um problema sério com uma galeria pluvial que por pouco não explodiu tudo que está na volta quando foi mexida. É que foi rompida a tubulação do gás natural que passa por aqui.

    --- Tivemos que elevar o nível da rua para facilitar o acesso dos ônibus à nova parada, na frente do shopping. Com o desnível que tinha, encostava a traseira dos ônibus no asfalto quando eles faziam a curva.

    --- Foram 25 dias de chuvas em julho. Em setembro também choveu por 25 dias. Não tem como trabalhar com tanta chuva e umidade que fica.

    --- O mais importante é que decidimos fazer esta obra sem impactar no trânsito, ou seja, sem interromper ou desviar o fluxo de veículos. Uma intervenção destas acabaria causando sérios transtornos à mobilidade das pessoas. Isso foi o que demandou maior tempo para execução do serviço.

     

    Confira a reportagem do Seguinte: no vídeo abaixo.

     

    Os gargalos

     

    O prefeito Marco Alba – com jeitão de que a duplicação da Centenário é sua “menina dos olhos” – afirmou que a obra é uma das mais importantes dos tempos modernos de Gravataí juntamente com a revitalização da Adolfo Inácio de Barcelos, a nova rótula do Aldeião e a construção das novas pontes do Parque dos Anjos.

    Questionado sobre os gargalos que restam nas extremidades da avenida Centenário (pontes do Parque e trevo com a RS-118), explicou que a duplicação das pontes já é um processo em andamento, com licitação lançada e em fase de recebimento de propostas. Provavelmente na semana que vem deve ser conhecida a empresa que vai executar a obra.

    Sobre a RS-118 e o gargalo que se forma no local em horários de pico, explicou que o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), autarquia do estado à qual compete o gerenciamento, a manutenção e a realização de obras na rodovia, já está elaborando projeto para lançar licitação ainda este ano visando a construção de viadutos no local.

    --- Pelo que vi do projeto são viadutos em três níveis. Um do solo e outros dois de quatro e oito metros (de altura) para acessar o Distrito Industrial e para quem quer ir para a Freeway --- explicou, antes, o secretário Alison Silva, da Mobilidade Urbana.

    De acordo com o prefeito, se o Daer não executar o projeto dos viadutos, o governo municipal tem como alternativa um projeto elaborado pela paulista Tranzum Consultoria de Trânsito, empresa que há mais de três anos presta assessoria na área de transito e mobilidade para a Prefeitura de Gravataí.

     

    Veja simulação do projeto da Tranzum para o trevo da Centenário com a RS-118 clicando aqui:

     

    SEM FILAS

     

    Pela proposta da Tranzum, a saída da Centenário para a RS-118 em direção à Sapucaia do Sul seria alargada, assim como as alças de acesso ao Distrito Industrial e a BR-290, a Freeway. Além disso, seriam implantadas pistas livres e conjuntos de semáforos para regular a passagem dos veículos evitando a formação de grandes filas.

     

    LEIA TAMBÉM

    Como anda obra que pavimenta novas pontes do Parque

    COM VÍDEO | Agora é a avenida Centenário, depois a Adolfo e as pontes do Parque

     

    O que vem por aí

     

    1

    Revitalização da Adolfo Inácio de Barcelos, em obras. Previsão de entrega até o final de novembro próximo

     

    2

    Duplicação das pontes sobre o Arroio dos Ferreiros, licitação em andamento. Previsão de entre até o final do ano que vem

     

    3

    Revitalização da rótula no entroncamento da Adolfo Inácio com avenida Centenário, ou rótula do Aldeião, ainda sem data para iniciar. Deve acontecer paralelamente à construção das novas pontes do Parque.

     

    4

    Duplicação da avenida Ely Correia (após as pontes do Parque) até o acesso à fábrica da Pirelli. Sem previsão de início.

     

    5

    Revitalização da rótula no entroncamento da avenida Centenário com RS-118 facilitando acesso ao Distrito Industrial e Freeway. Sem previsão para iniciar. Projeto de viadutos em fase de finalização no Daer. Prefeitura tem projeto alternativo, já elaborado, mas depende de autorização da autarquia estadual para execução.

     

    A avenida Centenário em fotos:

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    • mais médicos
      Saída de médicos cubanos preocupa prefeitura
      por Rafael Martinelli
    • pequenas empresas, grandes histórias
      COM VÍDEO | Lentes que retratam vidas
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • saúde
      Frente de prefeitos reage a saída de médicos cubanos
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Hoje até vereador comemora médicos indo embora
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Todo sábado é dia para adotar um pet na Sperk
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • meio ambiente
      COM VÍDEO | A nossa lista vermelha da extinção
      por Eduardo Torres
    • trânsito
      Fim da tranqueira no trânsito está mais próximo
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Saída de médicos cubanos é desastre para Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      OPINIÃO | Não façam Bordignon ’Miss Colômbia’ outra vez
      por Rafael Martinelli
    • meio ambiente
      Cobrança pela água do Gravataí pode gerar R$ 9 mi em um ano
      por Eduardo Torres
    • desejo azul
      Gremistas entregam alegria para crianças doentes
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • seu bolso
      OPINIÃO | Silvio Santos é um velho babão
      por Rafael Martinelli
    • cachoeirinha
      Asfalto em 33 ruas é símbolo para governo Miki
      por Rafael Martinelli com assessoria
    • educação
      OPINIÃO | O big brother da escola sem partido em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • história
      A história da Cachoeirinha do primeiro pedágio
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      ‘Jardins do pesadelo’ estão perto do fim?
      por Silvestre Silva Santos
    • política
      OPINIÃO | 25 nomes para prefeitura de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • polícia
      Jovem executado por engano em hospital era de Cachoeirinha
      por Silvestre Silva Santos
    • vereadores
      Quem leva a presidência da câmara de Gravataí?
      por Rafael Martinelli
    • efeito cascata
      OPINIÃO | Vereadores, não aumentem os salários
      por Rafael Martinelli
    • 2020
      OPINIÃO | A sucessão nas mãos de Marco Alba
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.