notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 14/08/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do silvestre

    Terreno onde vai ser construído megaempreendimento do Grupo Zaffari fica na parada 60 da avenida Dorival de Oliveira, em Gravataí

    EXCLUSIVO | O que está travando o Zaffari de Gravataí

    por Silvestre Silva Santos | Publicada em 09/02/2018 às 17h03| Atualizada em 19/02/2018 às 17h13

    A direção do Grupo Zaffari não faz referência ao andar de tartaruga do processo de desapropriação, pela Prefeitura de Gravataí, da área que necessita para construir o arruamento e fazer deslanchar as obras do megaempreendimento de R$ 300 milhões, ou mais, na altura da parada 60 da avenida Dorival Cândido Luz de Oliveira.

    Pelo contrário.

    No e-mail que recebi hoje da agência Prática, o Zaffari faz parecer que está tudo normal.

    Mas não está!

    Dos quatro donos do terreno lindeiro à propriedade do grupo que tem o esquilo como mascote, pelo menos dois estariam de queixo duro e descontentes com os valores propostos pelo município pela área desapropriada. A situação ainda não está documentada, mas a insatisfação verbal já chegou à administração municipal.

    Ou seja, pode até acontecer uma contestação judicial à desapropriação assinada pelo prefeito Marco Alba (PMDB) dia 11 de novembro passado. Caso isso ocorra de fato o projeto do powercenter do Zaffari em Gravataí entra novamente em stand by. É que a empresa precisa da liberação das áreas para construir as ruas, até para fazer o projeto técnico da obra.

    Até agora, na Prefeitura, não há nenhum protocolo referente a qualquer projeto do Grupo Zaffari. O que existe, tão somente, é o fato de o conglomerado de ‘hipers’ e ‘supers’ ter adquirido um terreno em Gravataí e tornado público o plano de investir na cidade.

     

    O Zaffari

     

    Por outro lado, e menos mal que seja assim, pelo que a direção do Grupo deu a entender no e-mail da Prática, as coisas estão seguindo seu curso normal. Ou seja, a expectativa é de que a movimentação maior se dê a partir de março com a feitura dos projetos necessários e o encaminhamento da documentação à Prefeitura.

    Aliás, dentro da administração municipal reina uma certa tranquilidade em torno do assunto já que, informalmente, o prazo para deslanchar o powercenter, falado pelo próprio diretor de expansão Cláudio Luiz Zaffari, na sua última visita ao município, é mesmo no mês que vem, março.

    Sobre a desapropriação, diz o e-mail:

    --- A Prefeitura Municipal de Gravataí está trabalhando nos ajustes formais decorrentes da desapropriação para liberar efetivamente as áreas necessárias para implantar o sistema viário previsto no Plano Diretor do Município para a região do empreendimento.

     

    LEIA TAMBÉM

    Publicado decreto da desapropriação da área para o Zaffari

     

    Nada protocolado

     

    A contradição está na informação vinda do Zaffari, segundo a qual: “Os projetos das vias estão tramitando e precisam ser liberados para posteriormente entrarem no processo de contratação e execução”. Fonte de dentro da administração assegura, como referi antes, que não há qualquer projeto ou pedido protocolado na Prefeitura.

    A obra do megaempreendimento do Grupo Zaffari, no terreno de 203 mil metros quadrados, vai se dar por fases segundo a informação que recebi nesta sexta. A implantação dos módulos será por etapas com ênfase à construção do Hipermercado Zaffari, âncora central do empreendimento como um todo.  

     

    O que mais tem no e-mail:
     

    1

    As fases de implantação ainda não estão definidas e os estudos estão sendo retomados.

     

    2

    Já foi concluído o estudo de acessibilidade viária, principalmente observando a Avenida Dorival Cândido Luz de Oliveira, principal artéria da região, mas não descuidando das interligações internas com a malha viária existente.

     

    3

    Após os projetos definidos, aprovados e licenciados, com as fases de implantação identificadas, serão organizados os novos cronogramas e plano de negócio para o empreendimento.

     

     

     

    • eleições 2018
      Juliano Paz, um pé em Gravataí, outro em Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • homenagem
      Diretora do Gensa e Facensa recebeu placa em Brasília
      por Silvestre Silva Santos
    • homenagem
      Denise, a Medonha, vai virar nome de biblioteca
      por Eduardo Torres
    • personagens
      COM VÍDEO | O caçador que abraçou um rio
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • coluna do silvestre
      Quem comprou o terreno do prédio mais alto
      por Silvestre Silva Santos
    • eleições 2018
      10 coisas sobre a foto que mexeu com a política local
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      OPINIÃO | Bagunça na Freeway, com Justiça & tudo
      por Silvestre Silva Santos
    • meio ambiente
      O plano que vai definir a cobrança por uso da água do Gravataí
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.