notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 13/07/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    crise do coronavírus

    Protocolo do Ministério da Saúde determina caixões fechados para conter contágio do novo coronavírus

    As mortes sem rosto da COVID 19 em Gravataí

    por Rafael Martinelli | Publicada em 29/05/2020 às 21h50| Atualizada em 06/06/2020 às 12h26

    Quatro mortes em Gravataí. Sem rosto. Nenhuma família quis falar com o Seguinte:. Há um estigma na COVID-19. Igual às doenças do passado – e não tão distante.

    A busca que fiz por depoimentos para escrever um artigo que, ao meu pedido, serviria como um alerta àqueles não acreditam na virulência do vírus, sempre encontrou um não – ou um vácuo, sem resposta.

    Quando não foi o grito do silêncio, ouvi doloridos e, por vezes, agressivos, ‘nãos’:

    – Acabei de enterrar minha mãe!

    Em caixão fechado, e após dias de isolamento, saibam, porque é o protocolo do Ministério da Saúde para casos confirmados, ou mesmo suspeitos, de óbito em decorrência da COVID-19.

    Compreendi cada ‘não resposta’ e cada ‘não’, e resignei-me a um dos piores momentos para o jornalista: pedir uma entrevista a alguém que recém perdeu um ente querido.

    A todos, depois da inconveniência, enviei mensagens pelo WhatsApp (cujo contato cada um deve ter ficado imaginando como consegui), pedindo desculpas pela indiscrição no momento da perda e ‘justificando’ que “é o meu trabalho”.

    Mas os ‘nãos’ tem, se não uma explicação rápida, material para estudo. Arrisco uma teoria.

    O termo “estigma” vem da Grécia Antiga. Designava sinais corporais que desqualificavam o cidadão marcado. Escravos, criminosos e traidores traziam essas marcas nos corpos, como forma de serem segregados em locais públicos.

    Parece-me que o novo coronavírus é chaga pior do que bala achada.

    Você pode ler sobre doenças que estigmatizam voltando à Idade Média e a ‘peste negra’, ou avançar um pouco para a ‘gripe espanhola’, a ‘sífilis’, a ‘lepra’, ou ter testemunhado o preconceito com O CÂNCER (sim, tinha gente que não chegava perto!), ou a Aids, nos anos 80.

    Reputo natural que as famílias das vítimas de Gravataí da COVID-19 não queiram falar, porque também elas são testadas pela Secretaria da Saúde, e alguns obviamente restam infectados.

    Aí vem a reação dos vizinhos, cujo potencial calculo pelas perguntas feitas ao Seguinte: quando postamos o bairro de alguém que testou positivo – ou, mais ainda, perdeu a vida:

    – Qual é a rua?

    Ao fim, não sou nenhum ‘urubu da imprensa’ caçando cliques por mortes. Inegável é que um depoimento de alguém que perdeu um ente querido tem o peso de um compromisso mínimo para a comunidade: “use máscara, não participe de aglomerações, não é só uma gripezinha, se cuide e etecetera”.

    Mas compreendo as famílias enlutadas. E sigo à disposição. 

     

    LEIA TAMBÉM

    Metade da população de Gravataí é ’grupo de risco’ para COVID 19; alerta aos ’covidiotas’

    ’Gripezinha’, ’carreatas da morte’, Páscoa, reabertura e Dia das Mães; a progressão da COVID 19 em Gravataí e Cachoeirinha

    Hospital de campanha de Gravataí abre dia 10; sem tirolesa ou ’Covidão’

    Contágios em famílias de Gravataí mostram perigo do vírus; é homicídio, não suicídio

    Gravataí não volta às aulas em junho; alerto para o ’apartheid escolar’

    Gravataí não terá ’apartheid escolar’; Marco Alba, proíba o governador de mandar alunos pobres para sala de aula!

    5 profissionais da UPA de Gravataí tem COVID; é o ’novo normal’

    Clique aqui para ler a cobertura do Seguinte: para a crise do coronavírus

    • negócios
      Atacado do Zaffari vai abrir ao lado da Havan de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Candidato a prefeito luta contra COVID 19
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Não há ’surto’ da COVID 19 na Clínica Rebelato; a informação liberta
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Não há ’Covidão’ nas suspeitas sobre hospital de campanha de Cachoeirinha; mas, secretário, pede para sair!
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Ricos de Gravataí poderiam pagar por serviços domésticos proibidos na pandemia; a vaquinha da piscina
      por Rafael Martinelli
    • campanha
      Bebê de Gravataí volta para casa após 100 dias hospitalizada; vaquinha online conseguiu respirador
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí e Cachoeirinha testam 8 vezes menos do que recomenda OMS
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Em 10 dias, Gravataí e Cachoeirinha tem mais casos do que em 4 meses de pandemia
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Cachoeirinha não vai fornecer Cloroquina no ’kit COVID 19’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Não vai ter helicóptero distribuindo Cloroquina pelos céus de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí vai fornecer Cloroquina pelo SUS; a responsabilidade está com os médicos
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Nem com COVID 19 Bolsonaro ajuda; fãs já morreram em Gravataí e Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.