notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 13/07/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    política

    Marco Alba e Luiz Zaffalon entre os vips convidados para inauguração da Havan de Gravataí na noite desta quarta

    Zaffa saiu da Havan como candidato a prefeito de Gravataí

    por Rafael Martinelli | Publicada em 28/05/2020 às 17h23| Atualizada em 03/06/2020 às 11h34

    Printe & Arquive na Nuvem.

    O sociólogo Luiz Zaffalon, 65 anos, é quem aparece nas fotos oficiais, além do prefeito Marco Alba e do vice Áureo Tedesco, na inauguração reservada da loja de R$ 23 milhões e 200 empregos da Havan, na RS-118, em Gravataí.

    Outros secretários e CCs fizeram selfies na frente da estátua da liberdade, e tietaram o empresário Luciano Hang, mas apenas o secretário de Governo ganhou foto no site oficial da Prefeitura, como você confere clicando aqui.

    É evidência de que o candidato à sucessão já está escolhido, tal a importância que o prefeito deu à abertura da loja, inclusive com transmissões ao vivo em seu perfil no Facebook.

    No suspense que Marco Alba habilmente incentiva, já se falou até no recém chegado médico Marcelo Leone, e também cresceu a cotação do advogado Jean Torman, pela condução da Secretaria da Saúde na pandemia.

    Tem também o ex-deputado federal Jones Martins, que vai disputar a convenção, mas todos sabem que será a candidatura ‘adversária’ de Marco Alba.

    Mas Zaffa, já escolhido como coordenador geral do Comitê de Solidariedade ao Enfrentamento do Coronavírus parece mesmo ser o escolhido do amigo de três décadas.

    O ‘outsider’ – nunca concorreu, apesar de ter presidido o MDB, acompanhado Marco Alba na Assembleia Legislativa, no governo Yeda Crusius, ter sido o ‘prefeito de fato’ no mandato-tampão de Nadir Rocha, ter tocado o governo Acimar da Silva e ser uma espécie de ‘gerentão’ nos dois mandatos de Marco Alba na Prefeitura – já pode começar a se adaptar ao ‘ser político’.

    Millôr descrevia bem.

    Ser político é engolir sapo e não ter indigestão, respirar o ar do executivo e não sentir a execução, é acreditar no diálogo em que o poder fala e ele escuta, é ser ao mesmo tempo um ímã e um calidoscópio de boatos, é aprender a sofrer humilhações todos os dias, em pequenas doses, até ficar completamente imune à ofensa global, é esvaziar a tragédia atual com uma demagogia repetida de tragédia antiga, é ver o que não existe e olhar, sem ver, a miséria existente, é não ter religião e por isso mesmo cortejar a todas, é, no meio da mais degradante desonra, encontrar sempre uma saída honrosa, é nunca pisar nos amigos sem pedir desculpas, é correr logo pra bilheteria quando alguém grita que o circo pega fogo, é rir do sem-graça encontrando no antiespírito o supremo deleite desde que seu portador seja bem alto, é flexionar a espinha, a vocação e a alma em longas prostrações ante o poder como preparação do dia de exercê-lo, é recompor com estoicismo indignidades passadas projetando pra história uma biografia no mínimo improvável, é almoçar quatro vezes e jantar umas seis pra resolver definitivamente o problema da nossa subnutrição endêmica, é tentar nobremente a redistribuição dos bens sociais, começando, é natural, por acumulá-los, pois não se pode distribuir o pão disperso, e é ser probo seguindo autocritério. E assim, por conhecer profundamente a causa pública e a natureza humana, estar sempre pronto a usufruir diariamente do gozo de pequenas provações e a sofrer na própria pele insuportáveis vantagens.

     

    LEIA TAMBÉM 

    Luciano Hang e Marco Alba na ’inauguração surpresa’ da Havan Gravataí; assista

    • negócios
      Atacado do Zaffari vai abrir ao lado da Havan de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Candidato a prefeito luta contra COVID 19
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Não há ’surto’ da COVID 19 na Clínica Rebelato; a informação liberta
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Não há ’Covidão’ nas suspeitas sobre hospital de campanha de Cachoeirinha; mas, secretário, pede para sair!
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Ricos de Gravataí poderiam pagar por serviços domésticos proibidos na pandemia; a vaquinha da piscina
      por Rafael Martinelli
    • campanha
      Bebê de Gravataí volta para casa após 100 dias hospitalizada; vaquinha online conseguiu respirador
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí e Cachoeirinha testam 8 vezes menos do que recomenda OMS
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Em 10 dias, Gravataí e Cachoeirinha tem mais casos do que em 4 meses de pandemia
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Cachoeirinha não vai fornecer Cloroquina no ’kit COVID 19’
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Não vai ter helicóptero distribuindo Cloroquina pelos céus de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí vai fornecer Cloroquina pelo SUS; a responsabilidade está com os médicos
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Nem com COVID 19 Bolsonaro ajuda; fãs já morreram em Gravataí e Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.