notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 15/07/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    opinião

    1ª DP de Gravataí investiga golpe a partir de registro de ocorrências

    Investigado ’golpe do precatório’ em Gravataí

    por Rafael Martinelli | Publicada em 10/02/2020 às 14h26| Atualizada em 29/02/2020 às 21h50

    Clientes de ao menos dois escritórios de advocacia de Gravataí foram alvos do ‘golpe dos precatórios’. A partir de quatro ocorrências registradas nos primeiros dias de fevereiro na 1ª Delegacia de Polícia Civil o delegado Marcio Zachello vai abrir inquérito para investigar o esquema que pede depósitos para liberação do dinheiro devido por governos a pessoas físicas e jurídicas.

    Para se ter uma ideia do potencial do golpe, só a Prefeitura de Gravataí tem R$ 66 milhões em precatórios inscritos em 2019. No Rio Grande do Sul, o estoque ficou em R$ 12,7 bilhões no ano passado.

    Os precatórios são dívidas trabalhistas ou cíveis, com condenação judicial definitiva ou irrecorrível, já inscritas no orçamento público para pagamento.

    Credor de R$ 86 mil em precatório municipal caiu no golpe. Ele recebeu uma ligação, com código 51 no celular, de suposto advogado, com sotaque gaúcho, pedindo em nome do escritório responsável pelo ganho da causa, um depósito de R$ 3,8 mil para o pagamento de taxas judiciais necessárias para a liberação do dinheiro.

    No mesmo dia 2 de fevereiro, o funcionário público aposentado fez o depósito em uma conta da Caixa Econômica Federal – agência 0751, de Maranguape, Ceará – e só após receber nova ligação, agora pedindo R$ 8,8 mil, fez contato com seu advogado de Gravataí, que informou não trabalhar com nenhum tipo de cobrança para liberação do precatório.

    Ao pesquisar a origem da dívida, o profissional, que trabalha com uma causa estadual da vítima, observou que o precatório era municipal e ligado a outro escritório da cidade, que também negou qualquer cobrança extra.

    Suspeitando de um golpe, já que dados sobre precatórios podem ser consultados em portais de transparência de governo e em processos nos tribunais de justiça, os advogados dos dois escritórios orientaram o cliente a registrar ocorrência policial e dispararam mensagens de WhatsApp avisando clientes.

    Três outros casos foram relatados, mas em nenhum deles credores fizeram os depósitos. Em uma das tentativas de fraude, esposa tinha sido avisada pelo marido, que tinha recebido o alerta do escritório com o qual seu precatório tem ligação.

    – O procedimento é tentar identificar os beneficiários desses valores que foram pagos de forma indevida, os titulares das contas bancárias utilizadas (que em geral são de ‘laranjas’, que emprestam seus dados) e aí podemos chegar aos verdadeiros golpistas – projeta o delegado.

    Com a experiência de quem já está com pedido de aposentadoria encaminhado, Marcio Zachello alerta que, em muitos casos, são utilizados documentos falsos para abertura das contas.

    – É aí que fica difícil a investigação. Mas tentaremos identificar os golpistas.

    A orientação é de que quem for procurado rejeite propostas e procure a Polícia Civil. Outra recomendação é não fornecer dados pessoais a terceiros, já que essas informações podem ser utilizadas para fins ilícitos.

    Para preservar as vítimas, o Seguinte: não divulga o nome das pessoas lesadas e nem dos escritórios, mas os dados e documentos apurados pela reportagem, como o nome do advogado e a conta usada para receber o depósito já foram repassados ao delegado.

    O celular usado pelos golpistas resta desligado desde quinta.

    • crise do coronavírus
      Decreto libera formas de comércio em Gravataí; entenda como
      por Redação
    • política
      Marco Alba, o exterminador de dívidas; como ficarão as contas de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • saúde
      Nova unidade de saúde da família é a mais moderna de Gravataí e fica aberta das 7h às 19h
      por Redação
    • crise do coronavírus
      Prefeito de Viamão testa positivo para a COVID-19 e está hospitalizado; Caso inspira cuidados, diz secretário
      por Cristiano Abreu
    • crise do coronavírus
      Mortalidade da COVID 19 em Gravataí é maior que média gaúcha, igual a Porto Alegre e próxima a São Paulo; siga os dados
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Em ’Decreto Pilatos’, Leite pode permitir Marco Alba e Miki Breier decidir sobre abrir ou fechar comércio em Gravataí e Cachoeirinha; entre vidas e votos
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Atacado do Zaffari vai abrir ao lado da Havan de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Candidato a prefeito luta contra COVID 19
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Não há ’surto’ da COVID 19 na Clínica Rebelato; a informação liberta
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí e Cachoeirinha testam para COVID 8 vezes menos do que recomenda OMS
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Em 10 dias, Gravataí e Cachoeirinha tem mais casos do que em 4 meses de pandemia
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.