notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 15/07/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    opinião

    Vereadores aprovaram requerimento polêmico em sessão que avançou na noite desta quinta

    Já há lei do piso do magistério em Gravataí; Câmara faz demagogia

    por Rafael Martinelli | Publicada em 07/02/2020 às 15h26| Atualizada em 20/02/2020 às 13h30

    Aqui vai o chato ‘estragar’ o que parece notícia boa. Não é por torcida ou secação, até porque é o óbvio ululante que professores merecem ganhar melhor. São os fatos, aqueles chatos que atrapalham argumentos.

    Como na emenda de dezembro em que propôs a reposição já em janeiro de 19,7% em perdas inflacionárias sofridas pelo funcionalismo municipal nos anos de ‘reajuste zero’ do governo Marco Alba (MDB), e tratei pela última vez em A demagogia sobre o salários dos professores; o burro e a récua e nos links relacionados no artigo, Rosane Bordignon (PDT) flerta mais uma vez com a demagogia ao apresentar requerimento exigindo “cumprimento imediato da Lei do Piso Nacional do Magistério”.

    E, para aumentar a polêmica, a Câmara embarcou no ‘caça-cliques’ – não só a oposição, mas também a base do governo. A aprovação foi por unanimidade. 19 a 0. Só não votaram o presidente Neri Facin (PSDB), porque sua manifestação só é necessária em caso de empate, e Dimas Costa (PSD), ausente da sessão.

    Trato a aprovação do requerimento como um assédio à demagogia porque a própria Câmara, com o voto de Rosane e também com unanimidade dos vereadores, aprovou em dezembro o projeto 4168, enviado pelo prefeito para regularizar o pagamento do piso.

    Mais: a proposição chegou ao legislativo após meses de negociação entre o governo e o sindicato dos professores. É uma conquista da categoria, que também conseguiu que nunca haja uma diferença menor que 10% entre os níveis da carreira, o que poderia acontecer em tempos de fim de mês perpétuo para o funcionalismo sem reajustes com ganho real.

    Em resumo: conforme aprovado em dezembro, e assim será em todos os anos, a cada reajuste do piso nacional (e neste janeiro o percentual foi de 12,8%) automaticamente a Prefeitura de Gravataí, seja o governo do lado que for da ferradura ideológica, terá que cumprir a lei municipal e nenhum professor vai receber menos. Como os educadores estão em férias, os salários aparecerão com o reajuste na folha de fevereiro, para pagamento em março.

    O requerimento não vale mais que uma manobra política para seduzir o professorado que se permitir enganar. Fica parecendo uma esperteza de ano eleitoral para faturar em cima de uma negociação já concluída entre o sindicato dos professores e o governo. Como a lei já está valendo, o requerimento, na prática, vai do nada a lugar algum. É como parlamentares que apresentam requerimentos pedindo asfaltamento de ruas contratadas em financiamento junto ao Banco do Brasil desde o segundo semestre de 2018.

    Ao fim, cuidado com a desmoralização, vereadores! A meia verdade tem uma metade mais próxima da mentira... E Rosane, com o tamanho de 44 mil votos como candidata a prefeita em 2016, não precisa disso para os professores saberem que há mais de três décadas defende a categoria. 

    • crise do coronavírus
      Decreto libera formas de comércio em Gravataí; entenda como
      por Redação
    • política
      Marco Alba, o exterminador de dívidas; como ficarão as contas de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • saúde
      Nova unidade de saúde da família é a mais moderna de Gravataí e fica aberta das 7h às 19h
      por Redação
    • crise do coronavírus
      Prefeito de Viamão testa positivo para a COVID-19 e está hospitalizado; Caso inspira cuidados, diz secretário
      por Cristiano Abreu
    • crise do coronavírus
      Mortalidade da COVID 19 em Gravataí é maior que média gaúcha, igual a Porto Alegre e próxima a São Paulo; siga os dados
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Em ’Decreto Pilatos’, Leite pode permitir Marco Alba e Miki Breier decidir sobre abrir ou fechar comércio em Gravataí e Cachoeirinha; entre vidas e votos
      por Rafael Martinelli
    • negócios
      Atacado do Zaffari vai abrir ao lado da Havan de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Candidato a prefeito luta contra COVID 19
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Não há ’surto’ da COVID 19 na Clínica Rebelato; a informação liberta
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Gravataí e Cachoeirinha testam para COVID 8 vezes menos do que recomenda OMS
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Em 10 dias, Gravataí e Cachoeirinha tem mais casos do que em 4 meses de pandemia
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.