notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 24/02/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    opinião

    Marco Alba e Áreo Tedesco, no Palácio Piratini

    Marco Alba estrela no lançamento da PPP da Corsan; as tâmaras no deserto

    por Rafael Martinelli | Publicada em 16/08/2019 às 16h55| Atualizada em 23/08/2019 às 14h36

    Marco Alba foi uma das estrelas do lançamento do edital da parceria público-privada da Corsan, na manhã desta sexta, no Palácio Piratini.

    Os detalhes da PPP de R$ 9,5 bilhões em 35 anos, que projeta água e esgoto tratado para nove em cada dez residências até 2028, e um ano antes para o sistema Gravataí-Cachoeirinha, já tratei no artigo  Como tirar Gravataí do rodapé do saneamento, publicado pelo Seguinte: na semana passada.

    Vou me ater às esperanças da política liberal que subiu os degraus de tapete vermelho, obervada pelos bustos estatizantes de Getúlio Vargas, Carlos Barbosa e Júlio de Castilhos.

    Marco teve seu protagonismo não só por ter sido o escolhido para falar pelos nove prefeitos que aderiram ao projeto. Desde antes da cerimônia sua voz era ouvida, como um cicerone informal de técnicos envolvidos desde os anos 2000 na modelagem da PPP.

    “Esse trabalha no projeto há uma década!”, “Essa é a grande responsável!”, apresentava o prefeito (especialista no setor de saneamento ao ponto de ter tentado uma concessão própria), que circulava no saguão lotado onde estavam também o governador Eduardo Leite, o diretor-presidente da Corsan Roberto Barbuti e o presidente do BNDES, Gustavo Montezano, que nesta manhã também visitou as obras de duplicação da ERS-118.

    Como secretário de Saneamento do governo Yeda Crusius, entre 2007 e 2010, Marco participou da elaboração dos primeiros rascunhos de uma parceria entre a estatal e a iniciativa privada. O projeto, cujas linhas são traçadas desde 2011 pela consultoria Price Waterhouse Coopers Auditores Independentes e já foi submetido a auditorias prévias da Procuradoria Geral, Contadoria e Tribunal de Contas do Estado, seguiu pelos governos Tarso Genro e José Ivo Sartori, até a assinatura hoje, por Eduardo Leite.

    O “sprint final”, como todos repetiam.

    – Plantemos tâmaras – filosofou Marco, ao fim do discurso, lembrando o ditado árabe “quem planta tâmaras, não colhe tâmaras”.

    Aos que não conhecem, é a parábola do senhor que plantava a fruta e foi questionado por um jovem que atravessava o deserto:

    – Por que plantar o que não vai colher?

    À época, as tamareiras levavam até um século para produzir os primeiros frutos.

    – Se todos pensassem como você, ninguém colheria tâmaras – foi a resposta.

    Ao fim, a tentativa de fazer negócio com a água e esgoto é a primeira tamareira gaúcha. Não há nenhuma PPP em curso.

    – Em nosso plano estratégico, essa PPP é a prioridade – resumiu o presidente da estatal, que fez carreira no mercado financeiro.

    – A Amazônia é sempre uma preocupação mundial, mas saneamento é o grande problema ambiental do Brasil – argumentou o presidente do BNDES.

    – Há investidores privados interessados nas PPPs do saneamento – garantiu, dizendo que a carteira do banco prevê para o setor R$ 16 bilhões em 2020, quando seriam necessários R$ 160 bilhões.

    – Esses dólares no mercado são os mesmos para todos. Por isso é bom sair na frente – alertou o governador, entusiasta das PPPs.

    – Se me oferecessem os R$ 12 bilhões necessários para resolver o saneamento no Rio Grande do Sul, eu preferia fazer a parceria com a iniciativa privada. Quando é o Estado que faz, precisa licitar cada obra, cada trecho, cada estação. São centenas de concorrências, sujeitas à falta de interessados, empresas quebrando, embargos judiciais... Não trato a PPP como a única solução, mas como a melhor solução – disse, politizando, mas tratando de dejetos com uma elegância diferente dos discursos do presidente Jair Bolsonaro nos últimos dias:

    – Quem é contra geralmente mora numa área nobre e puxa a descarga que vai para o rio poluído de onde é tirada a água de quem não tem tratamento de esgoto.

    Ao descer as escadas do Palácio, sem nenhum assessor mas ao lado do vice Áureo Tedesco, Marco foi otimista:

    – Agora vai.

    A pressa do governador em promover o leilão ainda este ano, em 29 de novembro, tem lógica. São Paulo já busca investidores interessados. Nesta tarde, menos de duas após o lançamento do edital gaúcho, era a pauta principal do Estúdio I, da GloboNews.

     

    LEIA TAMBÉM

    Quatro problemas de Gravataí além das manchetes; o porquê e o como

     

    : Marco discursa em nome dos prefeitos na assinatura de lançamento do edital da PPP da Corsan

    • coluna do silvestre
      Um ano de CCR no estado: o que mudou nas BRs
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • opinião
      Zaffa foi o vip de Marco Alba na festa da GM; o preferido
      por Rafael Martinelli
    • 3º Neurônio | opinião
      Conivência com o racismo, uma regra não escrita do futebol
      por Breiller Pires | El País
    • opinião
      Gravataí confirma reajuste automático no piso do magistério; saiba como fica
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      SPA urbano quer abrir franquias na região
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • opinião
      O que próximo governo pagará por financiamentos em Gravataí; a conta de Davi
      por Rafael Martinelli
    • 3º Neurônio | tecnologia
      Como apagar dados pessoais que não deveriam estar na rede
      por Isabel Rubio | El País
    • opinião
      Os candidatos do Maroni em Gravataí e Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Às portas da ditadura; do ’vilão de estimação’
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Anabel e ’Os Homens Que Não Amavam As Mulheres’
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      João Paulo candidato a prefeito de Cachoeirinha pelo PP; os 38 investigados na Lava Jato
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      ’Creche de Jornal Nacional’ abriu; a razoabilidade na crítica
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Mais de 150 mil veículos vão para as praias
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • opinião
      As CPIs ’napoleão de hospício’ de Cachoeirinha; entendo Groucho
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Não tem Jesus para crise dos médicos em Gravataí; nem arminha
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      ’Trolador da Globo’ faz vídeos para Anabel em Gravataí; a esquerda vive
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Acordo do Mato do Júlio é bom negócio; Greta Thunberg fica para amanhã
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.