notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 20/04/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    opinião

    O pronunciamento de Deivit Dimitrios você assiste no facebook.com/OABGravatai

    O grito dos advogados de Gravataí; a Constituição do ’é verdade esse bilhete’

    por Rafael Martinelli | Publicada em 11/04/2019 às 14h11| Atualizada em 15/04/2019 às 16h11

    No artigo Advogados têm bolsas revistadas; o quê? revelei com exclusividade, no Seguinte:, a reclamação feita à Justiça do Trabalho pela subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) sobre o suposto desrespeito às prerrogativas de operadores do direito em Gravataí.

    O casus belli está incendiando o fórum trabalhista. Só o que se fala – nas salas e corredores, já que publicamente impera apenas o som do silêncio e Maat não sacou a espada – é que, a partir de um abaixo-assinado subscrito por 70 advogados, o presidente da subseção Deivit Dimitrios apelou ao corregedor do Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região, Marçal Henri dos Santos Figueiredo, que fez uma inspeção correcional em Gravataí.

    – Foram elencados fatos caracterizadores de distorções no tratamento despendido aos advogados, no exercício profissional, inclusive de violações das prerrogativas da advocacia, por tratamento de juízas do foro trabalhista. O requerimento nominou as juízas que, segundo a OAB local, conduzem as audiências e consideram como sua as respectivas atas, deixando de produzir provas e registrar os requerimentos apresentados, encerrando, via de consequência, a solenidade que prescinde da assinatura dos advogados – explica, em nota, onde evoca o artigo 6º, parágrafo único, da lei 8.906 para sustentar que “não há hierarquia nem subordinação entre advogados e magistrados, devendo todos tratar com consideração e respeito recíprocos, além do tratamento compatível com a dignidade da advocacia”.

    Deiviti apresentou a reivindicação também ao I Colégio de Presidentes das 106 Subseções do Estado/Gestão 2019/2021, onde articulou junto ao presidente Ricardo Breier uma moção de apoio, inclusa na Carta de Porto Alegre na última sexta:

     

    “(...)

    REGISTRAM moção de apoio ao abaixo-assinado realizado pela Subseção de Gravataí, junto à Corregedoria Regional do TRT4, que noticia a violação de prerrogativas e desrespeito aos Advogados e às partes, na condução de audiências realizadas por algumas magistradas daquela Comarca.

    (...)”

     

    Analiso.

    O advogado é a voz do cidadão em juízo.

    Por isso – nestes tempos de tantos atropelos à Constituição, na qual não restam nem mais cláusulas pétreas; onde juiz antes de virar político libera gravações clandestinas de presidente da República; manda conduzir coercitivamente com base em fofocas e permite o vazamento de delações de ‘boca-de-urna’, e simplesmente ‘não dá nada’!; onde condenações são proferidas em juízo desconexo ao objeto da ação (e sem provas!, tudo admitido na própria sentença e com pena majorada pelo tribunal superior – sim, falo do triplex ‘Minha Casa, Minha Vida’ de Lula); onde reitor tornado suspeito é ‘suicidado’ por investigação sem evidências; e onde muitos promotores e magistrados, alguns se aventurando como youtubers, são mais prolixos na mídia e nas redes sociais do que nos autos, e etc. etc. – cobrar o respeito às prerrogativas dos advogados deve ser profissão de fé para quem gosta da democracia e das garantias individuais.

    Não me refiro ao caso de Gravataí, onde deve se chegar a um bom termo na relação Judiciário-OAB. E nem pretendo me somar às milícias digitais que se esforçam para desacreditar o judiciário e só se contentam quando se levanta a venda dos olhos de Têmis e se julga conforme a vontade da turba do momento.

    Apenas aproveito para tratar do assunto, já que são inegáveis os exemplos de abuso de poder país afora. Os bons não podem pagar por aqueles que se consideram Diógenes de lanterna na mão e, em uma suposta cruzada contra a corrupção, se consideram autorizados a escrever em cima do livrinho de 88: “é verdade esse bilhete”.

    Já alertava Rui Barbosa que “a pior ditadura é a ditadura do Poder Judiciário; contra ela, não há a quem recorrer”.

    Democrata, parafraseio Diógenes, não aqueles do jejum ou da politicagem, mas o de Sinope: devolvam meu sol.

     

    LEIA TAMBÉM

    A polêmica nota do presidente da OAB Gravataí; chama o síndico!

    Um indignado no comando da OAB

    • ensino
      Quem é o paulista que veio dirigir o Gensa e a Facensa
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      A ‘barbie do bem’ é o Brasil feio ganhando o BBB
      por Rafael Martinelli
    • mobilidade
      Donos de imóveis vão bancar melhoria das calçadas
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Governo blinda PL de extinção do Ipag Saúde
      por Rafael Martinelli
    • freeway
      Feriado deve levar 75 mil veículos ao litoral
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • opinião
      O ’Beijo de Judas’; prefeito ainda tem 12 apóstolos?
      por Rafael Martinelli
    • cidade
      Como será o novo serviço de saúde de Gravataí
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      A lista de vereadores na mira dos ’caça fantasmas’
      por Rafael Martinelli
    • projeto
      Bomba Amiga vai ajudar Bombeiros, BM e socorristas
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Sobre o tiro no Lula; a censura togada
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      A polêmica da Cruz Missioneira; você já odiou a cultura hoje?
      por Rafael Martinelli
    • rs-030
      Prefeito vai adiantar verba para acesso ao Breno Garcia
      por Silvestre Silva Santos
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.