notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 23/05/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    opinião

    Assembleia do SPMG está marcada para começar 8h desta terça

    A pauta-bomba da assembleia do funcionalismo de Gravataí; Prefeitura deve colaborar ou não com plano de saúde

    por Rafael Martinelli | Publicada em 11/03/2019 às 16h49| Atualizada em 15/03/2019 às 14h55

    A extinção do Ipag Saúde é o que cai na prova da assembléia geral convocada pelo sindicato dos professores para esta terça, às 8h, no CTG Aldeia dos Anjos (Rua Adolfo Inácio de Barcelos, 1553 , Centro de Gravataí).

    A suspensão do atendimento ao plano de saúde que cobre 2,9 mil funcionários públicos na ativa, 1,5 mil servidores aposentados e quase 4 mil dependentes pelo Dom João Becker, único hospital da cidade, revelada com exclusividade pelo Seguinte: no Carnaval, dá a dimensão da crise.

    De um lado a direção do SPMG trabalha com a lógica de que o governo Marco Alba (MDB) tira um 'direito' dos trabalhadores; de outro o prefeito segue uma lógica que tem permeado seus governos: '270 mil habitantes não podem pagar a conta por 5 mil servidores'.

    Em resumo, enquanto os sindicalistas tentam manter a 'conquista', e não será surpresa se a terça-feira parada se transformará em greve, Marco prepara a retirada da contribuição da Prefeitura por projeto de lei a ser apresentado na Câmara, porque considera injusto que contribuintes, muitos usuários do SUS e sem plano de saúde, ajudem a manter o Ipag Saúde, deficitário, para atender apenas ao funcionalismo municipal. 

     

    LEIA TAMBÉM

    Santa Casa diz que acabou tolerância com dívida do Ipag; atendimento está suspenso

    Hospital suspende Ipag; Santa Casa, não envergonhe as irmãs do Becker!

    Suspensão de Ipag Saúde no Hospital; o início do fim

     

    Com uma dívida de R$ 6,5 milhões com hospitais, clínicas, laboratórios, médicos e dentistas, o Ipag Saúde projeta rombo semelhante para este ano, com o desequilíbrio entre o custo dos serviços oferecidos e a base de arrecadação – os ‘ricos’, servidores com os mais altos salários, como os procuradores, por exemplo, já se desligaram do plano há mais de um ano.

    É um socorro que o prefeito Marco Alba (MDB) não parece disposto a dar, já que mais de R$ 2 milhões por mês já são repassados pela Prefeitura para o Ipag Previdência como alíquota complementar, para enfrentar um déficit atuarial de um bilhão e garantir a aposentadoria dos servidores pelos próximos 15 anos.

     

    LEIA TAMBÉM

    Ipag Saúde deve ser extinto

    Gasto com Ipag dobrou em 5 anos; o vilão do funcionalismo em Gravataí

    Câmara de Gravataí aprova relatório da CPI do Ipag. Conheça os 5 vilões

     

    Em off, fontes da Prefeitura e do Ipag confirmam ao Seguinte: que são estudadas ofertas de plano de saúde privados para adesão coletiva dos funcionários.

    - Ninguém é contra servidor ter plano de saúde, mas pago com seus rendimentos - resume um político.

    Na conta para as famílias não engrossarem as filas do SUS, o governo acenaria com a concessão de reajuste usando parte dos 4,5% recolhidos como contribuição patronal, que se somariam aos outros 5,5% descontados de servidores e mais entre 1% e 3% da participação dos dependentes.

    Outra sugestão que pode ser levada pelo governo à reunião entre SPMG, Prefeitura e Ipag, dia 15, é o próprio sindicato administrar o plano - mas sem os 4,5% repassados pela Prefeitura, que chegaram a R$ 11 milhões no ano passado. Restariam no caixa R$ 14 milhões recolhidos dos funcionários que participam do Ipag Saúde. 

    O efeito do reajuste de 1,69%, referente a perdas inflacionárias entre 2017 e 2018 também estará na pauta, junto à reivindicação de uma reposição maior, próxima aos 16% pelos últimos quatro anos de ‘reajuste zero’ e mote de ação judicial de cobrança pelo SPMG. A assembléia marca o início do processo de data-base de 2019-2020.

     

    LEIA TAMBÉM

    Marco Alba dá inflação ao funcionalismo; o que isso significa

    Professores de Gravataí na justiça por reposição da inflação

    OPINIÃO | Um fim de mês perpétuo para o funcionalismo

     

    É o que costumo chamar de ‘fim de mês perpétuo’ para o funcionalismo. Chato, mas é a realidade, não torcida ou secação. Fake news é, quando a pessoa cai do telhado, dizer que está tudo bem ao vê-la passar pelo segundo andar. Infelizmente, “embora seja honesto, não é aconselhável trazer más notícias”. Se não foi bom para Shakespeare, imagine hoje, quando aos políticos resta a presunção de culpa; aos funcionários públicos a pecha de vilões das contas públicas com o instrumento da greve desacreditado; e à imprensa uma credibilidade de zap-zap.

     

    LEIA TAMBÉM

    Prefeito, vice e vereadores não receberão aumento; não é fake news

    • proteção animal
      Hulk, o cãozinho cadeirante que batiza o Cachorródromo
      por Redação
    • opinião
      Por Anabel, Bordignon desistiu de ação para concorrer
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Não é escândalo denúncia envolvendo Jones
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Nem as chuvas param as obras nas pontes
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • rio gravataí
      Conheça o projeto da nova orla do Rio Gravataí
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Vereadores nos tiraram para idiotas
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Pirelli, uma fábrica em depressão
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Gravataí pode ter um Tumelero diferente
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Tem que taxar Uber sim!
      por Rafael Martinelli
    • entrevista
      Não sirvo para poste ou laranja, diz Paulo Silveira
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Mandatos de Marco Alba, Miki e Darci podem ir até 2022
      por Rafael Martinelli
    • gravataí
      Marco Alba financia novo pacotão de obras viárias
      por Redação
    • coluna do silvestre
      Que tal ganhar R$ 8,6 mil por mês? Tem vaga!
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • entrevista
      Passado é passado, olho para frente, diz Anabel
      por Rafael Martinelli
    • lojas havan
      Sindicato exige negociar domingos e feriados
      por Silvestre Silva Santos
    • eleições 2020
      Sônia, filha de Dorival, pode ser lançada a prefeita
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.