notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 23/08/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    opinião

    Parecer é assinado pelo conselheiro Estilac Xavier

    TCE suspende PPP de quase meio bilhão do lixo; a unanimidade da burrice

    por Rafael Martinelli | Publicada em 08/03/2019 às 13h33| Atualizada em 11/03/2019 às 15h47

    Vamos às informações e depois comento.

    O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) emitiu medida cautelar determinando a suspensão de concorrência pública do Município de Cachoeirinha, cujo objeto é a contratação de empresa para a realização de investimentos e prestação de serviços de coleta urbana e manejo de resíduos sólidos, por meio de Parceria Público-Privada (PPP). 

    O relator do processo, conselheiro Estilac Xavier, acolhendo análise da área técnica do TCE-RS, considerou que uma das irregularidades da PPP é a extrapolação do limite de 5% da Receita Corrente Líquida (RCL), estabelecido pela Lei nº 11079/2004, nas despesas de caráter continuado derivadas do conjunto das parcerias contratadas pelo Município.

    Ainda de acordo com a área técnica do Tribunal de Contas, houve uma interpretação equivocada do Executivo Municipal sobre a Portaria nº 557, de 11 de novembro de 2016, do Ministério das Cidades, que versa sobre o Estudo do Modelo de Negócio, levando a crer que a PPP não ultrapassaria o limite de 5% da RCL.

    O conselheiro-relator destaca que a Lei nº 11079/2004 tem o objetivo de evitar manipulações contábeis que burlam os limites de endividamento, colocando em risco o sistema de controle da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). Ao descumprir esses limites, o Executivo Municipal de Cachoeirinha poderá sofrer sanções da União ou do Estado, como a não concessão de garantias ou realização de transferências voluntárias. A decisão ainda chama a atenção para o elevado valor da licitação, mais de R$ 421 milhões, e o longo período de execução (20 anos, prorrogáveis).

    Diante desses riscos, o conselheiro Estilac Xavier determinou a suspensão da Concorrência Pública e intimou o gestor municipal responsável, prefeito Miki Breier, para prestar esclarecimentos no prazo de 15 dias, se desejar.

    Acesse a íntegra da medida cautelar aqui.

    O parecer foi notificado nesta sexta à Procuradoria Geral de Cachoeirinha. O Seguinte: buscou uma manifestação oficial mas, por enquanto, na Prefeitura ninguém fala até a PGM preparar a contestação.

     

    Comento.

    O Rio Grande do Sul talvez seja o único estado brasileiro que ainda não tem nenhuma PPP em curso. Em município nenhum!

    Só consigo identificar dois conflitantes motivos: ou as PPPs são mal feitas (para não falar o que todo mundo gosta de ouvir, que é em suspeitas de corrupção, e dar aos políticos à presunção de culpa que é só o que lhes resta), ou técnicos e políticos do TCE não entendem nada de PPPs.

    O prefeito Miki Breier não falou sobre a decisão do TCE. Mas quando defende a PPP, projeta Cachoeirinha com o sistema mais moderno da Região Metropolitana na coleta e destinação do lixo, e aguarda por ecopontos que hoje o município não tem. A justificativa é que os 20 anos da concessão de quase meio bilhão são necessários para que a empresa que vai mexer com o lixo tenha lucro – o que é um dos pressupostos das parcerias público-privadas, como aquela em que a Corsan projeta, em troca de 35 anos de concessão, garantir em 11 anos água para todos e saneamento para oito em cada pessoas em nove municípios metropolitanos, Cachoeirinha e Gravataí entre eles.

    O modelo de gestão de resíduos sólidos adaptado na PPP de Cachoeirinha é Itú, nota nove na avaliação da Cetesb, a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo.

    Enfim, algo errado há no Rio Grande do Sul, que despenca do mapa no ranking das PPPs. Impossível não lembrar Nelson Rodrigues e a unanimidade da burrice.

     

    LEIA TAMBÉM

    Como investigação de corrupção no Gamp atrapalha PPP da Corsan; Gravataí e Cachoeirinha já assinaram

    • opinião
      Aprovado novo plano de saúde dos servidores de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Mil por emprego na ’GM’; sindicato sob pressão
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Expoagas ignora crise e vende R$ 539 milhões
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • personagens
      Carlos Arthur: força do esporte para o hall da fama mundial
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Sônia Oliveira vai comandar MDB; e a sucessão?
      por Rafael Martinelli
    • doação
      Cobertores ajudarão casas terapêuticas nas noites frias
      por Redação
    • opinião
      A reunião misteriosa do PDT; entreguem os celulares!
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Uma saída para o ’menos médicos’ em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      PT pode lançar Vitalina e Rose para Prefeitura de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Ressuscitando Abílio
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      O oportunismo de políticos de Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • trânsito seguro
      Agentes vão filmar abordagens no trânsito
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • gravataí e cachoeirinha
      ’Vereador de bairro’ e em lista em 2020
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      ’A Fazenda’ ou ’Centrão’, alguém fica de fora na aliança de Dimas
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Emenda ruim atrasa votação do ISSEG
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Sobre comemorar morte e decapitação
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      O sincericídio de Anabel; atrás do muro, não!
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Não é game over de dinheiro da Prefeitura para ISSEG
      por Rafael Martinelli
    • eleição 2019
      A lista de quem pode concorrer ao Conselho Tutelar
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Anabel também vai para trás do muro? Postou e apagou Lula
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Áureo assume Mobilidade; na fila para Prefeitura
      por Rafael Martinelli
    • tecnologia da informação
      AGTI faz de Gravataí um Vale do Silício
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • panificação
      Uma indústria que só cresce em Gravataí e Cachoeirinha
      por Silvestre Silva Santos
    • coluna do silvestre
      O novo Asun de Gravataí quer expandir a rede
      por Silvestre Silva Santos
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.