notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 16/08/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    eleições 2018

    Jair Bolsonaro, Levy Fidelix - aquele da polêmica do aparelho excretor - e Hamilton Mourão, na convenção

    OPINIÃO | O general Mourão e os indolentes com o racismo

    por Rafael Martinelli | Publicada em 07/08/2018 às 15h14| Atualizada em 13/08/2018 às 16h50

    O Ministério Público federal anda de jejum mesmo. Não tirou o estatuto da criança e do adolescente da gaveta quando Jair Bolsonaro ensinou a criança a simular uma arma com os dedinhos e também esquece da lei 7.716 para enquadrar por crime de racismo Hamilton Mourão.

    – Temos uma herança cultural, uma herança que tem muita gente que gosta do privilégio (...) essa herança do privilégio é uma herança ibérica. Temos uma certa herança da indolência, que vem da cultura indígena (...) e a malandragem (...) é oriunda do africano (...) então, esse é o nosso cadinho cultural. Infelizmente gostamos de mártires, líderes populistas e dos Macunaímas – disse o general que é vice do capitão, em palestra em Caxias do Sul, onde ao ligar negros e índios à “indolência” e à “malandragem”, além do potencial crime inafiançável, cuja pena é de um a três anos de prisão, ao falar de populismo poderia bem estar debochando do eleitorado de certo ‘mito’, e que agora é também seu pelotão, a quem ele próprio chamou “parte” de “meio boçal”.

    É claro que o próprio – como um Fernando Holiday, ou mesmo como seu presidenciável que defende-se de ação no Supremo citando o genro 'Paulo Negão' – acredita assinar seu habeas corpus preventivo ao dizer: "Sou indígena, meu pai é amazonense".

    Nessa anarquia geral da nação, é mais um ‘gaúcho’ a passar vergonha nesta terra de infâmias quando o assunto são negros, índios, quilombolas e gays. Para além de mostrar como são muitos de nós nas façanhas entre civis, não mostra respeito nem pelos colegas de farda, já que por sua ótica está descrevendo a própria tropa, puramente mestiça – hoje ou no tempo da investida mais lembrada de nosso exército, num certo genocídio de crianças paraguaias.

    Quantas arroubas de preconceito medem esse Brasil tenebroso, que sob a indolência silenciosa de tantos, curte e compartilha barbaridades como essas, ‘com Deus no coração’?

    Azeitonas podres, embebidas em vidas avinagradas.

    Mas malandros. 

    Sabem que a cada tiro é um voto.

     

    LEIA TAMBÉM

    OPINIÃO | Pergunte no Posto Ipiranga o porquê votar Bolsonaro

    • esporte
      Estreia do Cerâmica é adiada em uma semana
      por Eduardo Torres
    • saúde pública
      O que mudou, e vai mudar, no Dom João Becker com Santa Casa
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • caso da maconha
      OPINIÃO | Mário Peres, entre a polícia, a câmara e a facção
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2018
      Juliano Paz aposta nas lives para falar com eleitor
      por Eduardo Torres
    • entrevista
      Dinheiro tirou Rosane Bordignon da eleição
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Testamos o carro elétrico da GM
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt e Divulgação/GM
    • tá na mesa
      O dia em Marco Alba contestou Caetano e Roberto Carlos
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2018
      Rosane Bordignon decide não concorrer
      por Rafael Martinelli
    • meio ambiente
      O Rio Gravataí é a sala de aula
      por Eduardo Torres
    • nota oficial
      Partido do vereador apoia investigação em caso da maconha
      por Rafael Martinelli
    • delegado confirma
      Vereador será investigado no caso da maconha
      por Rafael Martinelli
    • suspeita
      Saul Sastre é investigado por fraude no Daer
      por Eduardo Torres
    • operação
      Vereador diz que alugava prédio da meia tonelada de maconha
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2018
      Juliano Paz, um pé em Gravataí, outro em Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • homenagem
      Diretora do Gensa e Facensa recebeu placa em Brasília
      por Silvestre Silva Santos
    • homenagem
      Denise, a Medonha, vai virar nome de biblioteca
      por Eduardo Torres
    • personagens
      COM VÍDEO | O caçador que abraçou um rio
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • coluna do silvestre
      Quem comprou o terreno do prédio mais alto
      por Silvestre Silva Santos
    • eleições 2018
      10 coisas sobre a foto que mexeu com a política local
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      OPINIÃO | Bagunça na Freeway, com Justiça & tudo
      por Silvestre Silva Santos
    • meio ambiente
      O plano que vai definir a cobrança por uso da água do Gravataí
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.