notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 12/12/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    polêmica

    Fernando Pacheco Deadpool com sua bicicleta-padaria em frente à prefeitura

    OPINIÃO | O dia em que Deadpool virou um super-herói político

    por Rafael Martinelli | Publicada em 02/08/2018 às 17h19| Atualizada em 13/08/2018 às 16h48

    Desde ontem o assunto até de motorista de Uber é o atraque dos fiscais da prefeitura na padaria em três rodas do Deadpool, o super-herói de Gravataí que ganhou o povo depois de aparecer no programa da Eliana, no SBT, mês passado.

    O ex-garçom Fernando Pacheco, que se traveste da personagem, já tinha sido um dos campeões de leitura do Seguinte:, quando contou que sobrevivia e pagava a faculdade de educação física na Ulbra com a venda de pães caseiros, que ele mesmo prepara – comprando os ingredientes ou usando de doações – e vende em uma bicicleta com um baú e guarda-sol adaptados, revertendo 25 centavos de cada real que ganha para montar e doar cestas básicas para famílias carentes.

    As mensagens de solidariedade e os vídeos postados pelo jovem de 20 anos viralizaram no Facebook. Um deles – onde ele conta como foi proibido de vender seus pãezinhos no centro – até o fim de semana chega fácil as 100 mil visualizações.

    Conforme a versão da prefeitura, Fernando foi alertado por fiscais que a legislação não lhe permite ficar com a bicicleta-padaria estacionada na área central. Na abordagem, os agentes da secretaria de desenvolvimento econômico também constaram que o ambulante não tinha licença para a venda do pão.

    – O prefeito vai recebê-lo na segunda. Vamos orientá-lo sobre como fazer a regularização. É simples: com RG, CPF e comprovante de residência já sai com uma licença provisória enquanto tramita a papelada – explicou há pouco Luiz Fernando Aquino, coordenador de comunicação.

    – Acho que por ter aparecido para milhões de pessoas na tv eu chamei atenção. Mas se eu sou um problema para a prefeitura, vou fazer a regularização – disse Fernando ao colunista, na tarde deste feriado.

    Uma das coisas que me chamou a atenção na polêmica, em meio a mensagens de incentivo para que o jovem siga sua ação social, foi o que considero uma ‘solidariedade de TV aberta’ de algumas pessoas:

    – Por que os haitianos podem e ele não pode? – postaram vários internautas.

    Na verdade, desrespeitando a legislação que não permite ambulantes fixos no centro, ou sem licença para comercialização de gêneros alimentícios, nem o menino bom que apareceu em rede nacional e ajuda os carentes, nem o imigrante desempregado que luta para sobreviver pode vender produtos na rua.

    É a lei em vigor, mas por óbvio é também um problema social, que precisa ser tratado com orientação e sensibilidade.

    Como comentarista da área, não poderia deixar de também abordar as perdas e ganhos políticos advindos do incidente.

    No Grande Tribunal das Redes Sociais, o prefeito Marco Alba, que soube da fiscalização apenas quando a polêmica ganhou as redes sociais, apanha desde a quarta-feira como um governador quando a PM bate em professor.

    Já para o Deapool, foi o dia em que ele se tornou um super-herói político, já que é uma das apostas do PPS para concorrer a vereador em 2020.

    – É um dos nossos principais nomes, mas por enquanto ele não quer saber de política, só quer ajudar o pessoal – diz Eliseu Monteiro, presidente do partido ao qual Fernando está filiado.

    Mas a polêmica – e, para confirmar, temos como vereador eleito Wagner Padilha, o Tô de Olho no Buraco – é sempre um superpoder na política.

     

    LEIA TAMBÉM

    COM VÍDEO | Deadpool, super solidário pelas ruas de Gravataí

     

    Assista a reportagem do Silvestre Silva Santos, onde o Deadpool conta sua história ao Seguinte:

     

    • meio ambiente
      Já se sabe onde investir, resta cobrar pela água
      por Eduardo Torres
    • opinião
      Queremos sangue, como o matador de Campinas?
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      RS-118 não fica pronta no ano que vem
      por Silvestre Silva Santos
    • rs em crise
      OPINIÃO | Perderemos 32 milhões se baixar ICMS
      por Rafael Martinelli
    • investimento
      Miki fecha o ano com uma boa notícia
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      OPINIÃO | Gravataí ainda não preencheu vagas de médicos
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Shopping vai dar muitos presentes de Natal
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • seca
      Sem chuva, captação no Rio Gravataí pode parar
      por Eduardo Torres
    • redes sociais
      Vereador ganha liminar para excluir post de eleitor
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      OPINIÃO | Inocente bom é inocente vivo
      por Rafael Martinelli
    • crime na saúde
      Empresa levou R$ 500 mil supostamente desviados
      por Eduardo Torres
    • crime na saúde
      Ex-secretária de Gravataí é sócia de empresa no alvo do MP
      por Eduardo Torres
    • crime na saúde
      Empresa de Gravataí envolvida em desvio na saúde
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.