notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 20/08/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    contas públicas

    Gerente da RGE Sul entrega quitação de pagamento de uma das maiores dívidas de Gravataí

    Marco quita uma das maiores dívidas de Gravataí

    por Redação | Publicada em 11/06/2018 às 18h13| Atualizada em 18/06/2018 às 12h56

    O prefeito Marco Alba recebeu nesta segunda-feira a quitação da dívida de R$ 43 milhões de Gravataí com a Rio Grande Energia (RGE). Contraída nos anos 2000, era a maior conta da história da prestadora de serviço, herdada com a privatização da CEEE, referente ao consumo de energia não pago pela Prefeitura.

    Junto ao Instituto de Previdência e Assistência dos Servidores Municipais de Gravataí (Ipag) e ao INSS, que custam mensalmente R$ 1 milhão, esse era um dos maiores parcelamento de débitos enfrentados pelo governo.

    - Graças ao desconto de bom pagador, a dívida reduziu a um terço do valor para Gravataí, que está na contramão dos demais municípios gaúchos, cuja inadimplência aumentou exponencialmente nos últimos anos. Hoje é uma das cidades mais adimplentes atendidas pela RGE - saudou o gerente de relacionamento da RGE e RGE Sul, Edson Severo Braz, ao entregar ao prefeito o termo que atesta o pagamento em forma de precatórios distribuídos em 98 parcelas mensais de R$ 300 mil.

    A pontualidade garantiu a Gravataí o maior desconto já proporcionado a prefeituras devedoras: R$ 15 milhões.

    O município também foi o primeiro a quitar a dívida parcelada em forma de precatório, medida inédita até para o Judiciário, que intermediou o parcelamento e o pagamento a partir de 2009.

     

    260 milhões já pagos

     

    Dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) mostram que em 2012 o percentual de comprometimento da dívida consolidada sobre a receita do município era de 70,12%. Hoje, após R$ 260 milhões pagos, é de apenas 22,93%.

    Já para o Tribunal de Contas do Estado (TCE), o percentual da dívida consolidada sobre a receita corrente líquida da Prefeitura no mesmo período declinou de 56,06% para 4,56%.

    - Essas dívidas que pagamos, feitas pelas gestões anteriores, impediram os investimentos que poderiam ser executados em favor da população - observa o prefeito.

     

    LEIA TAMBÉM

    Dívida de Gravataí teve redução monstruosa

    • habitação
      Prefeitura volta a campo por solução para a Granja Esperança
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      O que descobri da GM andando em um Uber
      por Silvestre Silva Santos
    • eleições 2018
      Rossetto andou no centro, ’laboratório do golpe’
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      O que fazer para evitar o mês do cachorro louco
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • mistério
      Eles juram que viram fantasmas nos cemitérios de Gravataí
      por Andreo Fischer
    • saúde pública
      O que mudou, e vai mudar, no Dom João Becker com Santa Casa
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • caso da maconha
      OPINIÃO | Mário Peres, entre a polícia, a câmara e a facção
      por Rafael Martinelli
    • entrevista
      Dinheiro tirou Rosane Bordignon da eleição
      por Rafael Martinelli
    • tá na mesa
      O dia em que Marco contestou Caetano e Roberto
      por Rafael Martinelli
    • suspeita
      Saul Sastre é investigado por fraude no Daer
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.