notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 15/08/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    no tre

    Daniel Bordignon na comemoração da vitória da eleição de 2016, anulada no mesmo ano

    Bordignon sob risco de concorrer a prefeito só em 10 anos

    por Rafael Martinelli | Publicada em 04/05/2018 às 16h23| Atualizada em 09/05/2018 às 19h57

    Daniel Bordignon já ‘pediu música no Fantástico’ com as impugnações das candidaturas de 2008, 2012 e 2016. Nesta quarta, um novo tapetão se estende entre as eleições e o popular ex-prefeito, que pode ficar livre para disputar uma eleição para a Prefeitura de Gravataí somente em 2028, aos 69 anos.

    O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) julga a partir das 17h, em sessão aberta ao público, recurso dos réus à sentença da juíza Quelen Van Caneghan, da 173ª Zona Eleitoral de Gravataí, que decretou inelegibilidade por oito anos de Bordignon, da vereadora e esposa Rosane Bordignon, do também vereador Alex Peixe e do ex-presidente do PDT Cláudio Ávila.

    O quarteto foi condenado pela suposta manipulação do eleitorado a partir do uso indevido da imagem do ex-prefeito e – pela fama de “eleger até poste”, ‘Grande Eleitor’ – durante a eleição suplementar de março de 2017, quando Rosane e Peixe substituíram a chapa Bordignon e Ávila, que tinha sido vencedora em 2016 da eleição anulada pelo TSE após a confirmação pelo STJ da suspensão dos direitos políticos do ex-prefeito até 29 de setembro de 2020.

    A confirmação pelo TRE da condenação até 2025, em segunda instância e antes de 15 de agosto, prazo final da lei eleitoral para registro de candidaturas às eleições de 2018, já poderia permitir o enquadramento dos políticos na Lei da Ficha Limpa neste ano e nos pleitos de 2018, 2020, 2022 e 2024.

    Tanto Peixe quanto Rosane são pré-candidatos à Assembleia Legislativa. Já Daniel Bordignon, que está com os direitos políticos suspensos pela condenação por contratações emergenciais irregulares e, pelo menos até o julgamento, só pode concorrer a partir do pleito de 2022, teria um acréscimo de pena, podendo disputar eleições apenas a partir de 2025. Ele estaria apto nas eleições para presidente, vice-presidente, senador, governador, vice-governador, deputado federal e deputado estadual em 2026 e a prefeito, vice-prefeito ou vereador em 2028.

    A decisão da chamada Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), movida ainda durante a campanha de 2017 pela coligação Gravataí Não Pode Parar, de Marco Alba (PMDB), que em março daquele ano foi reeleito prefeito, não tem poder de cassar Peixe e Rosane imediatamente. Seja qual for o resultado do julgamento no TRE, os dois cumprem o mandato na Câmara de Gravataí até 31 de dezembro de 2020. Bordignon, professor estadual, hoje leciona em sala de aula e é 'presidente de honra' do PDT de Gravataí.

     

    LEIA TAMBÉM

    OPINIÃO | Gravataí num episódio dos Simpsons

     

    Facedenúncia

     

    Em abril o Seguinte: revelou com exclusividade que a Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) opinou pela manutenção da condenação no julgamento que tem como relator o desembargador João Batista Pinto Silveira.

    O parecer do procurador regional eleitoral Luiz Carlos Weber, além de usar gravações divulgadas com a voz de Bordignon em carro de som durante a campanha, e vídeos de debates eleitorais com a participação da candidata, introduz um elemento relativamente novo na análise da AIJE: posts de Facebook feito pelos candidatos, pelo PDT de Gravataí e por Daniel Bordignon, mostrando que as redes sociais estão inseridas definitivamente nas questões eleitorais.

    – Por certo, não se olvida que a imagem de Daniel Bordignon pode estar associada à campanha eleitoral de sua esposa Rosane, até porque integrante do mesmo partido. Entretanto, no caso dos autos, a campanha eleitoral de Rosane e Alex Peixe causou evidente confusão na vontade do eleitor, fazendo este pensar que seu voto estaria indo para Daniel Bordignon – resume o procurador.

    Siga trechos da decisão da PGR do Ministério Público Federal, a que o Seguinte: teve acesso:

     

    (...)

    No Facebook de Daniel Bordignon (...) com fotografia da visita de Daniel a eleitores, cumprimentando-os, como se candidato fosse, com o seguinte texto na postagem: “Rosane é 12!É Bordignon! (...) transmite-se a falsa impressão junto ao eleitorado de que no dia 12 março poderão votar em Daniel Bordignon.

     

    (...)

    Consta publicação no Facebook de Rosane Bordignon (...) com fotografia em que aparecem duas imagens de Daniel, uma delas com Rosane, com o seguinte texto: “Confiemos no povo, ele já mostrou o que quer nas eleições anteriores e vai mostrar novamente!”, passando a ideia de que o eleitor de Gravataí terá mais uma oportunidade de votar em Daniel Bordignon nas eleições de 12 de março de 2017, tendo em vista a anulação do pleito à majoritária em 2016.

     

    (...)

    Consta no Facebook de Rosane (...) imagens de visita de Rosane à eleitores, com o seguinte texto: “Hoje pela manhã caminhamos na Avenida Otávio Schemes. Eu, Daniel Bordignon, Alex Peixe e militância, conversando com a população e apresentando nossa proposta de governo (...) dando a impressão de que as propostas também eram de Daniel, como se candidato fosse.

     

    (...)

    Merece destaque a publicação de Cláudio Ávila, ex-candidato a vice-prefeito juntamente com Daniel Bordignon no pleito de 2016, em sua página no Facebook (...) próximo às eleições de 12 de março de 2017: BORDIGNON SEGUE EM CAMPANHA CENTRAL DE BOATOS Os poucos apoiadores que restaram na campanha da FALSA BOA MOÇA (página em branco) e os DEMITIDOS que seguram a bandeira da CORRUPÇÃO... Estão espalhando boatos sobre uma suposta proibição de participação do Bordignon no pleito eleitoral. Esclareço a vocês que NÃO HÁ QUALQUER ÓBICE OU DETERMINAÇÃO JUDICIAL QUE PROIBA A PARTICIPAÇÃO DO BORDIGNON NAS ELEIÇÕES SUPLEMENTARES DE 2017. Existe apenas uma decisão precária (liminar), que poderá ser derrubada nas próximas horas, proibindo um dos jingles da campanha (A Voz do Povo é a Voz de Deus) e nos impedindo de usar a imagem do Bordignon ao lado da Rosane Bordignon nos materiais impressos e de redes sociais. Portanto o Bordignon é a nossa principal liderança e referência, está e seguirá firme e forte conosco sempre. No mais, os sonhos dos derrotados, o desejo dos rejeitados nas urnas, não passam de doce ilusões. (...) Tal postagem (...) diz expressamente (...) que não há óbice à participação de Daniel Bordignon nas eleições suplementares de 2017, passando a impressão de Daniel Bordignon continua em campanha eleitoral.

     

    (...)

    As provas trazidas aos autos, portanto, demonstram, como bem analisou o juízo eleitoral de primeiro grau, que (fl. 153v): “Não houve apenas a tentativa de exaltar a vinculação derivada do elo conjugal, mas especialmente colocar Daniel Bordignon no plano principal para atração dos votos, deixando evidente que o voto na sigla seria um meio de garantir Daniel no poder, para a concretização dos propósitos por ele prometidos à população”.

     

    (...)

    Além disso, a própria confecção de material de campanha de Rosane e Alex Peixe para prefeita e vice-prefeito de Gravataí com a imagem de Daniel Bordignon excede os limites de mero apoio de Daniel à candidatura de sua esposa.

     

    (...)

    Chama a atenção o fato de Daniel Bordignon aparecer sozinho nas fotografias apresentadas com a inicial, sem a presença de Rosane, nem de Alex Peixe, em visita a eleitores, como se ele próprio em campanha estivesse.

     

    (...)

    Também a mensagem (...) que pode ser ouvida em CD (Daniel falando), que teria sido divulgada por Daniel Bordignon em carro de som durante a campanha eleitoral de Rosane para prefeita, revela o intuito de Daniel Bordignon em induzir em erro o eleitor a respeito dos reais motivos que o tornaram inelegível: “Eu e a maioria do povo de Gravataí fomos vítimas de uma grande injustiça. Em sua ambição desmedida, o meu adversário teve que usar o poder de seus amigos em Brasília para impedir que um governo popular chegasse ao poder”.

     

    (...)

    Ainda no CD (...) observa-se que Rosane, em debate realizado em canal de televisão, chegou a afirmar: “Nós vamos fazer mais e muito melhor agora. Daniel Bordignon estará no governo junto comigo. O que eu não sei eu vou aprender”. Inafastável, portanto, que tal informação, INVERÍDICA, transmitida em rede de televisão em plena campanha eleitoral, é capaz de confundir os eleitores, pensando eleger Daniel Bordignon para a administração da Prefeitura de Gravataí, se votarem em Rosane.

     

    (...)

    A par disso, não se pode desconsiderar o fato de que novas eleições foram realizadas em 12 de março de 2017, em razão da anulação do pleito de 2016, em que Daniel Bordignon concorreu ao cargo de prefeito e elegeu-se, tendo em vista a decretação de sua inelegibilidade, o que caracteriza a gravidade das circunstâncias em que se deu o abuso de poder político e dos meios de comunicação durante a campanha de Rosane e Alex Peixe (...) Importante destacar que ROSANE elegeu-se vereadora no município de Gravataí nas eleições de 2016 com apenas 1.578, enquanto que DANIEL BORDIGNON recebeu 45.374 votos no pleito para o cargo de prefeito.

     

    (...)

    Outro fato que remete à indução em erro do eleitor de Gravataí, é a mensagem veiculada nas redes sociais, tanto no Facebook de Daniel, como no de Rosane: “#RosaneéBordignon”, levando a crer que votando em Rosane se estará elegendo Daniel Bordignon.

     

    (...)

    Cumpre frisar que não se trata de discutir aqui a irregularidade da propaganda de campanha da candidata Rosane, mas a própria lisura das eleições e a preservação da vontade do eleitor, que não pode ser induzido em erro na escolha de seu candidato.

     

    (...)

    Para a configuração do ato abusivo basta a comprovação da sua gravidade, o que se confirma no caso nos autos, em que demonstrado o intuito dos representados em ludibriar a vontade dos eleitores de Gravataí nas eleições suplementares de 12 de março de 2017, fazendo-os crer que votando em Rosane e Alex Peixe estariam elegendo também Daniel Bordignon.

     

    LEIA TAMBÉM

    MPF: Posts no Face comprometem Bordignon, Rosane, Peixe e Ávila

     

    A SENTENÇA E O PARECER

    Para ler a sentença da justiça de Gravataí que condena os réus clique aqui.

    Para ler o parecer do Ministério Público Federal clique aqui.

    Para acompanhar a pauta do TRE clique aqui.

     

    LEIA TAMBÉM

    Bordignon, Rosane, Peixe e Ávila condenados a 8 anos de inelegibilidade

    Justiça tira Bordignon da campanha de Rosane

    Juíza proíbe referências a Bordignon governar

    Juíza testemunha irregularidades e ameaça com multa

    • entrevista
      Dinheiro tirou Rosane Bordignon da eleição
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Testamos carro o elétrico da GM
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt e Divulgação/GM
    • tá na mesa
      Gestão de Marco Alba não baila com Roberto Carlos
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2018
      Rosane Bordignon decide não concorrer
      por Rafael Martinelli
    • meio ambiente
      O Rio Gravataí é a sala de aula
      por Eduardo Torres
    • nota oficial
      Partido do vereador apoia investigação em caso da maconha
      por Rafael Martinelli
    • delegado confirma
      Vereador será investigado no caso da maconha
      por Rafael Martinelli
    • suspeita
      Saul Sastre é investigado por fraude no Daer
      por Eduardo Torres
    • operação
      Vereador diz que alugava prédio da meia tonelada de maconha
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2018
      Juliano Paz, um pé em Gravataí, outro em Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • homenagem
      Diretora do Gensa e Facensa recebeu placa em Brasília
      por Silvestre Silva Santos
    • homenagem
      Denise, a Medonha, vai virar nome de biblioteca
      por Eduardo Torres
    • personagens
      COM VÍDEO | O caçador que abraçou um rio
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • coluna do silvestre
      Quem comprou o terreno do prédio mais alto
      por Silvestre Silva Santos
    • eleições 2018
      10 coisas sobre a foto que mexeu com a política local
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      OPINIÃO | Bagunça na Freeway, com Justiça & tudo
      por Silvestre Silva Santos
    • meio ambiente
      O plano que vai definir a cobrança por uso da água do Gravataí
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.