notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 14/08/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do martinelli

    Negociação e aplicação dos recursos pode ser decidida pela Prefeitura sem passar pela Câmara

    O plano b de Marco para investir nas pontes do Parque dos Anjos

    por Rafael Martinelli | Publicada em 05/02/2018 às 17h30| Atualizada em 14/02/2018 às 14h01

    Se o dinheiro sairá do mundo virtual para o real, é outra coisa. Mas há um plano B do governo Marco Alba (PMDB) para tocar obras de infra-estrutura entre 2018 e 2019 se a buro(ou burro)cracia continuar atrapalhando a liberação do financiamento de R$ 100 milhões habilitado por Gravataí ainda em 2016 junto à Confederação Andina de Fomento (CAF): vender imóveis e a água e o saneamento.

    No Orçamento de R$ 800 milhões deste ano, já aprovado pela Câmara de Vereadores, estão inscritas receitas de R$ 30 milhões com a venda de imóveis e terrenos, além de R$ 20 milhões da outorga (autorização) pela concessão dos serviços e água e saneamento no território de Gravataí.

    Entre o patrimônio que o governo projeta leiloar está, por exemplo, o prédio anexo aos fundos da Prefeitura e o Parque Municipal de Eventos, às margens da RS-118. A idéia é que o negócio com a água e esgoto seja feito tanto em uma concessão da exploração por uma empresa privada, como pela Corsan (que hoje tem a outorga), caso a estatal vença a licitação que a Prefeitura programa lançar neste ano. 

    Conforme uma fonte do governo, o inventário de bens e imóveis que serão alienados é guardado com sigilo para evitar a especulação. Alguns, mesmo decanos, só agora estão tendo escrituras e documentações regularizadas. Já o otimismo com que os leilões atinjam as cifras milionárias inscritas no Orçamento vem de uma avaliação de que a crise ainda anda por aí, mas o pior ficou no passado: a economia está em recuperação e, mais de uma década depois, os olhos do mundo estão mais uma vez voltados para Gravataí com o ‘show do bilhão’ da GM.

    Os R$ 50 milhões são contabilizados pelo governo como parte da contrapartida (de mesmo volume e que inclui obras já feitas como as duplicações da Jorge Amado e da Avenida Brasil) aos R$ 100 milhões do CAF – que prevê como principais investimentos as pontes do Parque dos Anjos, a Centenário e a chamada Rota Turística para ligar a Freeway à RS-020, passando pela Arthur José Soares, uma nova avenida e a RS-030. Quando real, o dinheiro pode ser usado para adiantar as obras enquanto o dinheiro do financiamento não for liberado.

     

    LEIA TAMBÉM

    Como Gravataí limpou o nome e entrou no radar de investidores estrangeiros

     

    Outra opção pode ser aliviar o caixa no dia a dia, usando os recursos para abater dívidas – hoje Gravataí paga, entre contas históricas e precatórios trabalhistas, uma media de R$ 50 milhões por ano.

    Uma lei municipal aprovada em 2014 permite que a destinação do dinheiro seja decidida pelo prefeito, sem necessidade de autorização da Câmara de Vereadores.

    É a carta na manga do prefeito, e na conta da Prefeitura, se a estratégia der certo.

     

    LEIA TAMBÉM

    SÉRIE PREFEITOS | 10 coisas que Marco fez em Gravataí

     

    No vídeo, Marco fala do CAF, pontes do Parque e Rota Turística  

     

    • eleições 2018
      Juliano Paz, um pé em Gravataí, outro em Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • homenagem
      Diretora do Gensa e Facensa recebeu placa em Brasília
      por Silvestre Silva Santos
    • homenagem
      Denise, a Medonha, vai virar nome de biblioteca
      por Eduardo Torres
    • personagens
      COM VÍDEO | O caçador que abraçou um rio
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • coluna do silvestre
      Quem comprou o terreno do prédio mais alto
      por Silvestre Silva Santos
    • eleições 2018
      10 coisas sobre a foto que mexeu com a política local
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      OPINIÃO | Bagunça na Freeway, com Justiça & tudo
      por Silvestre Silva Santos
    • meio ambiente
      O plano que vai definir a cobrança por uso da água do Gravataí
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.