notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 23/10/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    coluna do martinelli

    Depois do outdoor, agora são as notas das diárias de prefeito e vice que confrontam sindicalistas e governo

    Notas de diárias alimentam vale-tudo entre Simca e governo Miki

    por Rafael Martinelli | Publicada em 01/02/2018 às 15h55| Atualizada em 08/02/2018 às 19h33

    Ainda bem temperada pelo gás de pimenta da polêmica aprovação do escalonamento que reduziu o vale-alimentação de muita gente, a relação da direção do sindicato dos municipários com o governo Miki Breier (PSB) lembra um ‘vale-tudo’.

    Um mês após a retirada por ordem judicial do outdoor colocado na entrada de Cachoeirinha que acusava Miki e o vice Maurício Medeiros (PMDB) de engordarem os salários até R$ 36,6 mil e R$ 40,3 mil em diárias, os sindicalistas voltaram ao tatame, agora nas redes sociais, postando notas fiscais de gastos com almoços, jantas e lanches dos políticos em viagens a Brasília e ao Rio de Janeiro.

     “Assim é gasto o dinheiro do povo”, “Crise pra quem? Isso é se adequar à nova realidade”, “Foi pra isso que foi economizado o vale-alimentação dos trabalhadores?” e “Que tal a fome do nosso vice-prefeito?” são alguns dos enunciados do panfleto online intitulado “A farra das diárias em Cachoeirinha” e que no texto de apresentação fala em "orgias gastronômicas".

    Nas notas reproduzidas, com valores que vão de R$ 98 e R$ 224, são listadas refeições como filé mignon, cerveja especial e vinhos no Delírio, do aeroporto do Galeão, churrasco, contrafilé e rodízio no Nippon em Brasília.

    – Podem dizer que é legal, porque foi aprovado pelos vereadores, mas consideramos ilegal por ser imoral. A moralidade é um dos princípios da administração pública. Prefeito e vice recebem salários que são uma fortuna, entre os mais altos do Rio Grande do Sul e do Brasil. Nada contra buscar recursos em Brasília, mas gastos com almoços e jantares caros não combinam com o discurso do governo de que o funcionalismo tem que se adaptar à crise. Então é uma via de mão única? – questiona a tesoureira Mariana Mahlmann, servidora da Secretaria da Fazenda que fez o levantamento após receber as notas, com rubricas do prefeito e vice, depois de um pedido formal feito pelo Simca na Lei de Acesso à Informação.

    A renegociação em 200 vezes da dívida de mais de R$ 15 milhões que a Prefeitura tem com o Iprec (o instituto de previdência do funcionalismo), justificativa para missões a Brasília, também é alvo da dirigente sindical:

    – Estão pagando as parcelas, mas ainda não recolhem a contribuição patronal regulamente – observa, criticando a falta de negociação desde dezembro (justamente após o episódio do outdoor), mesmo com a sequência de parcelamentos e atraso nos salários e no 13º.

    Ouvido pelo Seguinte:, número 1 de Miki, o secretário de Governança e Gestão Juliano Paz foi à guerra:

    – É mais uma chinelagem que vem da direção de um sindicato acéfalo que não representa mais o funcionalismo. Quem já foi a Brasília ou ao Rio sabe que os valores das notas não são absurdos, ainda mais em aeroportos – responde, não esquecendo de lembrar a renúncia de Éverton Bugallo Cezimbra há duas semanas, três meses após assumir a direção do sindicato.

    – Procuram picuinhas, fazem fuxicos, apostam na desinformação e mentem, como ficou provado na justiça no caso dos outdoors. É uma minoria que se alimenta de falsas polêmicas para fazer a velha política do quanto pior melhor. Isso é comportamento de quem quer diálogo? Nós estamos trabalhando para buscar soluções. Não vamos cair nesse jogo. Está feio já.

    Observando o UFC, a população. Que pelo que se lê hoje em dia no Grande Tribunal das Redes Sociais, em boa parte tem tanto políticos, quanto funcionários públicos como vilões.

     

    LEIA TAMBÉM

    OPINIÃO | Memória de spray de pimenta e cadeirada

    Do Miki ao Negão, do MST ao grevista espancado

    Gás, bomba e destruição em confronto da BM com grevistas na frente da Câmara

    SÉRIE PREFEITOS | 10 coisas que Miki fez em Cachoeirinha

    • eleições 2018
      OPINIÃO | Gravataí ’endireitou’ entre 2014 e 2018
      por Rafael Martinelli
    • caso eduarda
      Divulgado retrato falado de suspeito da morte de menina
      por Eduardo Torres
    • cultura & arte
      Festival de Folclore teve nove grupos
      por Da redação
    • violência
      Quem matou a pequena Eduarda?
      por Eduardo Torres
    • opinião
      OPINIÃO | Em Gravataí, todos arriscam perder, menos um
      por Rafael Martinelli
    • pequenas empresas, grandes histórias
      Hangar, a pioneira do som
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • operação solidária
      TRF4 absolve Marco Alba por unanimidade
      por Rafael Martinelli com TRF4
    • solidariedade
      COM VÍDEO | Diogo luta contra síndrome rara
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Como entendi nota das Irmãs do Dom Feliciano sobre eleições
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Como ficou a duplicação da Centenário
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      Gravataí virou ’cidade-dormitório de votos’
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Educação para o trânsito também fora da aula
      por Eduardo Torres
    • obras
      Plano de Marco prevê pontes e mais de 30 ruas até 2020
      por Rafael Martinelli | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.