notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 06/12/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    meio ambiente

    Dia Nacional de Proteção das Florestas busca conscientização

    Sabe como funciona Reposição Florestal Obrigatória em Gravataí?

    por Redação | Publicada em 17/07/2019 às 16h46| Atualizada em 26/07/2019 às 14h37

    Cada vez mais a preservação da fauna e flora é foco de discussões e debates em todos os meios e mídias. Existem datas que marcam a busca pela expansão de informações, esclarecimentos e ações que possam abranger um número maior de pessoas envolvidas em um único ideal de proteger.

    Hoje, 17 de julho, comemora-se o Dia Nacional de Proteção das Florestas, data que reforça a conscientização e a importância das matas para a qualidade de vida da humanidade. No Brasil, contamos com uma imensa variedade de ecossistemas, devido à diversidade de solo e clima. Gravataí está inserida nos Biomas Pampa e Mata Atlântica, com expressiva presença de remanescentes florestais nos estágios inicial, médio e avançado de vegetação nativa, especialmente formando mata ciliar de arroios, sendo estas áreas de proteção redobrada (preservação permanente conforme legislação ambiental vigente).

    Para preservar e expandir nosso cenário florestal, a Prefeitura de Gravataí por meio da Fundação Municipal do Meio Ambiente (Fmma), exige a Reposição Florestal Obrigatória (RFO). Quando uma pessoa ou empreendimento solicita a retirada de uma árvore nativa, ele é obrigado a repor 15 mudas, no lugar da que for removida.

    - As florestas regulam as extremidades do clima, mantém a umidade, fornecem abrigo e alimento à fauna, possuem função ecológica de proteção dos mananciais e, portanto exercem influência direta na qualidade de vida da população. A RFO é importante para observarmos os recursos hídricos, a biodiversidade, o microclima e também o paisagismo natural - explica Luiz Zaffalon, presidente da Fmma.

     

    Como acontece a Reposição Florestal Obrigatória?


    O pedido de supressão deve ser protocolado via canais online da Prefeitura à FMMA, em casos de áreas particulares, e à Secretaria de Serviços Urbanos (Smsu) em casos de áreas públicas, devidamente fundamentado (motivação, por exemplo: risco de queda, construção civil, etc.).

    O plantio de mudas deve obedecer aos critérios da Lei Municipal n. 3565/2014 e Instrução Normativa SEMA n. 001/2018: para cada árvore suprimida com DAP (diâmetro do caule à altura do peito) igual ou acima de 15 cm, o plantio da RFO corresponde a 15 mudas. Além da obrigatoriedade de RFO, nas formações florestais mais desenvolvidas, aplicam-se ainda índices de preservação, ou seja, há casos em que obrigatoriamente deve permanecer parcela da mancha florestal intacta (Lei Federal n. 11.428/2006).

     

    Quais mudas devem ser plantadas e onde?


    Geralmente o requerente/empreendedor deve indicar o local de plantio, sendo pertinentes lugares às margens de arroios ou em áreas degradadas. As espécies devem ser de mudas de árvores nativas do RS. Além disso, existe a possibilidade de transplantar alguns tipos. Este manejo é caracterizado em árvores imunes ao corte no Estado (as figueiras nativas, por exemplo).

     

    Análise da solicitação

     

    Mediante vistoria e emissão de laudo técnico, as solicitações são analisadas por técnicos da FMMA (biólogo e engenheiro agrônomo) habilitados para tal função. O tempo de expedição da licença depende da complexidade da análise, lembrando que os pedidos variam desde supressão de uma única árvore até intervenções para instalação de grandes empreendimentos em áreas extensas com presença de manchas florestais.


    PARA CRIANÇAS LEREM

    Os protetores das florestas - Na cultura folclórica brasileira, a proteção das florestas é retratada na figura mística do Curupira, um espírito mágico, habitante das matas que ajuda a protegê-las. Um ser pequeno, de cabelos vermelhos, pés virados ao contrário, que engana os caçadores e cavalga em um porco do mato. Fugindo do folclore, nossos maiores defensores hoje, são os ambientalistas, profissionais florestais, biólogos, ecólogos, engenheiros ambientais, engenheiros agrônomos e órgãos públicos que criam meios de preservação.

    Ações para preservar as matas - Embora pareça muito complicado mudar o quadro atual de desmatamento, é possível auxiliar nesse processo e quem sabe num futuro próximo, ampliar a conscientização através de ações simples em nosso dia a dia. Use produtos feitos de madeira de reflorestamento, não jogue lixo em rios e nas florestas, não coloque fogo nas matas e nem fume próximo a elas e utilize papéis reciclados sempre que possível.

    • opinião
      Avança a Operação Dr. Levi; o candidato a prefeito de Marco Alba
      por Rafael Martinelli
    • 3º Neurônio | opinião
      A ditadura do sr. Guedes
      por Vladimir Safatle | El País
    • opinião
      Volnei prefeito; ’Partido-partido, é dos Trabalhadores’
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Gestão de Paulo Silveira no PSB é um desastre
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Neri Facin será o patrão da Câmara de Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Começa a obra do Comercial Zaffari na 118
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • entrevista
      Dilamar defende Rosane de ’emenda demagógica’
      por Rafael Martinelli
    • 3º Neurônio | comic con
      CCXP 2019 tem início e fãs invadem a feira!
      por Silvio Teixeira
    • opinião
      O dia em que Miki ’desistiu da eleição’; o menino da porteira de 2020
      por Rafael Martinelli
    • profissional de sucesso
      A Irmã Jane do Dom Feliciano abre seu coração
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • 3º Neurônio | ciência
      2019 encerra a pior década da crise climática
      por Manuel Planelles | El País
    • você sabia?
      Seu Imposto de Renda pode ajudar quem precisa
      por Redação
    • opinião
      Juíza erra ao cassar conselheira tutelar; ’Daiane Livre’
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Presidência da Câmara: quem será o ’candidato de Marco Alba’? da novela ao acordo
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      A Rose de Cachoeirinha e o áudio-bomba do ’impeachment’ de Bolsonaro; o WhatsApp bombou
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Gabinete de Dirceu do Busato: apoio a Dimas foi para o VAR
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Ana para incendiar eleição; os outsiders na ferradura
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      PTB com Dimas é ’pênalti de concurso’; la mano de dios
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Marco Alba e Jones juntos é notícia; a metafísica da política
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.