notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 23/10/2020

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    cultura

    A biblioteca livre surgiu há cerca de dois anos na Prime RH | GUILHERME KLAMT

    COM VÍDEO | Os livros que circulam por Gravataí

    por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt | Publicada em 19/02/2019 às 12h52| Atualizada em 25/02/2019 às 15h33

    Está lá, como a primeira diretriz do Plano Nacional do Livro e Leitura, de 2011: “democratização do acesso aos livros”. Da teoria à prática, basta uma iniciativa simples, como a que acontece há dois anos na recepção da Primer RH, uma agência de empregos de Gravataí que criou, a partir de uma estante, a sua — ou melhor, a de quem quiser — biblioteca livre.

    — É diferente e uma biblioteca normal, porque não exigimos cadastro, taxas e nem compromisso com o tempo para ficar com o livro. Também não é preciso trocar, ou trazer livros. Nossa intenção sempre foi fazer os livros circularem. O único compromisso que sempre pedimos a todos é que, ao terminarem, não deixem os livros nas gavetas, ou parados. Repassem a quem ainda não leu. Esta é a magia dos livros, a transmissão do conhecimento — diz a gerente da empresa, e uma das autoras da iniciativa, Daiane Rodrigues dos Santos.

     

     

    A biblioteca livre na Prime é a primeira deste tipo em Gravataí, e segue uma tendência surgida nos Estados Unidos e Europa a partir do começo da década passada. No Brasil, virou uma nova onda há cerca de cinco anos. Por isso, ainda não há um levantamento preciso sobre o número de bibliotecas livres, ou iniciativas que reúnam diversas delas, no país. Sabe-se, por exemplo, que mais de 70% das escolas brasileiras não têm bibliotecas, e que boa parte dos municípios não contem com bibliotecas públicas.

    Estima-se que projetos como o da Prime já cheguem a pelo menos 400 em todo o Brasil. A inspiração para Gravataí veio de Curitiba, onde existe a biblioteca livre Pote de Mel, funcionando em uma padaria.

     

    LEIA TAMBÉM

    COM VÍDEO | Em Cachoeirinha, a leitura tem parada obrigatória

    Um dia para celebrar os livros em Cachoeirinha

    A cada história da Feira, o legado da Denise Medonha

     

    — Meu irmão trabalha em uma livraria e me mostrou aquela iniciativa. Eu pensei que seria uma boa ideia para o nosso ambiente, no qual as pessoas vêm em busca de novos objetivos e uma oportunidade. O perfil do nosso leitor, em sua maioria, ainda é de pessoas que lêem um pouco enquanto esperam, mas poucos chegam a levar os livros. Exceto quando temos algum título mais requisitado — comenta Daiane.

    Especialista em recursos humanos, Daiane assegura que pessoas com mais leitura, ou que busquem mais conhecimento e cultura, fazem a diferença no momento, por exemplo, de uma entrevista de emprego.

    — É possível notar a diferença e a desenvoltura deste candidato. Ler e aprimorar conhecimento são fundamentais.

     

    Festa literária

     

    Na região, a iniciativa está longe de ser isolada. Há pouco mais de um ano, funcionam em Cachoeirinha duas paradas de ônibus com projetos semelhantes, além do Ponto de Leitura, na Praça Telmo Dorneles, também em Cachoeirinha. As iniciativas seguem a mesma lógica das bibliotecas livres, nas quais a regra principal é que os livros circulem.

    No dia 16 de março, por exemplo, acontece a 1ª Festa Literária da Praça Telmo, que irá celebrar a livre leitura e a circulação dos livros. As iniciativas de Cachoeirinha já fazem parte de um grupo denominado Redes de Leitura, que reúne outros projetos comunitários semelhantes na Região Metropolitana.

     

    SAIBA MAIS

     

    : A Biblioteca Livre Gravataí fica na Rua Anápio Gomes, 1471/Sala 203, Centro.

    : Não é preciso fazer cadastro para sair de lá com um livro ou doar os seus livros para a biblioteca livre.

    • obras
      Marco Alba anuncia iluminação de LED em avenidas
      por Redação
    • eleições 2020
      Juíza não dá liminar para retirar placas de Dimas
      por Rafael Martinelli
    • crise do coronavírus
      Parabéns Miki, por proibir aulas!
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      Prefeituráveis lançam primeiras contas de campanha
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      Para Ministério Público Dr. Levi é elegível
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      ’Marco não diz que é candidato como Bordignon em 2017’
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      Por que Justiça barrou debate do CIC
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      Justiça não tira Marco de propaganda; Já Bordignon...
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      Na TV, Zaffa e Dimas dividiram a bola do Mercado Livre
      por Rafael Martinelli
    • coronavírus
      Não é a segunda, é a nossa primeira onda ainda
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      MP quer impugnar aposta do governo à Câmara
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      Jingle do Delegado é piada de Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    • eleições 2020
      É fake que Deadpool não usa fundão eleitoral
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]eguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.