notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 16/02/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    meio ambiente

    Se cada gravataiense usasse um canudo plástico por dia, seriam 101,9 milhões em um ano

    O último ano dos canudos plásticos em Gravataí

    por Eduardo Torres | Publicada em 17/01/2019 às 14h56| Atualizada em 27/01/2019 às 19h36

    Um simples canudinho jogado no chão pode parecer inofensivo. Mas imagine que cada habitante de Gravataí consuma, em média, um canudo por dia. São 101,9 milhões de canudos em um ano. Considerando o tamanho padrão de 6mm de diâmetro dos canudos, em um ano, daria para formar uma linha — com canudos dispostos lado a lado — de 611,8 quilômetros, capaz de ir e voltar de Tramandaí, por exemplo, três vezes.

    Segundo ambientalistas do mundo inteiro, os canudos plásticos, multiplicados com os fast-foods, estão entre os maiores vilões do planeta na atualidade. A carga de canudos à base de polipropileno e poliestireno representa hoje 4% de todo o lixo plástico do mundo. Significa que, aquele objeto que fica, em média, quatro minutos na mão do consumidor, levará centenas de anos para serem decomposto. E, até que isso aconteça, carrega consigo uma cadeia de mortes de animais como tartarugas nos oceanos. Ou, como relata o vereador Bombeiro Batista (PSD), aqui mesmo no Parcão da parada 79.

     

    LEIA TAMBÉM

    EXCLUSIVO | Gravataí terá a maior reserva ambiental da região

    COM VÍDEO | A nossa lista vermelha da extinção

    Ambientalistas temem recuo na proteção ao Rio Gravataí

     

    — Foi em uma andança pelo Parcão que eu resolvi agir contra a distribuição dos canudos. Vi as tartarugas tentando se alimentar desses objetos que eram descartados de maneira inadequada por quem estava ali. As pessoas precisam ter consciência sobre o que consomem e também sobre as consequências dos seus atos. Descartar o seu lixo faz parte da responsabilidade de cada cidadão — diz o vereador.

     

    : Aquele canudinho inofensivo chega aos oceanos e provoca trágico desequilíbrio ambienal

     

    Ele é o autor da lei, sancionada pelo prefeito no dia 14 de dezembro de 2018, que tornará, daqui um ano, proibida em Gravataí a distribuição dos canudinhos plásticos em barzinhos, restaurantes, ambulantes ou carrocinhas de cachorro-quente. A medida havia sido proposta pelo vereador em outubro do ano passado, e segue uma tendência nacional. O comércio local terá, portanto, um ano para se adaptar.

    — Alguns podem criticar, achar que vai aumentar custo, mas eu fiz este levantamento, e o impacto será muito pequeno. O pequeno comerciante tem que se adaptar às leis. Nem sempre o menor valor é o melhor para a saúde. E este é o momento de se preocupar com as gerações futuras — aponta Bombeiro.

    Na verdade, o próprio vereador afirma já ter pesquisado preços com fornecedores de canudos, e encontrou o material biodegradável por R$ 24,90 (500 unidades), enquanto a mesma quantidade de plástico, segundo ele, custa R$ 42.

     

    Multa ainda será definida

     

    No texto original do projeto, porém, a punição pelo descumprimento estava clara: R$ 2 mil de multa e, na reincidência, R$ 5 mil. A proposta não passou no Executivo, que deixou o texto da lei bem mais vago. Prevê que, quem descumprir, “estará sujeito às sanções do Código de Defesa do Consumidor”.

    — A ideia é que a punição seja algo em segundo plano. Primeiro, tem que conscientizar as pessoas — reforça o autor da lei.

    De acordo com o secretário adjunto do Desenvolvimento Econômico, Victor Johnson, serão aplicados os artigos 55 e 56 do código, que prevêem fiscalização, notificação, multa — com valores ainda a serem definidos pelo município — e, em casos drásticos, até a cassação do alvará de funcionamento para quem descumprir a lei.

    — Teremos um ano inteiro para trabalhar a parte educacional com os comerciantes. Depois, o primeiro passo será a notificação e, permanecendo a irregularidade, multas — aponta.

    Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre seguem o mesmo caminho de medidas para barrar os canudos plásticos. Pudera. Só no Brasil, estima-se o uso de 75,2 bilhões de canudinhos em um ano. Dariam para construir um muro de 2,10m de altura para dar uma volta inteira ao mundo em uma linha de 45 mil quilômetros.

    • redes sociais
      ’Teoria’ de jornalista de Gravataí vira notícia nacional
      por Redação
    • coluna do silvestre
      Não falta vaga para quem quer trabalhar
      por Silvestre Silva Santos
    • caso da maconha
      180 dias sem dono para droga no terreno do vereador
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      O dono da Havan esteve na região, fazendo o quê?
      por Silvestre Silva Santos
    • personagens
      COM VÍDEO | Márcia Becker e seus 115 filhotes
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      5 conselheiros tutelares cobram gratificações em Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • educação
      Por que o estado botou abaixo a Escola Carlos Bina do Xará
      por Silvestre Silva Santos
    • gravataí
      Marco Alba apresenta projeto anticorrupção
      por Redação
    • br-290
      Em vídeo e texto, tudo sobre ’novo’ pedágio da Freeway
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • opinião
      A polêmica nota do presidente da OAB Gravataí
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Das cinzas políticas do PD, um candidato a prefeito
      por Rafael Martinelli
    • obras
      Longe do ’SPC’, Prefeitura apresenta máquinas
      por Redação
    • opinião
      Dimas pode pedir licença da Câmara
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Como está a duplicação das pontes do Parque
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • transporte
      Exemplo na integração dos ônibus vem de Gravataí
      por Eduardo Torres
    • segurança
      Bala na Cara mantinha armas e drogas em Gravataí
      por Eduardo Torres
    • opinião
      Boechat e a hipocrisia do morto santo
      por Rafael Martinelli
    • saúde
      HDJB só tem um pediatra; mas número vai aumentar
      por Silvestre Silva Santos
    • opinião
      Evandro não quer parecer ’total flex’
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      A esquerda que ’só se une na cadeia’ e a laranja do Bolsonaro
      por Rafael Martinelli
    • cachoeirinha
      Maioria aprova governo Miki, diz pesquisa
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      GM confirma bilhão em Gravataí a Marco e Leite
      por Rafael Martinelli
    • refugiados
      A vida dos venezuelanos em Cachoeirinha
      por Eduardo Torres | edição de imagens: Guilherme Klamt
    • transporte
      Um mês para Cachoeirinha ter o seu corredor de ônibus
      por Eduardo Torres
    • opinião
      Leite pode azedar para servidores de Cachoeirinha
      por Rafael Martinelli
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.