notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 11/12/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    na feira

    A voz que marcou época na clássica Ipanema reflete sobre a caretice geral da atualidade | GUILHERME KLAMT

    Katia Suman e o zapzap de papel da Ipanema

    por Eduardo Torres | edição de imagens Guilherme Klamt | Publicada em 30/11/2018 às 11h32| Atualizada em 03/12/2018 às 11h04

    Sabe aqueles grupos de whatsapp da firma, da família, dos amigos, em que tudo é discutido, desde os planos para dominar o mundo até as passas no arroz das festas de fim de ano? Pois agora recorde os meados dos anos 1980 até o fim da década de 1990. Sim, a clássica Rádio Ipanema tinha o seu próprio grupo de whats, nos moldes que só aquela 94.9 poderia ter.

    — Era um caderno, que eu inventei. Deixava no estúdio e, no final de cada programa, os comunicadores escreviam tudo o que rolava. Um show que haviam assistido, o som que rolou na programação, uma entrevista, um comentário. Tudo. Era a forma como conseguíamos conversar, porque eu, por exemplo, só chegava à noite na rádio. E naquele tempo não tinha celular, e-mail e até telefone fixo era artigo de luxo — lembra Katia Suman, que liderava e se tornou o símbolo de uma época única para o rádio e a música daqui.

     

     

    No livro “Katia Suman e os diários secretos da Rádio Ipanema FM”, ela faz os saudosos viajarem no tempo de um modo delicioso. É impossível ler e não trazer à memória toda a agitação cultural de Porto Alegre e região metropolitana da retomada da democracia e do surgimento de bandas e novos sons como poucas vezes se viu por aqui. A Katia esteve na Feira do Livro de Gravataí para contar um pouco disso, mas como ela mesma diz, sem saudosismos.

    — Não dá para ter esse tipo de nostalgia. O mundo era outro, era uma outra configuração. Foram décadas muito importantes para a produção musical daqui, era uma rádio de esquerda, que já não existe nenhuma parecida hoje. Naquele tempo, tudo se fazia pela primeira vez, e nós experimentamos tudo. Agora é outro momento, o próprio rádio não tem mais aquele protagonismo e precisa achar o seu espaço. Me orgulho muito de ter feito parte daquilo, mas não é saudosismo. Eu acho o Spotify, por exemplo, incrível. A minha filha, de 17 anos, nunca ouviu rádio. Hoje, a internet salva o mundo — diz.

    Ao todo, foram 23 cadernos, com mais de duas mil páginas, escritas entre 1985 e 1997, compiladas no livro da Katia. E aí, é possível encontrar desde a realidade, tabulada, da rádio que realmente lançava e dava oportunidade às bandas locais até bate-bocas, no papel.

    — É claro que a Ipanema lançou muita gente, porque era mais do que a programação de rádio, era todo um cenário que se criava. Quando tocávamos uma banda, desenvolvíamos a profissionalização daquilo. Os bares abriam espaço para elas, para apresentações. A Ultramen, por exemplo, apareceu assim. Mas onde foi parar aquele público? A Ipanema foi primeiro e segundo lugar em audiência durante todo o tempo. Mas e toda aquela gente que ouvia? Encaretou? — questiona.

     

    LEIA TAMBÉM

    NA FEIRA | Albani, o cantador homenageado da Feira de Gravataí

    NA FEIRA | Não subestime estas mulherzinhas

    NA FEIRA | Memórias dos vovôs nas histórias dos alunos do Gensa

     

    Para preparar o livro, que é parte da tese de mestrado, Katia procurou os colegas Jimmy Joe, Mauro Borba, Cláudio Cunha, Porã, Cagê... E as opiniões, para surpresa dela, eram unânimes:

    — Eu tinha muito receio de escrever o quanto eu achava incrível o que fazíamos, o quanto aquilo foi positivo e transformou todo um cenário. Seria estranho, um elogio ao meu próprio trabalho. Mas aí, os guris falaram e era exatamente o que eu pensava. Foi incrível.

    Se o livro é uma forma de recordar a todos que viveram a Ipanema FM — e, de fato, não se tratava só de ouvir —, também é uma maneira de mostrar a quem nunca ouviu rádio, como a filha adolescente da Katia Suman, o que acontecia por aqui naquele tempo.

    Na frequência da 94.9, hoje, está a retransmissão da Rádio Bandeirantes, com mais futebol e nada de música. As demais FMs que costumavam tocar rock e música pop, hoje dedicam mais espaço a programas de conversa, piada ou futebol. Na sua visita à Feira de Gravataí, Katia Suman não fugiu ao questionamento que todos têm refletido por aqui:

    — O mundo todo está tão careta. É uma onda à direita, um movimento que parece ser a reação daquele homem branco, macho alfa, metafórico, contra o crescimento que as ditas minorias tiveram durante muitos anos, naqueles anos em que a Ipanema surgiu. Os tempos são outros, a gente se adapta, a música se adapta. As bandas hoje não precisam do rádio para ganhar espaço, por exemplo.

    No melhor estilo do que mantem no Bar Ocidente, em Porto Alegre, desde 1999, com o Sarau Elétrico, todas as terças, misturando literatura, poesia e música, Katia bateu um papo com a patrona da Feira, Fernanda Takai, na noite da última quarta, em Gravataí.

    A 32ª Feira do Livro de Gravataí encerra neste domingo,. Vá à praça e curte as últimas atrações.

     

    CONFERE A PROGRAMAÇÃO DO FIM DE SEMANA

     

    Sábado (dia 1º)
     

    10h às 21h - Troca de Livros - Espaço Cultural SMCEL
    10h às 21h - Exposição A Música e suas Tecnologias - Espaço Cultural SMCEL
    10h30min - Apresentação musical: Banda Marcial do Follmann - Espaço da Feira
    11h - Sessão de Autógrafos: Experimentações, políticas culturais e patrimônios, de Hilda Jaqueline de Fraga, Claudira do Socorro Cirino Cardoso, Vera Lúcia Maciel Barroso e Renata Andreoni (Orgs.); e Patrimônio no Plural: práticas e perspectivasinvestigativas, de Hilda Jaqueline Fraga, Carmen G. BurgetSchiavone Carla Rodrigues Gastaud (Orgs.)
    13h - Apresentação Musical: Banda No Beco- Espaço da Feira
    13h30min - Sessão de Autógrafos: Estrela-Guia, de Luís Carlos Lacerda - Café
    14h às 18h - Mesas de RPG - Coordenação de Alex Cuenca, do ColetiveArts - Casa Coletive
    14h - PainelO Mundo de Harry Potter - Alexandre Pauli - Casa Coletive
    14h - Teatro Estudantil na Feira:Teatro Fernanda Takai
    15h - Sessão de Autógrafos: Cordas ao Vento, de Karin Fonseca Kestering - Café
    15h30min - Apresentação de K-Pop/K-World - Casa Coletive
    16h - Sarau Clube Literário de Gravataí - CaféInventor do Vento
    17h - Banda Municipal/ Banda Fundação Bradesco - Espaço da Feira
    18h - 30 anos do FanzineTchê - Denílson Reis- Casa Coletive
    18h - Sessão de Autógrafos - Tópicos das Ciências Humanas, de Sebastião Medeiros e André Melo - Espaço da Feira
    18h - Sarau Descascando Manoel de Barros - Simone Castiel e Cláudio Levitan - Café Inventor do Vento
    19h - Apresentação de K-Pop/K-World - Casa Coletive
    19h30min - Sessão de Autógrafos: Rota Poesiae Alma, de Rosane Castro - Café Inventor do Vento
    20h - Apresentação Musical: Renata Pires- Teatro Fernanda Takai

     

    Domingo (Dia 2)
     

    10h às 21h - Troca de Livros - Espaço Cultural SMCEL
    10h às 21h - Exposição A Música e suas Tecnologias - Espaço Cultural SMCEL
    11h - Manhã de Jogos/RPG - Christopher Kastendsmidt - Casa Coletive
    12h30min - Apresentação de K-Pop/K-World - Casa Coletive
    14h às 18h - Mesas de RPG - Coordenação de Alex Cuenca, do ColetiveArts - Casa Coletive
    13h - Sessão de Autógrafos: Amor em Nova York, de Fernanda Schmitt
    14h - Sessão de Autógrafos:A Boneca da Nina, de Raissa Scheeren
    14h - Painel Quadrinhos e Educação: um caminho possível -Patrícia Maciel, Jean Pico, Israel Santiago e Jorginho - Casa Coletive
    13h30min - Mostra de Dança:Teatro Fernanda Takai
    15h - Sessão de Autógrafos: Longe de Casa e Limites da Segurança, de Borges Netto - Café Inventor do Vento
    16h - Painel:Do Épico ao Fantástico: o início de uma jornada literária - Fábio da Silva Barbosa, Abraham Kirquin, Beatrice Santos Witt e Christopher Kastensmidt - Casa Coletive
    16h - EspetáculoTeatral Junho: uma aventura imaginária -  Coletivo Nômade de Teatro e Pesquisa Cênica - TeatroFernandaTakai
    17h - Conselho Jedi: 16 anos de uma Paixão Estelar - Conselho Jedi do RS- Casa Coletive
    17h - Roda de Conversa com Lorena Eltz- Café Inventor do Vento
    17h30min - Apresentação Musical: OMAF - Teatro Fernanda Takai
    17h45min - Sessão de Autógrafos: Hey, Lorelys - Lorena Eltz-Café Inventor do Vento
    18h15min - Desfile e premiação de Cosplay - Espaço da Feira
    19h15min - Apresentação de encerramento: 50 Tons de Pretas - Teatro Fernanda Takai

     

    • coluna do silvestre
      RS-118 não fica pronta no ano que vem
      por Silvestre Silva Santos
    • rs em crise
      OPINIÃO | Perderemos 32 milhões se baixar ICMS
      por Rafael Martinelli
    • investimento
      Miki fecha o ano com uma boa notícia
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      OPINIÃO | Gravataí ainda não preencheu vagas de médicos
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      Shopping vai dar muitos presentes de Natal
      por Silvestre Silva Santos com assessoria
    • seca
      Sem chuva, captação no Rio Gravataí pode parar
      por Eduardo Torres
    • redes sociais
      Vereador ganha liminar para excluir post de eleitor
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      OPINIÃO | Inocente bom é inocente vivo
      por Rafael Martinelli
    • crime na saúde
      Empresa levou R$ 500 mil supostamente desviados
      por Eduardo Torres
    • crime na saúde
      Ex-secretária de Gravataí é sócia de empresa no alvo do MP
      por Eduardo Torres
    • crime na saúde
      Empresa de Gravataí envolvida em desvio na saúde
      por Eduardo Torres
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.