notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 16/01/2019

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    segurança

    Caso Eduarda despertou onda de denúncias em Gravataí e Cachoeirinha

    Polícia age e cessam supostos raptos de crianças

    por Eduardo Torres | Publicada em 30/10/2018 às 09h41| Atualizada em 08/11/2018 às 16h25

    Se as denúncias tinham fundamento, a Polícia Civil ainda não confirma e investiga sob sigilo. Mas, quatro dias após uma ação conjunta entre a 2ª DP de Cachoeirinha e a 2ª DP de Gravataí para apurar casos de supostas tentativas de raptos de crianças na região, não chegaram mais às delegacias relatos como esses. São pelo menos quatro casos apurados em Cachoeirinha e outros três em Gravataí.

    — Os casos em que as pessoas registraram ocorrência são todos semelhantes, dando conta de uma mulher loira e um homem, por vezes, acompanhados por mais um homem. Eles abordariam pessoas caminhando pela rua com suas crianças e, supostamente, tentariam arrancá-las dos responsáveis. Todos os relatos dizem que os suspeitos estavam em um carro, sempre diferente — diz o delegado Newton Martins de Souza Filho, titular da 2ª DP de Cachoeirinha.

     

    LEIA TAMBÉM

    Quem matou a pequena Eduarda?

    Divulgado retrato falado de suspeito da morte de menina

    Justiça à Eduarda, sim. Gotham City, jamais

     

    Na sexta, os agentes cumpriram pelo menos um mandado de busca, recolhendo materiais na casa de, pelo menos, uma pessoa suspeita. O delegado não confirma, em virtude do sigilo imposto pela Justiça a este e outros casos semelhantes na Região Metropolitana, mas uma mulher teria sido ouvida pelos policiais, que não confirmam, por enquanto, se a hipótese de tentativas de sequestros aleatórios é plausível.

    — A única coisa que podemos dizer é que desde o dia 25 (quinta) não há outras denúncias e nem soubemos de outros boatos referentes a isso terem circulado em redes sociais. Ao menos, em Cachoeirinha — aponta o responsável pelos inquéritos.

     

    Caso Eduarda sob sigilo

     

    A onda de denúncias sobre supostas tentativas de sequestros — e até mesmo a proliferação de boatos em redes sociais sobre desaparecimentos de crianças — ganhou força com a morte da menina Eduarda Herrera de Mello, de nove anos. Ela foi encontrada morta por afogamento às margens do Rio Gravataí, em Alvorada, próximo do limite com Gravataí, no último dia 22 de outubro. No dia seguinte ao crime, o Departamento Estadual da Criança e do Adolescente (Deca) divulgou um retrato falado do suspeito de tê-la raptado da frente de casa, no bairro Rubem Berta, zona norte de Porto Alegre, na noite anterior, e a comoção foi generalizada.

    — Todas as denúncias têm sido apuradas, mas reduziram bastante desde o final da última semana. Por um lado, é bom que a população fique mais atenta à segurança das crianças, tome mais cuidados e denuncie à polícia. Por outro, o risco de compartilhar boatos cria pânico generalizado. Sempre orientamos a procurarem a polícia, porque estamos dando o devido encaminhamento a todas as suspeitas — garante a diretora do Deca, delegada Adriana Regina da Costa.

     

    : Retrato falado de suspeito do rapto de Eduarda foi divulgado semana passada

     

    Ela não detalha a apuração do caso Eduarda, que corre sob sigilo, mas assegura que nenhuma das denúncias apuradas até o momento se assemelha ao modus operandi do criminoso que atacou a menina na zona norte da Capital.

    — Em nenhum caso verificado até agora é possível afirmar que era realmente uma tentativa de sequestro. Muitas vezes é até um assalto e as pessoas, assustadas, relatam como a tentativa de levar as crianças — diz a delegada.

    Até o começo desta semana, ocorrências semelhantes foram registradas, além de Gravataí e Cachoeirinha, em Porto Alegre, São Leopoldo, Tramandaí, Caxias do Sul, Alegrete, Uruguaiana e Bom Princípio. Os alvos seriam crianças entre três e 13 anos.

    Nos casos da Capital, houve até mesmo depredação de uma delegacia e de ônibus após protestos motivados, segundo a polícia, por boatos. Em Gravataí, grupos no Facebook chegaram a convocar para um protesto em defesa das crianças no final da última semana, mas a manifestação não aconteceu.

     

    DISQUE-DENÚNCIA

     

    : Se você tiver informações que possam levar a polícia ao suspeito, ou que esclareçam algum ponto do crime, denuncie anonimamente ao Deca, pelo 0800 6426400.

    • rs
      Ninguém de Gravataí no governo Leite
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Um mês para APPs dizerem como cuidam seus motoristas
      por Eduardo Torres
    • segurança
      O debate fetichista sobre a redução da maioridade
      por Rafael Martinelli
    • educação
      Ulbra Gravataí demite um quinto dos professores
      por Eduardo Torres
    • coluna do silvestre
      App leva profissionais da beleza até você
      por Silvestre Silva Santos | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    • habitação
      Moradores querem financiar casas da Granja em 35 anos
      por Eduardo Torres
    • educação
      Kit escolar da Prefeitura tem data para ser entregue
      por Silvestre Silva Santos
    • polêmica
      Gravataí e Cachoeirinha podem ter armas liberadas
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Outro baleado, mas poucos motoristas param na região
      por Eduardo Torres
    • opinião
      Farda não garante santidade; promoção, talvez
      por Rafael Martinelli
    • crime na saúde
      MP detalha repasses do Gamp e empresa de Gravataí
      por Eduardo Torres
    • freeway
      Marco Alba comemora troca de praça do pedágio
      por Rafael Martinelli
    • opinião
      Stédile, irmão de líder do MST é secretário de Leite; a verdade
      por Rafael Martinelli
    • coluna do silvestre
      CCR confirma mudança do pedágio
      por Silvestre Silva Santos
    • segurança
      Contra violência, motoristas de aplicativos prometem parar
      por Eduardo Torres
    • parceria público-privada
      RS-020 será concedida com pedágios
      por Rafael Martinelli
    • investigação
      MP faz conexão da investigação no Inter com Gravataí
      por Eduardo Torres
    • luto
      Não podemos ser como o Vilmar?
      por Rafael Martinelli
    • segurança
      Conheça os números da criminalidade em Gravataí
      por Silvestre Silva Santos
    • cultura
      Em Cachoeirinha, a leitura tem parada obrigatória
      por Eduardo Torres | Edição de imagens: Guilherme Klamt
    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.