notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 01/03/2021

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    3º Neurônio | humor

    Retrospectiva 2021

    por Fraga | Publicada em 18/01/2021 às 13h21

    JANEIRO

    Não houve réveillon, mesmo assim os negacionistas festejaram a normalidade.

    Bozonazi disse besteiras muito maiores do que as tantas que já tinha dito em 2020.

    Em todas as praias brasileiras, a nossa gente bronzeada mostrou seu amor ao coronavírus.

    O calorão esteve tão insuportável que tivemos saudades do Forno Alegre de anos anteriores.

    Estreia o BBB21, o confinamento sem o menor distanciamento social.

    Trump transforma o salão oval num bunker e Biden começa um governo paralelo num gazebo no quintal da Casa Branca.

    Sebastião melou a expectativa de uma prefeitura não contaminada pelo anticientificismo.

    Algumas vezes faltou luz no RS, em outras teve apagão.

     

    FEVEREIRO

    Bozonazi falou mais merdas e o Brasil foi todo ouvidos.

    Começou um boato de vacinação em massa.

    Não houve carnaval, mesmo assim os negacionistas botaram seus blocos nas ruas.

    Por conta da mortandade da covid, funerárias expandem rede de lojas que ultrapassam a de farmácias. O grupo Panvel recusou fusão com o grupo Angelus.

    Trump é eleito presidente da KKK e entusiasmado com a promoção topa virar ex-presidente.

     

    MARÇO

    Bozonazi comete atrocidades inéditas, porém Maia promete novas gavetas para os crescentes pedidos de impiti.

    Na volta às aulas, o coronavírus foi o primeiro a chegar nas escolas.

    O calorão derrete aparelhos de split nos prédios da capital.

    O boato da vacina se propaga quase tanto quanto o boato de que não há boatos.

    O PIB vai à lona mais um vez, enquanto o desemprego é returbinado.

     

    ABRIL

    Bozonazi ofende várias vezes o povo brasileiro. Em troca, o povo brasileiro se sentiu ofendido várias vezes.

    Não houve Páscoa, mesmo assim os negacionistas invadiram as fábricas de chocolates.

    O Veranico de maio inicia mais cedo.

    Pazuello é diagnosticado com sintomas de competência. Mas sua alta imunidade à capacitação o salva da obrigação de salvar milhares de vidas.

     

    MAIO

    Bozonazi destrata Deus e o mundo, e a recíproca não é verdadeira.

    Não houve o Dia das Mães, mesmo assim os negacionistas lotaram shoppings e churrascarias maio inteiro.

    Sérgio Camargo, presidente vitalício do Instituto Palmares, institui o 13 de maio como o Dia Nacional da Inexistência do Racismo no Brasil.

    Não houve o Mês das Noivas, por absoluta falta de tule na indústria têxtil, mesmo assim Mourão e o véio da Havan noivaram - um com o outro.

    Maia se precipita ao pedir pro congresso não se precipitar com o impiti.

    Contrário a dar o braço à vacina, Pazuello oferece incentivos para que o país produza sua nova cepa do coronavírus.

    O veranico de maio cumpriu o calendário.

     

    JUNHO

    Bozonazi quase caiu em si pela primeira vez na vida, mas os ministros militares alcançaram o paraquedas a tempo.

    Inaugurada a rede de butiques Dasvac, especializada em vacinas de várias partes do mundo. Estoques exclusivos para trilionários.

    Não houve Quadrilhas de São João, mesmo assim os negacionistas dançaram ao redor do veranico de maio. As outras quadrilhas, como sempre, não dançaram.

     

    JULHO

    Não houve julho em 2021.

     

    AGOSTO

    Bozonazi comete suicídio e há um carnaval fora de época. Mas Messias ressuscita no terceiro dia e os evangélicos fazem outro carnaval fora de época.

    Não houve Dia dos Pais, mesmo assim os shoppings e as maternidades lotaram.

    A vacinação em massa chega aos pastifícios.

    Estreia a 2ª temporada dos incêndios na Amazônia e das queimadas no Pantanal, com

    transmissão pela Netfrix.

    Os cachorros loucos levam agosto à loucura.

     

    SETEMBRO

    Bozonazi, cavalgadura-mor, promove histórico desfile da Independência, com carros alegóricos na Torquês de Sapucaí em Brasília.

    Pazuello inaugura cemitérios periféricos, um para cada periferia das maiores cidades.

    Não houve Primavera, mesmo assim floresceram negacionistas, vicejaram estúpidos e brotaram ignorantes país afora.

    Brasil chega a mais de mil vacinados contra a covid.

     

    OUTUBRO

    Bozonazi foi ao túmulo do Vacinado Desconhecido e fez sua homenagem: depositou um buquê de impropérios e coroa de diatribes.

    Não houve Dia da Criança Vacinada, mesmo assim Pazuello não foi demitido.

    Fim do veranico de maio em Porto Alegre.

    Por falta de anúncios com vagas, o desemprego atinge guardadores de lugar nas filas para emprego.

     

    NOVEMBRO

    Não houve Dia dos Finados, mesmo assim as funerárias comemoram a data o ano todo.

    Bozonazi celebra o 15 de Novembro como o pior deprimente da república.

    No Dia da Consciência Negra, congresso aprova branqueamento da imagem da Nossa Senhora Aparecida.

     

    DEZEMBRO

    Bozonazi testa positivo para impiti mas Maia pede calma ao país. Não houve Natal nem Réveillon, mesmo assim os negacionistas festejaram.

    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    [email protected]

    Roberto Gomes | DIRETOR | [email protected]
    Rafael Martinelli | EDITOR | [email protected]
    Cristiano Abreu | EDITOR | [email protected]
    Guilherme Klamt | EDITOR | [email protected]
    Rodrigo Becker | EDITOR | [email protected]
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.