notcia bem tratada
GRAVATAÍ, 11/12/2018

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Recomendamos

  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Nossos Clientes
  • Facebook

    3º Neurônio | cinema

    Nathalia Timberg, uma dama da atuação

    por Diego Nunes | Memória Cinematográfica | Publicada em 07/08/2018 às 13h12

    Relembre a carreira da consagrada atriz Nathalia Timberg, uma estrela dos palcos, cinema e televisão brasileira

     

    Nathalia Elisa Timberg nasceu em 5 de agosto de 1929. Ainda criança, Nathalia começou a brincar de atuar. Aos sete anos de idade Nathalia fez sua estréia no cinema, atuando em O Grito da Mocidade (1937) de Raul Roulien. Depois a menina viajou com os pais para a Europa, seu pai era polonês e sua mãe belga.

    Com o começo da Segunda Guerra Mundial, retornaram ao Brasil, onde ela continuou seus estudos teatrais. No fim da década de 40 ela formou-se na Escola de Belas Artes da Universidade do Brasil, no Rio de Janeiro.

    Em 1948, ela ingressou no grupo Teatro Universitário, com Sérgio Britto e Fernando Torres. Entre 1951 e 1954 ela estudou atuação na França, após ganhar uma bolsa de estudos.

    Ingressou na televisão em 1956, atuando em teleteatros como O Grande Teatro Tupi. A atriz consagraria-se posteriormente em suas atuações em novelas, algumas delas consideradas marcos da televisão brasileira.

     

    : Nathalia Timberg como Joana Darc no Grande Teatro Tupi (1958)

     

    No cinema, após sua experiência ainda criança, retornou a atuar em Viagem aos Seios de Duíla (1964). Ela ainda atuou em mais nove filmes, mas sempre preferiu dedicar-se aos palcos ou a televisão.

     

    Nathalia Timberg em Viagem aos Seios de Duila (1965)

     

    Atuou nos seguintes filmes: Society em Baby-Doll (1965), O Homem que Comprou o Mundo (1968), Fruto Proibido (1976), Dedé Mamata (1988), Contos de Lygia (1998), Condenado à Liberdade (2000), Flávio Rangel - O Teatro na Palma da Mão (2011), Vendo ou Alugo (2013), Em Três Atos (2015).

     

    Natália Timberg e Eduardo Wagner em Fruto Proibido (1976)

     

    Na televisão também atuou em muitas novelas, estreando em Imitação da Vida(1960). Trabalhou em obras consagradas como O Direito de Nascer (1965), A Rainha Louca (1967), A Muralha (1968-69), Sangue do Meu Sangue (1969), As Bruxas (1970), Escalada (1975), e A Sucessora (1978). Entre seus trabalhos mais recentes destacamos Elas Por Elas (1982), Santa Marta Fábril (1984), Ti Ti Ti (1985), Vale Tudo (1988), Pantanal (1990), O Dono do Mundo (1991), Éramos Seis (1994), Força de Um Desejo (1999), Insensato Coração (2001). Em Babilônia (2015), ela fazia uma personagem homossexual fazendo par romântico com Fernanda Montenegro. Sua última novela, até o memento, foi O Outro Lado do Paraíso (2017-2018).

     

    Nathalia Timberg e Isaura Bruno em O Direito de Nascer

     

    Nathalia Timberg e Rubens de Falco em A Rainha Louca (1967)

     

    Nathalia Timberg em A Sucessora (1978)

     

    Recentemente, a atriz esteve em cartaz no teatro fazendo O Que Teria Acontecido com Baby Jane?, ao lado de Eva Wilma.

    Ela interpretou Blanche Hudson, a irmã de Jane, personagens vividas por Joan Crawford e Bette Davis no cinema em 1962.

     

    Nathalia Timberg e Eva Wilma em Baby Jane

    SITE DE JORNALISMO E INFORMAÇÃO
    Gráfica e Editora Vale do Gravataí
    Av. Teotônio Vilela, 180 | Parque Florido
    Gravataí(RS) | Telefone: (51) 3042.3372

    redacao@seguinte.inf.br

    Roberto Gomes | DIRETOR | roberto@seguinte.inf.br
    Rafael Martinelli | EDITOR | rafael@seguinte.inf.br
    Silvestre Silva Santos | EDITOR | silvestre@seguinte.inf.br
    Eduardo Torres | EDITOR | eduardo@seguinte.inf.br
    Guilherme Klamt | EDITOR | guilherme@seguinte.inf.br
    Ao reproduzir uma de nossas matérias, é ético citar a fonte.
    As opiniões assinadas são de responsabilidade de seus autores e não representam a posição do jornal.
    Desenvolvido por i3Web. 2016 - Todos os direitos reservados.